Menu
quarta, 28 de julho de 2021
Expresso Mato Grosso - Junho
Expresso Mato Grosso - Promoção de Junho
Geral

Menor nível da história deixa rio Paraguai sem condições de navegabilidade

18 setembro 2020 - 12h33Redação Capital do Pantanal com informações do G1-MS

O período de estiagem tem provocado situação crítica no rio Paraguai. O nível de água está muito baixo e na última medição, feita nesta quinta-feira (17), estava em 0,27 centímetros, enquanto no mesmo período do ano passado, marcava 3 metros. Com isso, vários bancos de areia se formam pelo leito do rio, que fica sem possibilidades de navegação. 

Cantor foi para hotel da cidade. Foto: Reprodução redes sociais

Foi o que aconteceu com a embarcação que levaria o cantor sertanejo Eduardo Costa e outras pessoas para um passeio pelo Pantanal de Mato Grosso do Sul. "Estou em Corumbá para gravar o DVD Eduardo Costa no Pantanal. Infelizmente o barco que eu ia gravar teve um problema. Ele encalhou, infelizmente", disse o sertanejo nas redes sociais enquanto aguardava a embarcação ser desencalhada.

O passeio começaria na ontem mesmo, mas devido o acidente que ocorreu logo após o abastecimento,não foi possível seguir viagem. O dono da embarcação, Luís Roberto Barreto Sakamiti, disse que nunca tinha visto um cenário como este no rio, em 30 anos de trabalho com turismo na região.

Ainda ontem, um empurrador e outros dois barcos tentaram desencalhar a embarcação, mas não conseguiram. Hoje, um rebocador paraguaio conseguiu cunmprir a missão de desencalhar o barco que tem três pavimentos, 10 suítes, sala de leitura, academia de ginástica e tem capacidade para 15 tripulantes e 20 passageiros.

Segundo dados do Serviço Geológico do Brasil (CPRM), que monitora o nível do rio há 26 anos, o rio Paraguai está no menor nível da história. A falta de chuva contribui para este cenário. Sem a cheia, os campos pantaneiros não alagaram e a vegetação aquática secou e virou combustível para as chamas.

Medição desta quinta (17) registrou 0,27 centímetros, enquanto no mesmo período do ano passado, marcava 3 metros. Foto: Lucas Lelis/TV Morena

O Pantanal não vê uma se seca assim, tão severa há mais de 50 anos, segundo os pesquisadores da Embrapa Pantanal. E para quem navega por aqui a atenção precisa ser redobrada para não acabar batendo em bacos de areia e pedras pelo caminho.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Olímíadas
Tóquio: seleção brasileira vence a Arábia Saudita e avança às quartas
Calendário
Comprovação para a primeira chamada do Prouni termina hoje
Na Capital
Júri absolve assassino confesso por ele ter agido em "ato de desespero"
28 de julho
Dia do Agricultor: data valoriza papel dos trabalhadores rurais na economia
Com restrições
Visitas presenciais são retomadas a partir de 1º de agosto nos presídios de MS
Monitoramento
Ladário sai da bandeira vermelha e volta para laranja
Posicionamento
Com vacinação de profissionais da educação, volta às aulas presenciais é urgente
340 vagas
Matrículas para cursos de línguas do IFMS começam nesta quarta (28)
Retomada
Fundtur apresenta calendário de eventos para promoção online e presencial do turismo de MS
Ilumina Pantanal
Projeto leva energia solar para sete municípios e mais de 2 mil famílias no Pantanal

Mais Lidas

Em Corumbá
Receita Federal publica Edital para leilão de 82 lotes
Agressão
Homem é preso após arremessar cadeira contra esposa
Distribuição
Corumbá e Ladário recebem novas doses da vacina contra Covid
Novo Parceiro
Santhiago forma nova dupla e retorna para música