Menu
domingo, 17 de outubro de 2021
Andorinha - Setembro e Outubro
Andorinha - Outubro e Novembro - MOBILE
Geral

MEI inadimplente pode perder CNPJ a partir do próximo mês

21 agosto 2021 - 10h00Redação

Os Microempreendedores Individuais (MEI) têm até o dia 31 de agosto para regularizar sua situação junto à Receita Federal e evitar inscrição na dívida ativa. Segundo o último levantamento recebido pelo Sebrae da Receita Federal, em junho deste ano, 173.659 empresários sul-mato-grossenses eram adeptos do Simples Nacional, sendo que 81.095 estava com o pagamento em dia. Deste total, 53,30% estavam inadimplentes, ou seja, mais da metade. 
 
"Todo MEI que tem uma dívida e deixou de pagar os boletos, agora a Receita Federal, a partir do dia 31 desse mês, vai começar a incluir esse MEI na dívida ativa. O que é o agravante agora, se ele cair nessa dívida, ele poderá ser desenquadrado do Simples Nacional" afirma o analista-técnico do Sebrae/MS, Carlos Henrique de Oliveira. 
 
O Simples Nacional é um regime tributário facilitado e simplificado para micro e pequenas empresas, criado em 2006 para reduzir a burocracia e os impostos pagos pelos pequenos negócios. Ele unifica oito tributos em um só boleto – IRPJ, CSLL, PIS/Pasep, Cofins, IPI, ICMS, ISS e a Contribuição Patronal Previdenciária para a Seguridade Social (CPP).   
 
Carlos reforça, ainda, que o empreendedor que não regularizar sua situação junto à Receita Federal correrá o risco de perder todos os benefícios que já possui, “o MEI pode ser desenquadrado do Simples Nacional, tendo extintos seus benefícios como isenção de taxas e tributos”. 
 
Para quitação das dívidas, é necessário acessar o portal do Governo Federal (www.gov.br/MEI), onde é gerado o Documento de Arrecadação do Simples Nacional. O valor da dívida pode ser parcelado e o próprio portal disponibiliza o valor e a quantidade de parcelas a serem pagas. A partir disso, os juros deixam de ser gerados, desde que a primeira das parcelas seja paga até a data de seu vencimento.   
 
Também é possível fazer o procedimento por aplicativos, mas o portal fornece informações mais completas. Neste ponto, o analista-técnico do Sebrae/MS, Carlos Henrique de Oliveira, orienta os empreendedores a terem cuidado com fraudes e buscar pelos canais oficiais, seja no site ou aplicativo. “Cuidado com a pesquisa na internet e nos aplicativos, porque existem aplicativos que não são do governo e podem gerar problemas”, pontuou. 
 
Caso o MEI não regularize sua situação até a data limite, o que possivelmente acarretará na perda do CNPJ, as dívidas ainda existirão, sendo corrigidas por meio de multas e juros, aumentando ainda mais seu valor. Quem possui pendência com a Previdência Social é cobrado na Justiça e tem que pagar pelo menos 20% a mais sobre o valor da dívida para cobrir os gastos da União com o processo. Mais informações aos empreendedores pelo 0800 570 0800. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Tragédia
Médico do interior de SP é um dos sobreviventes de barco que naufragou; quatro parentes morreram
Atualizações
Dois dos corpos encontrados no rio Paraguai são identificados
Inédito
Tempestade de areia: Energisa recebeu 4 mil chamados em Campo Grande
Dia Mundial da Alimentação
Em MS, 69% da população está com excesso de peso e 36% com obesidade
Ensino Superior
UEMS investe mais de R$ 13 milhões em bolsas e auxílios para estudantes
Transporte
Expresso Queiroz tem autorização suspensa por incapacidade de atender passageiro
Defesa Civil
Tempestade de poeira e vendaval causaram estragos em pelo menos sete nos municípios
Cidade em alerta
Ventos de 64 km/h destelharam 20 casas em Corumbá
Previsão Meteorológica
Tempo continua fechado com chance de mais chuva para grande parte do Estado
Tragédia
Naufrágio no rio Paraguai deixou sete pessoas desaparecidas

Mais Lidas

Tragédia
Médico do interior de SP é um dos sobreviventes de barco que naufragou; quatro parentes morreram
Tragédia
Naufrágio no rio Paraguai deixou sete pessoas desaparecidas
Atualizações
Dois dos corpos encontrados no rio Paraguai são identificados
Cidade em alerta
Ventos de 64 km/h destelharam 20 casas em Corumbá