Menu
terça, 21 de setembro de 2021
Expresso Mato Grosso - Junho
Geral

Mesmo com mais de 200 mortes por coronavírus, MS e Campo Grande ignoram o isolamento social

17 julho 2020 - 15h06Midia Max

Mato Grosso do Sul e Campo Grande mantiveram as posições no ranking de isolamento social do Brasil do dia anterior e, na quinta-feira (16), fecharam, respectivamente, como o 3º pior Estado e a 2ª pior capital na estratégia de enfrentamento ao novo coronavírus (Covid-19).

Os números foram praticamente os mesmos da quarta-feira (15). Entre os Estados, Mato Grosso do Sul ficou atrás de Tocantins (taxa de 35,07%) e Goiás (36,66%), marcando 37,14%. Pernambuco, com 44,51%, teve o melhor resultado neste ranking.

Já Campo Grande repetiu a segunda posição com o pior isolamento do país, com taxa de 36,44%. Apenas Palmas (TO, 34,98%) teve um desempenho pior. Recife (PE) cravou taxa de 47,92%, a melhor entre as capitais –seguida de perto por Porto Alegre (RS, 47,85%).

As taxas são medidas pela consultoria In Loco, a partir da movimentação do sinal de telefones celulares.

Tanto o Estado como a Capital vêm mantendo baixas taxas de isolamento social à medida que a contaminação por Covid-19 avança: boletim desta sexta-feira (17) acusou 15.805 casos positivos da doença no Estado, acréscimo de 475 em relação ao fechamento anterior (221 novos infectados apenas em Campo Grande, onde ocorreram 53 dos 203 óbitos registrados até aqui).

Como não há vacina ou medicamento que tenha a eficácia contra o coronavírus comprovada cientificamente, autoridades de Saúde recomendam o isolamento social como melhor estratégia para conter a alta de contaminação –ao não sair de casa, a pessoa deixa de ficar vulnerável ao vírus ou não pode passá-lo adiante.

Contudo, para ser eficaz, a estrategia deve contar com adesão de 50% a 60% da população, pelo menos, marca dificilmente atingida por Mato Grosso do Sul ou Campo Grande.

Já entre os municípios do Estado, Juti, com 51,9%, e Japorã, com 50%, registraram os maiores isolamentos sociais do Estado; com Terenos (47,7%), Alcinópolis (46,3%) e Iguatemi (46%) na sequência.

No outro extremo, Sete Quedas cravou apenas 24,4% de taxa de isolamento, seguida de Batayporã (25,3%), Vicentina (29,4%), Glória de Dourados (31,6%) e Paranhos (31,8%). A taxa de Campo Grande, entre as cidades de Mato Grosso do Sul, foi a 18ª pior.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
Brasil quer atrair mais investimentos privados, diz presidente na ONU
21 de setembro
Incêndios continuam e Corumbá não tem motivo para celebrar o dia da árvore
Mudança no prazo
Saúde mantém vacinação para adolescentes em MS
Dados Estatísticos
Índices de criminalidade apresentam queda em Mato Grosso do Sul
Limpeza
Nos dias 22 e 23 tem ação de combate à dengue no bairro Cravo Vermelho
Evento Virtual
Semana Temática do Empreendedorismo acontece nos dias 28, 29 e 30 de setembro
Crime
Concen pede ação da Polícia Civil no combate ao furto de fios de energia em MS
Maratona
Prorrogadas inscrições para o Hackathon IFMS
Naviraí
Casal preso por tráfico de aves silvestres recebe multa de R$ 2,5 milhões da PMA
243 anos
Corumbá celebra aniversário com retomada de desenvolvimento

Mais Lidas

Denúncia
Bar é fechado e proprietário é multado em R$ 5 mil por poluição sonora
Fronteira
Mulher presa com "cinturão de cocaína" receberia R$ 1.500 pela travessia
Oportunidade
Senac Corumbá abre inscrições para cursos na área da saúde
Tempo
Primavera terá La Niña de fraca intensidade, chuvas abaixo da média e muito calor