Menu
quinta, 30 de novembro de 2023
Andorinha - Novos ônibus - agosto 2023
Andorinha - Novos Ônibus - Agosto 2023
Geral

MEC autoriza aulas remotas em escolas e universidades enquanto durar a pandemia

10 dezembro 2020 - 10h59G1

O Ministério da Educação (MEC) homologou nesta quinta-feira (10) o parecer do Conselho Nacional de Educação (CNE) que permite as aulas remotas enquanto durar a pandemia.

A regra vale para todas as redes de ensino, em caráter excepcional, quando as aulas estiverem suspensas pelas autoridades locais ou quando não houver condições sanitárias.

Em entrevista ao G1 publicada na quarta-feira (9), a relatora do parecer no CNE, Maria Helena Guimarães de Castro, já havia dito que atividades remotas poderão integrar o currículo de escolas e universidades brasileiras por prazo indeterminado.

O texto do parecer cita os "sistemas de ensino federal, estaduais, distrital e municipais, bem como nas secretarias de educação e nas instituições escolares públicas, privadas, comunitárias e confessionais." Isso inclui a educação básica e o ensino superior.

Com a homologação, as redes de ensino passam a ter permissão de contar as aulas remotas como carga horária enquanto durar a pandemia. A regra vigente permitia essa equiparação até 31 de dezembro deste ano, e a tentativa era estendê-la até dezembro de 2021. O parecer homologado retirou a data limite.

Em entrevista ao G1, Maria Helena Guimarães de Castro afirmou que a retirada da data proposta anteriormente, para dezembro de 2021, foi feita a pedido do MEC.

"Foi um pedido do MEC, por uma razão jurídica. A data de 31 de dezembro de 2021 estava ancorada na medida provisória que estabelecia o estado de calamidade pública. Essa MP termina agora, no fim do ano", explica Castro.

"Com a atualização, as recomendações ficam sem data, mais flexíveis. As instituições estarão autorizadas a usar atividades remotas em caráter excepcional", afirma Maria Helena Guimarães de Castro.

Recentemente, o MEC publicou uma portaria determinando a volta às aulas presenciais em 4 de janeiro nas universidades públicas e privadas. A medida foi criticada. Dias depois, o MEC voltou atrás e alterou a data para 1º de março, desde que respeitada a situação epidemiológica de cada local.

Segundo a relatora, a recomendação continuará a mesma: que escolas e universidades se cerquem dos cuidados sanitários necessários e se esforcem para retomar as aulas presenciais. As atividades remotas poderão ocorrer de forma complementar ou definitiva, caso a pandemia exija que as instituições de ensino permaneçam fechadas.

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Prestação de Serviço
Servidores e aposentados do município já podem sacar salários de novembro
Publicação
Portaria federal reconhece emergência em municípios do Pantanal de MS
Turn Off
Aumenta lista de servidores estaduais exonerados por corrupção
Meio Ambiente
Pantaneiros consideram Lei do Pantanal um avanço para manter bioma preservado
Termina dia 4
Últimos dias de inscrições em cursos para jovens e adultos no IFMS
Eleição
Sindicato das indústrias metalmecânicas de MS elege nova diretoria para o quadriênio 2023/27
Na Câmara
Audiência na Câmara é sugerida para debater políticas públicas direcionadas a causa animal
Segurança
Presídios de Corumbá completam um ano sem fugas após implantação de grupamento
Pioneiro
MS desenvolve o 1º Plano Estadual de Economia Criativa do País
Insalubre
Transbordo municipal funciona em condições precárias e vereadora cobra reforma urgente

Mais Lidas

Apropriação indevida
Ortopedista de Corumbá é condenado a 7 anos por embolsar R$ 155 mil em verba pública
Preso
Mulher denuncia companheiro após descobrir abuso contra a filha menor
Homem teria mostrado os órgãos sexuais para menina por pelo menos duas vezes
Tecnologia
Aplicativo Para Ver Conversas Do WhatsApp de Outra Pessoa
Oportunidade
IFMS abre 14 vagas para professores substitutos; há vagas para Corumbá