Menu
sábado, 24 de julho de 2021
Expresso Mato Grosso - Junho
Expresso Mato Grosso - Promoção de Junho
Geral

Jovem é morto e tem mãos decepadas por “Justiceiros da Fronteira”

30 maio 2018 - 10h29Campo Grande News

“Justiceiros da Fronteira. Voltamos”. Essa é a mensagem escrita em um cartaz sujo de sangue deixado ao lado do corpo de Eduardo Córdoba Aquino, cidadão paraguaio de 21 anos. O corpo foi encontrado na manhã desta quarta-feira (30) ao lado da BR-463, no município de Ponta Porã.

Eduardo foi executado e teve as mãos decepadas, método adotado por grupos de extermínio que por muitos anos agiram na região de fronteira com o Paraguai para indicar que o morto era ladrão ou assaltante.

O corpo com os pés amarrados e um corte profundo na nuca foi deixado enrolado em um plástico azul. As mãos estavam ao lado do corpo. De acordo com a Polícia Civil, o cadáver foi achado perto de um ponto de concentração de caminhoneiros em greve.

Um dos caminhoneiros informou aos policiais que por volta de 03h30 da madrugada de hoje avistou um carro nas proximidades, mas não soube descrever características do veículo.

“Aviso geral: La cidadania pidió y volvimos. Estamos para la justiça de la cidadania, ya no robo y assaltos em la fronteira. Att. Justiceiros de la Fronteira. Volvimos... No mas robos em la fronteira”, era a mensagem escrita em espanhol no cartaz.

Em tradução livre, o cartaz diz: “A cidadania pediu e voltamos. Estamos para a justiça da cidadania, sem roubos e assaltos na fronteira. Assinado: Justiceiros da Fronteira. Voltamos”.

Segundo a polícia, no local também foram encontrados uma máscara, duas algemas e um relógio. A suspeita é que o rapaz tenha sido morto em outro local e o corpo jogado na beira da estrada, perto do distrito de Sangua Puitã.

O “Justiceiros da Fronteira” é um grupo de exterminadores que existe há vários anos na Linha Internacional, com atuação principalmente em Pedro Juan Caballero.

O grupo estava nas sombras há algum tempo, mas voltou a agir, segundo moradores da região, após o aumento de roubos e furtos em Pedro Juan e Ponta Porã. Esses crimes aumentaram nas cidades-irmãs após a expansão das facções criminosas que se instalaram na fronteira para controlar o tráfico de drogas.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Seguiriam para Bolívia
Dois veículos que seriam atravessados para Bolívia são recuperados
Mais tempo
Exame toxicológico na emissão de CNH tem prazo ampliado para utilização do laudo
Empreendedorismo
Cinco erros que o empresário deve evitar no Marketing e Vendas
Imunização
Sábado tem vacinação contra Covid até 12h no drive do Poliesportivo
Investigaçã
Famosos em MS, grupos de venda estão 'recheados' de produtos roubados
Saúde
Anvisa suspende estudos clínicos da Covaxin no Brasil
Sorte
Mega-Sena pode pagar R$ 7 milhões no sorteio deste sábado
Cidade Tranquila
Operação conjunta combate crimes fronteiriços em Corumbá e Ladário
Tempo
Ar seco e quente pode marcar o sábado em Mato Grosso do Sul
Acidente
Motociclista fratura clavícula após perder controle em lombada

Mais Lidas

Sem contrato
Santa Casa de Corumbá perde serviço de Urologia
Investigação
Caso Maria Stella Coimbra: jovem teria fotografado documento do suposto estuprador
Acidente
Motociclista fratura clavícula após perder controle em lombada
Município
Decreto prorroga por mais 14 dias medidas para diminuir contaminação pela Covid-19