Menu
domingo, 14 de julho de 2024
Andorinha - 76 anos - Junho 2024
Andorinha - 76 anos - Junho 2024
Geral

Mesmo com mais de 200 mortes por coronavírus, MS e Campo Grande ignoram o isolamento social

17 julho 2020 - 15h06Midia Max

Mato Grosso do Sul e Campo Grande mantiveram as posições no ranking de isolamento social do Brasil do dia anterior e, na quinta-feira (16), fecharam, respectivamente, como o 3º pior Estado e a 2ª pior capital na estratégia de enfrentamento ao novo coronavírus (Covid-19).

Os números foram praticamente os mesmos da quarta-feira (15). Entre os Estados, Mato Grosso do Sul ficou atrás de Tocantins (taxa de 35,07%) e Goiás (36,66%), marcando 37,14%. Pernambuco, com 44,51%, teve o melhor resultado neste ranking.

Já Campo Grande repetiu a segunda posição com o pior isolamento do país, com taxa de 36,44%. Apenas Palmas (TO, 34,98%) teve um desempenho pior. Recife (PE) cravou taxa de 47,92%, a melhor entre as capitais –seguida de perto por Porto Alegre (RS, 47,85%).

As taxas são medidas pela consultoria In Loco, a partir da movimentação do sinal de telefones celulares.

Tanto o Estado como a Capital vêm mantendo baixas taxas de isolamento social à medida que a contaminação por Covid-19 avança: boletim desta sexta-feira (17) acusou 15.805 casos positivos da doença no Estado, acréscimo de 475 em relação ao fechamento anterior (221 novos infectados apenas em Campo Grande, onde ocorreram 53 dos 203 óbitos registrados até aqui).

Como não há vacina ou medicamento que tenha a eficácia contra o coronavírus comprovada cientificamente, autoridades de Saúde recomendam o isolamento social como melhor estratégia para conter a alta de contaminação –ao não sair de casa, a pessoa deixa de ficar vulnerável ao vírus ou não pode passá-lo adiante.

Contudo, para ser eficaz, a estrategia deve contar com adesão de 50% a 60% da população, pelo menos, marca dificilmente atingida por Mato Grosso do Sul ou Campo Grande.

Já entre os municípios do Estado, Juti, com 51,9%, e Japorã, com 50%, registraram os maiores isolamentos sociais do Estado; com Terenos (47,7%), Alcinópolis (46,3%) e Iguatemi (46%) na sequência.

No outro extremo, Sete Quedas cravou apenas 24,4% de taxa de isolamento, seguida de Batayporã (25,3%), Vicentina (29,4%), Glória de Dourados (31,6%) e Paranhos (31,8%). A taxa de Campo Grande, entre as cidades de Mato Grosso do Sul, foi a 18ª pior.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Aumento de Temperatura
Ecoa analisa recuo do fogo no Pantanal e alerta para risco de novos incêndios nos próximos dias
Madrugada
Morador de rua morre em noite com frio de -4ºC em bairro da Capital
Na Capital
MS abre Paralimpíadas Escolares com foco na inclusão e no poder do esporte em transformar vidas
Virtual
Iphan realiza oficina de divulgação do Prêmio Rodrigo no Mato Grosso do Sul
Operação Pantanal II
Forças Armadas montam base avançada para acolher 100 brigadistas no Pantanal de MT
Conscientização
Dia Mundial do TDAH: especialista fala sobre sintomas, diagnóstico e tratamento
Destaque
Senac MS recebe selo 'melhores empresas para se trabalhar' pela segunda vez
Aposta
Mega-Sena sorteia neste sábado prêmio acumulado em R$ 15 milhões
Meio Ambiente
Biólogos tentam salvar fauna ameaçada pelo fogo no Pantanal
Plantão
Bombeiros combatem incêndios em terrenos baldios de Corumbá e Ladário

Mais Lidas

Madrugada
Morador de rua morre em noite com frio de -4ºC em bairro da Capital
Tempo
Sábado amanhece nublado e com termômetros marcando mínima de 10°C em Corumbá
Corumbá tem máxima de 18°C
Publicado em Diário
TJMS reconhece legalidade na cobrança da Taxa do Lixo em Corumbá
1º de agosto
De caminhonete à sucata, leilão on-line vai oferecer 312 lotes em MS