Menu
sexta, 18 de junho de 2021
Andorinha - Maio
Andorinha - Maio
Geral

Economia no entorno da Passarela do Samba cresceu 5% neste carnaval, aponta pesquisa

06 março 2017 - 11h30Assessoria PMC

Entre 24 e 28 de fevereiro, o comércio no entorno da Passarela do Samba teve uma movimentação financeira 5% maior que em 2016. É o que mostra o levantamento realizado pela Secretaria Municipal de Indústria, Comércio e Produção Rural, juntamente com a Fundação da Cultura e Patrimônio Histórico de Corumbá.

O Relatório Sintético da Movimentação Econômica e Financeira coletou dados dos seguintes segmentos: blocos oficiais e independentes, comércio formal e informal que atuam na região da Passarela do Samba movimentaram R$ 1.677.554,08, enquanto no ano anterior, o mesmo levantamento apontou um movimento financeiro de R$ 1.598.620,52. “Isso significa que os foliões consumiram mais durante a festa, mesmo em um cenário de crise econômica”, explicou o secretário Municipal de Indústria, Comércio e Produção Rural, Renato Lima.

Foi o que percebeu os empresários Antônio Franco de Oliveira e Cleonice Vargas Mecias. O casal adquiriu uma barraca para venda de arroz na chapa e, pelo segundo ano consecutivo no Carnaval, percebeu a manutenção das vendas. “O movimento do Carnaval nos permite vender cerca de 30 kg de arroz por noite, é um pouco acima do que vendemos o ano passado”, concluiu Cleonice depois de ter vendido todo o estoque da noite.

Os blocos oficiais e independentes de Corumbá, juntos somaram R$539.775,00. Em seguida, o comércio informal, que leva em consideração as barraquinhas e os ambulantes, movimentaram R$488.182,45 na economia corumbaense. O comércio formal, entre bares e restaurantes, obteve R$426.306,38 nos dias de Folia de Momo. A festa também gerou empregos, sendo que a remuneração de postos de trabalho dos blocos oficiais e independentes somou-se R$223.290,25.

Parceiro na pesquisa, o diretor-presidente da Fundação Municipal da Cultura e Patrimônio Histórico, Luiz Mario Cambará, acredita que o aumento de 5% na movimentação econômica deu-se principalmente pelo crescimento dos ambulantes e das vendas de barracas. “Prova que o Carnaval além de aquecer a economia do município, gera emprego e renda com a informalidade e mão-de-obra das entidades carnavalescas”, observou.

Há cinco anos trabalhando nas noites de carnaval, Eduardo Santos convocou a família inteira para trabalhar no pólo gastronômico que funcionou na Avenida Delamare. “Cada um é responsável por uma barraca, minha mãe, eu e minha esposa. Por noite vendemos 450 espetinhos fora os lanches. Trabalhar no Carnaval é um investimento que sempre tem retorno para os negócios”, afirmou.

Para Renato Lima a amostragem é fundamental mostrar que o investimento feito pelo poder público tem retorno. “Mais uma vez o carnaval está dentro do nosso calendário de evento, nosso maior evento cultural. Não é só investimento, tem todo esse retorno que movimenta a economia local, fortalecendo mais uma vez a cidade como referência em eventos culturais”, disse Renato Lima.

“Não ganha só o turismo ou a cultura, ganha o comércio, o microempresário, o ambulante, a economia formal e informal. É muito gratificante para a secretaria mostrar que estamos fomentando e fortalecendo mais uma vez com o carnaval da nossa cidade”, ressaltou.

Diante dos dados, Cambará destaca não cabe mais o discurso que o Carnaval significa gasto de dinheiro público. “Deixou de ser isso há muito tempo. O dinheiro arrecadado no Carnaval com impostos e taxas públicas retorna para a educação, saúde, infraestrutura. Enfim, a festa é o melhor negócio econômico para nossa cidade. Todos ganham”, lembrou.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

COVID-19
Comissão rejeita proposta de inclusão de jornalistas, bancários e vigilantes em grupos prioritários
SAÚDE
SES autoriza municípios a vacinarem com a Pfizer adolescentes acima de 12 anos com comorbidades
POLICIAL
PRF apreende 450 mil maços de cigarro contrabandeados na Capital
GERAL
MPF aponta risco de desaparecimento de espécies no Rio Paraná
Rio Paraná Energia, empresa da holding China Three Gorges Corporation (CTG), é acusada de descumprir regras ambientais e levar à beira do desaparecimento peixes como Pintado e Dourado
SAÚDE
SES prepara distribuição das 70.160 doses de vacina contra a covid-19 em MS
GERAL
Fórum apresenta avanços do Plano Estratégico em MS
POLICIAL
PMA e Bombeiros resgatam ave em extinção ferida
GERAL
Contribuintes têm até o dia 3 de agosto aderir ao REFIS 2021
EDUCAÇÃO
Terminam hoje as inscrições do Encceja 2020 para privados de liberdade
GERAL
Homem fica ferido após queda de cavalo no Pantanal

Mais Lidas

POLICIAL
PM de Corumbá prende autores de roubo logo após o crime no Popular Nova
GERAL
Empresa irregular junto a ANTT monta guichê na rodoviária de Corumbá
POLICIAL
PM de Corumbá durante rondas recupera veículo furtado na área central
POLICIAL
Homem é preso por perturbação da tranquilidade no Cristo