Menu
quarta, 20 de janeiro de 2021
Andorinha Janeiro/Fevereiro
Andorinha Janeiro/Fevereiro Mobile
Geral

Marun considera situação política de Puccinelli inviável: ‘André não é mais candidato, é uma perseguição’

03 agosto 2018 - 09h42Página Brazil

O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun (MDB) afirmou que após a prisão do ex-governador André Puccineli, as eleições de Mato Grosso do Sul estão maculadas por perseguição judiciário, ao até então pré-candidato do partido. Para ele, “[a justiça] já interferiu no processo eleitoral. o André não é mais candidato. As nossas alianças já se foram e todo mundo batendo palma como se nada tivesse acontecido”. As declarações foram feitas na manhã desta sexta-feira (03) em entrevistas para o reportagem do Página Brazil e rádio Capital 95 FM.

Defensor ferrenho do governo e partido em nível nacional, não poderia ser diferente no âmbito regional. Contundente, Marun reforçou a inocência de Puccinelli e o erro das decisões judiciais que o acusaram. “É absurda a decisão que mantém hoje o André preso, dividindo cela com mais de 20 pessoas”. E justificou salientando a vida sem luxos que o ex-governador tinha e por isso não poderia possuir algo ilícito no apartamento investigado. “O André mora no mesmo apartamento há 30 anos. Apartamento humilde, que não tem espaço para guardar suas coisas. Encontraram o que dentro desse quitinete? O que André poderia estar escondendo dentro desse quitinete, meu deus”.

“O ANDRÉ É UM RISCO PARA SOCIEDADE? POR QUE ESSA PRISÃO PREVENTIVA?”

MDB nas eleições de MS

O discurso de Carlos Marun focou na interferência equivocada da justiça no processo eleitoral. Ao comentar a situação do partido após a prisão de Puccinelli, o ministro relatou a perda de força, projeto e parcerias. “O MDB vive um momento difícil. Nossa candidata é a Simone Tebet. Ela está preparada, é um grande quadro, mas obviamente não discutiu alianças, temos uma campanha curto. É uma situação extremamente difícil”.

“As eleições de Mato Grosso do Sul deveriam ser adiadas”, afirmou o ministro, que a todo momento remetia a uma intromissão judicial ilícita na vida política de Puccinelli. Na noite de ontem (02), representantes do MDB reuniram-se na residência do senador Waldemir Moka para rearticular um projeto de campanha e governo com Simone Tebet após os ocorridos. “Ela está preocupada e o partido está preocupado”.

“ELE NÃO É MAIS CANDIDATO. PORQUE NÃO CONFIA MAIS NO PROCESSO”

Prisão de André

O ex-governador foi preso preventivamente na manhã do dia 20 de julho e encaminhado ao Centro de Triagem Anízio Lima, localizado no Complexo Penitenciário do Jardim Noroeste. André Puccinelli Júnior, filho do ex-chefe do Executivo também sofreu o mesmo processo do pai.

Deixe seu Comentário

Leia Também

COVID-19
Pandemia ainda não acabou: MS registra mais de mil casos em apenas um dia
GERAL
Batida de carro e moto deixa criança ferida no Popular Nova
POLICIAL
PRF recupera dois veículos em MS que seriam levados para a Bolívia
JUSTIÇA
Alexandre de Moraes nega HC para anular seis prisões e mandar Jamil Name para casa
p
ECONOMIA
Preço da gasolina começa o ano acima do valor registrado em todos os meses de 2020
Combustível está 19,5% acima da média do mês com preços mais baixos de 2020
DEFESA CIVIL
Com previsão de mais chuva, Defesa Civil orienta população que mora em áreas de risco
EDUCAÇÃO
Professores dão dicas para o segundo dia de provas do Enem
GERAL
MPT divulga nota técnica sobre medidas de proteção a trabalhadoras gestantes
GERAL
Comando do 6º Distrito Naval abre inscrições para concurso de nível superior
GERAL
INSS: prova de vida de aposentados é suspensa até fevereiro

Mais Lidas

POLICIAL
Empresário de MS é preso durante Operação da Polícia Civil contra crime organizado
SAÚDE
Servidora há 30 anos, Vitória aplicou primeiras doses da vacina contra COVID-19 em Corumbá
PRIMEIROS IMUNIZADOS
Corumbá e Ladário já tem os primeiros imunizados contra a Covid-19
GERAL
Justiça do Trabalho leva sinal de internet para guatós que vivem isolados no Pantanal