Menu
quarta, 20 de janeiro de 2021
Andorinha Janeiro/Fevereiro
Andorinha Janeiro/Fevereiro Mobile
Geral

Motoristas de aplicativo auxiliavam presidiários em golpes por site de compras

16 junho 2020 - 09h44Gesiane Sousa

Associação criminosa formada por internos do sistema penitenciário de Mato Grosso do Sul, com atuação na prática de estelionato e receptação pelo site de comércio eletrônico popular OLX, foi desarticulada por equipe do DECO (Delegacia Especializada de combate ao crime Organizado), da Polícia Civil do estado.

Agindo há aproximadamente um ano em Campo Grande, com cerca de 358 Boletins de Ocorrência registrados por vítimas de golpes em oferta e negociação de produtos diversos, por meio do site da OLX, a DECO identificou os internos do Centro de Triagem da capital que encabeçavam a ação criminosa. A estrutura envolvia apoio de motoristas de aplicativo para desfecho do crime, tendo pleno conhecimento de que estavam associados a internos custodiados na AGEPEN e que os produtos que auxiliavam a circular eram obtidos por meio de ação criminosa.

Com os golpes, os internos conseguiram adquirir criminosamente produtos diversos, desde pizzas, cestas básicas, cestas de café da manhã, buque de flores, kits de maquiagem, guitarras, contrabaixos, saxofones, teclados, violões, aparelhos telefônicos celulares, amplificadores, pedaleiras, caixas de som, notebooks, roçadeiras, motosserra, minimoto Cross, veículos e motocicletas dentre outros produtos, que após estarem em posse da organização, passavam novamente a ser negociados criminosamente com receptadores. O comércio clandestino de bens entre internos geralmente destinava a familiares, amigos e comparsas, contando sempre com o apoio de transporte e movimentação dos objetos por meio de motoristas de aplicativo.

A ação criminosa foi orquestrada pelo interno identificado pelas iniciais F. H.C., custodiado no Centro de Triagem de Campo Grande. Ele utilizava um telefone celular de número (67) 9280-7028 cadastrado junto a Operadora Claro, com dados obtidos fraudulentamente em torno de um pecuarista na região de Brasilândia (MS). O detento se cadastrou no site da OLX e utilizava dados falsos obtidos junto a internet para se passar como empresário do ramo de informática no Estado do Paraná. Ele interagia com as vítimas e negociava produtos utilizando a cobertura de que seria pecuarista do interior do Estado, e por estava fora da cidade teria que fazer o pagamento do produto através de transferência bancária. Um comprovante falsificado era enviado para as vítimas para simular o pagamento, os dados do comprovante eram manipulados para atender à necessidade da negociação.

Após as vítimas confirmarem o recebimento do comprovante, o interno explicava que, por não estar na cidade, mandaria um funcionário seu até o local indicado pelas vítimas para pegar o produto, ação essa que ficava a cargo dos dois motoristas de aplicativo identificados pelas iniciais A.P e P., que retiravam os produtos com as vítimas e encaminhavam até endereços indicados pelo interno, onde aguardavam a destinação até a revenda para os receptadores do sistema penitenciário.

Foram apreendidos pela DECO diversos objetos que apresentavam registros de boletim de ocorrência possibilitando contato e restituição às vítimas identificadas, bem como, vários produtos oriundos dos golpes que não apresentam registro de boletim de ocorrência e permanecem apreendidos na DECO aguardando manifestação de vítimas e demais documentações comprobatórias para que se possa desencadear as ações de Polícia Judiciária cabíveis nesse cenário.

Além do interno F. H. C., identificado como autor dos crimes de estelionato, ainda foram identificados como receptadores dos produtos oriundos de golpe no site OLX  mais seis internos, sendo apreendidos aparelhos celulares em posse de alguns deles que eram também utilizados na prática dos presentes delitos.

As diligências ainda estão em execução. Os envolvidos na organização criminosa serão  remoção transferidos para presídio considerado mais rigoroso. A Deco acredita que ainda há outros detentos a serem identificados.

Vítimas do esquema criminoso devem entrar em contato com a Unidade Especializada para as devidas orientações e formalidades através do telefone (67) 3323-6900.

Deixe seu Comentário

Leia Também

MEIO AMBIENTE
Onça resgatada em novembro no Pantanal com queimaduras, será solta em seu habitat
FRAUDE ELEITORAL
Ministério Público quer impugnação de candidatos do PRB em Ladário
COVID-19
Pandemia ainda não acabou: MS registra mais de mil casos em apenas um dia
GERAL
Batida de carro e moto deixa criança ferida no Popular Nova
POLICIAL
PRF recupera dois veículos em MS que seriam levados para a Bolívia
JUSTIÇA
Alexandre de Moraes nega HC para anular seis prisões e mandar Jamil Name para casa
p
ECONOMIA
Preço da gasolina começa o ano acima do valor registrado em todos os meses de 2020
Combustível está 19,5% acima da média do mês com preços mais baixos de 2020
DEFESA CIVIL
Com previsão de mais chuva, Defesa Civil orienta população que mora em áreas de risco
EDUCAÇÃO
Professores dão dicas para o segundo dia de provas do Enem
GERAL
MPT divulga nota técnica sobre medidas de proteção a trabalhadoras gestantes

Mais Lidas

POLICIAL
Empresário de MS é preso durante Operação da Polícia Civil contra crime organizado
SAÚDE
Servidora há 30 anos, Vitória aplicou primeiras doses da vacina contra COVID-19 em Corumbá
PRIMEIROS IMUNIZADOS
Corumbá e Ladário já tem os primeiros imunizados contra a Covid-19
GERAL
Justiça do Trabalho leva sinal de internet para guatós que vivem isolados no Pantanal