Menu
sexta, 03 de dezembro de 2021
Agrinho
Mobile - Andorinha Dezembro
Geral

Marcelo Odebrecht será ouvido em ação do TSE contra chapa Dilma-Temer

22 fevereiro 2017 - 15h00Agência Brasil

O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Herman Benjamim autorizou hoje (22) o depoimento do empresário Marcelo Odebrecht, um dos delatores da Operação Lava Jato, na ação em que o PSDB pede a cassação da chapa Dilma-Temer. A oitiva deve ser realizada no dia 1º de março, às 14h30, na sede do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR), em Curitiba. Marcelo Odebrecht está preso na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, desde junho de 2015, em função das investigações.

Em dezembro de 2014, as contas da campanha da então presidenta Dilma Rousseff e de seu companheiro de chapa, Michel Temer, foram aprovadas com ressalvas, por unanimidade, no TSE. No entanto, o processo foi reaberto porque o PSDB questionou a aprovação, por entender que há irregularidades nas prestações de contas apresentadas por Dilma. Segundo entendimento do TSE, a prestação contábil do presidente e do vice-presidente é julgada em conjunto.

A campanha de Dilma Rousseff nega qualquer irregularidade e sustenta que todo o processo de contratação das empresas e de distribuição dos produtos foi documentado e monitorado. No início do mês, a defesa do presidente Michel Temer sustentou no TSE que a campanha eleitoral do PMDB não tem relação com os pagamentos suspeitos. De acordo com os advogados, não se tem conhecimento de qualquer irregularidade no pagamento dos serviços.

Outros depoimentos

A decisão de Herman Benjamin foi tomada após a homologação dos acordos de delação de 77 investigados ligados à Odebrecht. Segundo o ministro," houve depoimentos relacionados à campanha eleitoral da chapa Dilma-Temer em 2014".

Além de Marcelo Odebrecht, também deverão prestar depoimento Cláudio Melo Filho e Alexandrino de Salles Ramos, dois ex-executivos da empreiteira que também assinaram acordo de delação.

As oitivas foram autorizadas pelo relator da Operação Lava Jato no STF, ministro Edson Fachin, e pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, chefe da força-tarefa de procuradores da operação.

De acordo com Fachin, os depoimentos de delatores que figuram nos processos criminais da Lava Jato no TSE não violam os termos de sigilo do acordo. Para Janot, estão entre as obrigações dos delatores prestar informações em processos que tramitam em outras áreas da Justiça, como a eleitoral.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Geral
Receita Federal leiloa 475 quilos de prata em Corumbá
Política
Empossado Paulo Duarte diz que vai atuar em defesa do meio ambiente
Cidades
Vereador sugere abertura de canteiro  para melhor fluidez do trânsito
Contrabando
PRF apreende 600 mil maços de cigarros contrabandeados
Chuvas intensas  
Vereador reforça necessidade de  limpeza e manutenção das galerias na cidade
Operação FO M'ALE II
Operação da Federal cumpre cinco mandados de prisões e 11 de busca em Corumbá
Tempo
Sexta será de forte calor e possibilidade de chuva isolada em MS
Corumbá tem máxima prevista de 32 ºC, segundo o Inmet
Educação
Prazo para solicitar reaplicação do Enem termina hoje
Candidato tem até as 23h59 para fazer pedido na Página do Participante
Saúde
Ministério confirma cinco casos da variante Ômicron no Brasil
Saúde
Mutirão da Dengue começa no bairro Centro América nesta sexta

Mais Lidas

Sobrecarga
Operação da PF mira na travessia de cocaína pelas estradas do Pantanal de Corumbá
Fiação Elétrica
Princípio de incêndio destrói materiais em gráfica na Porto Carreiro
Na Câmara
Vereador cobra mais rigor na fiscalização de eventos clandestinos
Em ronda
Homem é preso por porte ilegal de arma no bairro Nova Corumbá