Menu
segunda, 15 de julho de 2024
Andorinha - 76 anos - Junho 2024
Andorinha - 76 anos - Junho 2024
Geral

Liminar cai e governo tem 20 dias para negociar retomada de obra do Aquário

22 janeiro 2016 - 12h38Gesiane Medeiros
A liminar que suspende a obrigatoriedade da empresa Egelte a retomar as obras do Aquário do Pantanal está suspensa por um prazo de 20 dias. A suspensão aconteceu após audiência informal entre a Egelte e o governo do Estado, convocada pelo TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) para esta quinta-feira (21). O objetivo da suspensão é encontrar um meio termo entre a exigência da empresa - que é retomar a obra somente após uma auditoria na obra - e do governo - que quer a retomada imediata. A suspensão pode ser prorrogada, caso uma das partes solicitar. De acordo com o titular da Seinfra (Secretaria Estadual de Infraestrutura), Ednei Marcelo Maglioli, durante a audiência ficou acertado que no prazo de 20 dias, Egelte e Seinfra irão fazer uma visita técnica para averiguar a situação da obra e, a partir daí, estabelecer diálogo entre as partes, já que uma auditoria, conforme exige a Egelte, iria requerer mais tempo. Muglioli também destacou que os entraves da obra são cerca de R$ 1,4 milhão negativos que a medição de junho de 2015 constatou, ou seja, o dinheiro foi utilizado, mas não se detectou o que foi feito com ele. Muglioli também falou que, conforme o contrato, quem assume a responsabilidade do dinheiro é a empresa que venceu a licitação, no caso, a Egelte. "Mas isto será amplamente discutido durante esses 20 dias de visita técnica", destacou. No entanto, a Egelte rebate a responsabilidade, já que na ocasião da licitação, em 2011, durante a gestão de André Puccinelli (PSDB), foi preterida em nome da Proteco, de João Amorim Krampe.  

'Quase pronta'

De acordo com o secretário, o levantamento da obra aponta que faltam apenas de 4% a 5% para que o Aquário seja finalizado. "O que resta são mais os acabamentos e as instalações. Se chegarmos a um consenso e a Egelte retomar a obra, será possível adotar um novo cronograma sem grandes atrasos. Porém, se não houver acordo, a obra atrasará mais ainda, pois teremos que convocar a próxima colocada da licitação, fazer novo contrato e ainda teremos mais gastos", disse, sem revelar prazos e valores. De acordo com o despacho que será anexado pelo TJ ao processo, não foi determinada data para nova audiência, uma vez que, nos próximos 20 dias, as partes estabelecerão dialogo. Como há a possibilidade de dilação de prazo da suspensão, é possível que nos próximos 20 de forma a sensibilizar a empresa, que se mostra irredutível em relação a retomar a obra sem uma auditoria.       Texto do Midiamax  

Deixe seu Comentário

Leia Também

Aumento de Temperatura
Ecoa analisa recuo do fogo no Pantanal e alerta para risco de novos incêndios nos próximos dias
Madrugada
Morador de rua morre em noite com frio de -4ºC em bairro da Capital
Na Capital
MS abre Paralimpíadas Escolares com foco na inclusão e no poder do esporte em transformar vidas
Virtual
Iphan realiza oficina de divulgação do Prêmio Rodrigo no Mato Grosso do Sul
Operação Pantanal II
Forças Armadas montam base avançada para acolher 100 brigadistas no Pantanal de MT
Conscientização
Dia Mundial do TDAH: especialista fala sobre sintomas, diagnóstico e tratamento
Destaque
Senac MS recebe selo 'melhores empresas para se trabalhar' pela segunda vez
Aposta
Mega-Sena sorteia neste sábado prêmio acumulado em R$ 15 milhões
Meio Ambiente
Biólogos tentam salvar fauna ameaçada pelo fogo no Pantanal
Plantão
Bombeiros combatem incêndios em terrenos baldios de Corumbá e Ladário

Mais Lidas

Madrugada
Morador de rua morre em noite com frio de -4ºC em bairro da Capital
Tempo
Sábado amanhece nublado e com termômetros marcando mínima de 10°C em Corumbá
Corumbá tem máxima de 18°C
Operação Pantanal II
Forças Armadas montam base avançada para acolher 100 brigadistas no Pantanal de MT
Plantão
Bombeiros combatem incêndios em terrenos baldios de Corumbá e Ladário