Menu
quarta, 20 de janeiro de 2021
Andorinha - campanha dezembro
Andorinha - Dezembro
Geral

Justiça nega pedido de Azambuja para concluir obras de aquário sem licitação

27 março 2018 - 07h53Correio do Estado

Foi julgado improcedente pelo juiz, David de Oliveira Gomes Filho, o pedido de homologação do acordo extrajudicial feito entre o governo do estado, Ministério Público Estadual (MPE) e Tribunal de Contas (TCE), solicitando autorização para contratar empresas que terminarão as obras no aquário do Pantanal, sem processo de licitação.

A informação foi confirmada nesta segunda-feira (26) e o magistrado justificou sua resposta, questionando que não existe a certeza de que a obra será concluída ainda na atual administração, sem contar que é um empreendimento que já resultou em ação de improbidade administrativa contra terceiros. 

"Contudo, nada impede que o próprio Poder Executivo assuma as despesas de contratação das empresas, a fim de finalizar a obra, visto que é responsabilidade da administração pública. Além disso, a homologação do documento seria um compartilhamento de responsabilidades justamente com os órgãos de fiscalização e de julgamento de eventuais irregularidades. Desta forma, a aprovação da homologação se mostra totalmente inviável", observa. 

SOBRE O PEDIDO

O pedido de homologação tinha objetivo de autorizar a Agesul a realizar contratação de uma empresa, para execução de obras de engenharia civil e outra, para a execução do sistema de suporte à vida, ambas com dispensa de licitação  e através de empreitada por preço global, pelos valores de R$ 27.569.539,34 e de R$ 11.204.906,11, respectivamente. 

Na justificativa do pedido está que a desistência das empresas anteriormente contratadas e a recusa da licitante perdedora em assumir a obra - em função do tempo - colaboraram para o perecimento da estrutura existente e dos animais já adquiridos e mantidos no local. 

A urgência na conclusão da obra exige a agilidade na contratação das empresas, já que um processo licitatório demoraria em torno de oito meses, agravando os danos já causados pelo abandono do aquário e aumentando os custos para finalização do projeto. 

A assessoria do Governo do Estado informou que até o momento não recebeu notificação sobre a decisão do Tribunal de Justiça (TJ/MS). 

Em nota retorno, a  Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos (Agesul) informou que aguarda a publicação para determinar como irá agir juridicamente neste caso, uma vez que a questão só tem validade após publicação.

Deixe seu Comentário

Leia Também

GERAL
Justiça do Trabalho leva sinal de internet para guatós que vivem isolados no Pantanal
SAÚDE
Vacinação contra a covid-19 já teve início em quase todo o país
CLIMA
Chuva forte e volumosa e temporais em SC, no PR, em MS e em SP
CULTURA
Sesc Corumbá abre inscrições para cursos de música, dança e pintura à distância
POLICIAL
Empresário de MS é preso durante Operação da Polícia Civil contra crime organizado
SAÚDE
Servidora há 30 anos, Vitória aplicou primeiras doses da vacina contra COVID-19 em Corumbá
COVID-19
MS ultrapassa a marca de 2,7 mil mortes e 152 mil casos confirmados de coronavírus
PRIMEIROS IMUNIZADOS
Corumbá e Ladário já tem os primeiros imunizados contra a Covid-19
GERAL
Casa tem princípio de incêndio após vela de altar derreter
GERAL
Corpo de Bombeiro captura jacaré que estava andando na rua em Ladário

Mais Lidas

POLICIAL
Empresário de MS é preso durante Operação da Polícia Civil contra crime organizado
SAÚDE
Servidora há 30 anos, Vitória aplicou primeiras doses da vacina contra COVID-19 em Corumbá
PRIMEIROS IMUNIZADOS
Corumbá e Ladário já tem os primeiros imunizados contra a Covid-19
GERAL
Justiça do Trabalho leva sinal de internet para guatós que vivem isolados no Pantanal