Menu
sexta, 22 de outubro de 2021
Andorinha - Setembro e Outubro
Andorinha - Outubro e Novembro - MOBILE
Geral

Judiciário e parceiros promovem ações para proteção infantojuvenil

12 outubro 2021 - 05h30Gesiane Medeiros

Em defesa dos direitos das crianças, o Poder Judiciário tem realizado diversas ações que, com o apoio da rede protetiva, estão voltadas também para a sensibilização e conscientização da sociedade. A importância de envolver a todos para garantir o desenvolvimento saudável e seguro nos primeiros anos de vidas de cada brasileiro e brasileira é realçada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). 
 
Uma das medidas mais recentes, aprovada há uma semana do Dia das Crianças, celebrado neste 12 de outubro, é a recomendação para que os tribunais e demais componentes do Sistema de Justiça divulguem os canais de denúncia contra a violência infantojuvenil. Segundo a relatora, a conselheira Tânia Regina Silva Reckziegel, o envolvimento da rede protetiva "amplia o alcance dessas medidas para torná-la mais eficazes". 
 
A orientação é que os tribunais de todo o país disponibilizem em suas páginas oficiais e nos mandados judiciais os canais de denúncia e combate à violência infantil, com a finalidade de informar a população sobre os meios e caminhos para comunicar perigos e violências contra crianças e de adolescentes. De acordo com a relatora, a iniciativa atende ao imperativo de que o Judiciário proponha, desenvolva e implemente também medidas não judiciais de garantia de direitos. "É claro que as medidas judiciais sempre serão necessárias, mas, por vezes, elas não conseguem atuar previamente para evitar a ocorrência de danos à integridade física ou emocional de crianças e adolescentes. Por isso, é de grande relevância o trabalho desenvolvido pelo CNJ." 
 
Segundo parecer do Fórum Nacional da Infância e da Juventude (Foninj), que baseou a recomendação, tais campanhas são urgentes e necessárias para a conscientização do papel da rede de apoio. Essa rede é formada pelos conselhos tutelares, pelas defensorias públicas, pelo ministério público, tribunais estaduais, delegacias de proteção à criança e ao adolescente, rede de ensino público e particular, igrejas, hospitais e postos de saúde, entre outros. A ideia é que, aumentando a capilaridade dessa divulgação por meio dos tribunais, o alcance seja maximizado, possibilitando a prestação de auxílio a uma quantidade maior de crianças e de adolescentes em situação de vulnerabilidade. 
 
Para a conselheira Tania Reckziegel, é um dever de todos - sem exceção - proteger crianças e adolescentes contra a violência infantil. "O ideal é que a campanha nos sites dos tribunais se torne permanente, pois, infelizmente, a violência infantojuvenil não cessa, sendo de fundamental importância a habitualidade na divulgação dos canais de comunicação para proteção de crianças e adolescentes." 
 
Pacto pela infância 
 
Outro sinal da importância da rede de apoio para efetivar as ações do Judiciário em favor da infância fomentadas pelo CNJ é o fortalecimento do Pacto Nacional pela Primeira Infância. No último ano, a iniciativa recebeu 157 novas adesões, resultando num total de 259 instituições signatárias na realização do projeto "Justiça começa na Infância: Fortalecendo a atuação do Sistema de Justiça na promoção de direitos para o desenvolvimento humano integral". Toda essa rede se envolveu nos seminários regionais, para fomentar o debate sobre a realidade local para os seis primeiros anos de vida das crianças. O último deles foi o da região Sul, realizado em agosto. 
 
Além disso, o Foninj premiou ações, projetos e programas voltados à garantia dos direitos das crianças e adolescentes, preconizados desde o artigo 227 da Constituição Federal. O Prêmio Prioridade Absoluta identificou boas práticas nos eixos protetivo e infracional, nas categorias Tribunal, Juízes Sistema de Justiça, Poder Público, Empresas e Sociedade Civil Organizada. 
 
Capacitação 
 
As ações continuam e a próxima agenda é o novo curso sobre Marco Legal da Primeira Infância, na modalidade autoinstrucional. São 11 mil vagas para pessoas que formam a rede protetiva, integrantes do Sistema de Garantia de Direitos da Criança e do Adolescente, como de conselhos tutelares, operadores e operadoras do Direito, profissionais da rede de serviços de Assistência Social, Cultura, Direitos Humanos, Educação, Habitação, Justiça, Saúde e Segurança Pública e organizações da sociedade civil, assim como pesquisadores, pesquisadoras, estudantes, funcionários e funcionárias de empresas privadas e pessoas com atuação voluntária em prol da primeira infância. 
 
A capacitação, que será realizada entre os dias 25 de outubro e 30 de dezembro, tem o objetivo de disponibilizar conhecimentos normativos, científicos e técnicos em prol da implementação do Marco Legal da Primeira Infância (Lei 13.257/2016), que preconiza a atuação integrada para a garantia do direito ao desenvolvimento integral das crianças na primeira infância. 
 

Conheça o conteúdo programático do curso e saiba como se inscrever 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Região Central
PM prender autor de furto e recupera objetos
Outubro Rosa
Bia Cavassa faz doação em apoio a campanha Lenço Solidário
Colônia do Bracinho
Pantaneiro denuncia construção de barragem no Rio Taquari
11.817 mil testes analisados
Estudo da Janssen na região de fronteira mostra eficácia de 50% da vacina e redução de 90% em óbitos
Oportunidade
Inscrições abertas para concurso público de procurador do Estado, com salário de R$ 25 mil
Agenda Política
Presidente Regional do Democracia Cristã visita cidades do interior de MS
Retomada da Economia
Setor de bares e restaurantes aumenta as contratações e retoma movimento
246 quilos de cocaína
Dracco assume investigação da queda do helicóptero do tráfico em Ponta Porã
Dois brasileiros foram presos
Denunciado por participação no roubo de aeronaves em Aquidauana é preso na Bolívia
Imunização
Veja quem pode se vacinar contra Covid em Corumbá nesta quinta e sexta

Mais Lidas

Qualificação
Ministério da Educação anuncia formação para professores da educação infantil
Previsão Meteorológica
Tempo fica firme, mas nova frente fria promete mais chuva para o final de semana
Acidente de Trânsito
Mulher sofre fratura na perna em queda acidental de moto
Destaque
Vereador pede fim do toque de recolher e do uso de máscara em ambientes abertos