Menu
sexta, 05 de março de 2021
Geral

Índice que reajusta contratos de aluguel tem alta de 11,49% em 12 meses

30 agosto 2016 - 09h46Agência Brasil

O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M), calculado pela Fundação Getulio Vargas (FGV), registrou alta de 11,49%, nos últimos 12 meses, segundo dados divulgados hoje (30). No acumulado de 2016, a variação foi de 6,25%. Em agosto, o IGP-M ficou em 0,15%, pouco abaixo do registrado em julho (0,18%). O IGP-M é calculado com base nos preços coletados entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês de referência. O índice é usado para o reajuste de contratos de aluguel em todo o país.

A taxa de variação do Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) foi de 0,04% em agosto, enquanto em julho ficou em -0,01%. O índice relativo aos Bens Finais variou 0,15% em agosto e, em julho, 1,41%. Contribuiu para este recuo o subgrupo alimentos processados, cuja taxa de variação passou de 3,00% para 0,27%. Excluindo-se os subgrupos alimentos in natura e combustíveis para o consumo, o índice de Bens Finais acusou variação de 0,22%. Em julho, a taxa foi de 1,22%.

O índice do grupo Bens Intermediários variou -0,36% e em julho foi de 0,28%. O principal responsável foi o subgrupo materiais e componentes para a manufatura (0,29% para -0,76%). O índice de Bens Intermediários, calculado após a exclusão do subgrupo combustíveis e lubrificantes para a produção, variou -0,50%, ante 0,27%, em julho.

Índices com variação

O índice do grupo Matérias-Primas Brutas variou 0,34%, em agosto. Em julho, o índice teve variação de -1,96%. Os itens que mais contribuíram para o movimento foram milho em grão (-11,19% para 5,27%), minério de ferro (-9,17% para 3,21%) e laranja (-4,50% para 5,12%). Em sentido oposto, destacam-se soja (em grão) (-3,68% para -8,51%), bovinos (0,59% para -1,70%) e café (em grão) (4,99% para -0,20%).

Segundo a FGV, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) registrou variação de 0,40% em agosto ante 0,29%, em julho. Das oito classes de despesas que compõem o índice, seis acusaram acréscimo nas taxas de variação. A principal contribuição partiu do grupo Alimentação (0,44% para 0,66%).

Também tiveram elevação os grupos Transportes (-0,04% para 0,27%), Saúde e Cuidados Pessoais (0,67% pra 0,76%), Educação, Leitura e Recreação (0,62% para 0,83%), Comunicação (0,16% para 0,39%) e Vestuário (-0,07% para 0,07%). No sentido contrário aparecem os grupos Habitação (0,13% para 0,01%) e Despesas Diversas (0,58% para 0,10%).

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) fechou em agosto comvariação de 0,26%, abaixo do resultado de julho: 1,09%. O índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços teve variação de 0,26%. No mês anterior, a taxa havia sido de 0,12%. O índice que representa o custo da Mão de Obra acusou taxa de 0,26%. No mês anterior, este grupo variou 1,93%.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

BOLETIM COVID
SES registra 23 novos óbitos por Covid, e MS já acumula 3.416 vidas perdidas
GERAL
Senadora Soraya Thronicke lembra que aprovação da PEC Emergencial também vai salvar vidas
POLÍTICA
Brasil passa a fazer parte do Protocolo de Nagoia sobre biodiversidade
PMA
Arrendatário e agrônoma são autuados em R$ 50 mil por uso de licença ambiental falsificada
SAÚDE
Com mais doses, Corumbá abre vacinação para idosos a partir de 76 anos
INCÊNDIO
Consultório Odontológico pega fogo no Maria Leite
POLICIAL
Polícia Militar de Corumbá prende homem por violência doméstica no Dom Bosco
CULTURA
Dia Nacional da Música Clássica celebra o legado de Villa-Lobos
ECONOMIA
Indústria brasileira cresce 0,4% de dezembro para janeiro
DETRAN
Número de CNHs emitidas pelo Portal Meu Detran cresce 45%

Mais Lidas

GERAL
Ministério Público denuncia servidores de Ladário por corrupção passiva
POLICIAL
Adolescente infratora é presa no bairro Maria Leite
ACIDENTE DE TRÂNSITO
Colisão de carro e moto deixa mulher ferida no Maria Leite
GERAL
Bombeiros continuam buscas por homem desaparecido na região do Paiaguás