Menu
sexta, 14 de maio de 2021
Andorinha - Maio
Andorinha - Maio
Geral

Justiça nega pedido de Azambuja para concluir obras de aquário sem licitação

27 março 2018 - 07h53Correio do Estado

Foi julgado improcedente pelo juiz, David de Oliveira Gomes Filho, o pedido de homologação do acordo extrajudicial feito entre o governo do estado, Ministério Público Estadual (MPE) e Tribunal de Contas (TCE), solicitando autorização para contratar empresas que terminarão as obras no aquário do Pantanal, sem processo de licitação.

A informação foi confirmada nesta segunda-feira (26) e o magistrado justificou sua resposta, questionando que não existe a certeza de que a obra será concluída ainda na atual administração, sem contar que é um empreendimento que já resultou em ação de improbidade administrativa contra terceiros. 

"Contudo, nada impede que o próprio Poder Executivo assuma as despesas de contratação das empresas, a fim de finalizar a obra, visto que é responsabilidade da administração pública. Além disso, a homologação do documento seria um compartilhamento de responsabilidades justamente com os órgãos de fiscalização e de julgamento de eventuais irregularidades. Desta forma, a aprovação da homologação se mostra totalmente inviável", observa. 

SOBRE O PEDIDO

O pedido de homologação tinha objetivo de autorizar a Agesul a realizar contratação de uma empresa, para execução de obras de engenharia civil e outra, para a execução do sistema de suporte à vida, ambas com dispensa de licitação  e através de empreitada por preço global, pelos valores de R$ 27.569.539,34 e de R$ 11.204.906,11, respectivamente. 

Na justificativa do pedido está que a desistência das empresas anteriormente contratadas e a recusa da licitante perdedora em assumir a obra - em função do tempo - colaboraram para o perecimento da estrutura existente e dos animais já adquiridos e mantidos no local. 

A urgência na conclusão da obra exige a agilidade na contratação das empresas, já que um processo licitatório demoraria em torno de oito meses, agravando os danos já causados pelo abandono do aquário e aumentando os custos para finalização do projeto. 

A assessoria do Governo do Estado informou que até o momento não recebeu notificação sobre a decisão do Tribunal de Justiça (TJ/MS). 

Em nota retorno, a  Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos (Agesul) informou que aguarda a publicação para determinar como irá agir juridicamente neste caso, uma vez que a questão só tem validade após publicação.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE
Lote com 5,7 milhões de doses de vacinas começa a ser distribuído
POLÍTICA
Iunes aceita convite do Podemos
VOLUNTARIADO
Confeiteiros Solidários realizam Campanha do Agasalho para o Voluntários no Caminho
POLICIAL
PF prende quatro pessoas e apreende 180 kg de cocaína em MS
GERAL
Em Corumbá condutor tem veículo removido por transporte clandestino
GERAL
Detentas bolivianas em Corumbá recebem assistência de Consulado
ESPORTE
Curso de "Treinamento Esportivo no Contexto Escolar" vai ser realizado de 28 a 30 de maio
EDUCAÇÃO
Inep define cronograma do Censo Escolar da Educação Básica 2021
ESPORTE
Bia Cavassa visita Secretaria Nacional do Esporte e busca apoio para MS
GERAL
Bia Cavassa e vereadores visitam sede da Sudeco

Mais Lidas

OPERAÇÃO PRAÇA DA INDEPENDÊNCIA
PF cumpre mandado de prisão em empresários e funcionários da prefeitura de Corumbá
INCÊNDIO
Bombeiros combatem incêndio em residência no Cristo Redentor
GERAL
Homem fica ferido após colisão de motos
OPERAÇÃO INDEPENDÊNCIA
Operação Independência apreende arma de fogo e uma pessoa é presa