Menu
quinta, 04 de março de 2021
Governo do Estado - Campanha de Março
Geral

Gaeco investiga deputados após gravação de aúdio sobre fraude de ponto

01 novembro 2016 - 10h40Correio do Estado
Paulo Correia (esquerda) e Felipe Orro. Foto: Correio do Estados

Conversa gravada em que o deputado Paulo Corrêa (PR) orienta o colega Felipe Orro (PSDB) a fraudar folha de ponto de servidores da Assembleia Legislativa é assunto de investigação do Grupo Armado de Repressão ao Crime Organizo (Gaeco). A promotora Cristiane Mourão é responsável pela apuração.

Segundo a assessoria do Ministério Público Estadual afirmou nesta terça-feira, a apuração está sob sigilo e, por isso, a promotora não informou de onde partiu a denúncia, se do próprio pastor que repassou o caso ao MP de Maracaju ou se dos próprios promotores da cidade.

Nenhuma informação sobre a investigação será repassada para a imprensa, conforme o MP, em razão do sigilo. A expectativa é que tanto o pastor que é dono do celular por meio de onte a conversa foi gravada quanto os deputados sejam chamados para depoimento.

O CASO

Na última sexta-feira (28), o Portal Correio do Estado publicou o áudio com exclusividade. São mais de 3 minutos de conversa, ocorrida em julho de 2015 e que só veio à tona agora, em que Paulo orienta o colega a criar uma folha de ponto fictícia para que nenhuma irregularidade envolvendo funcionários que recebem sem trabalhar seja descoberta. Confira a conversa na íntegra no fim da matéria.

A reportagem apurou que a ligação vazou porque Orro usou celular emprestado de um pastor para retornar ligação a pedido de Corrêa, em junho do ano passado. Na época, Orro estava em Maracaju e conversou com o colega que estava no gabinete da Assembleia em Campo Grande.

O pastor afirma que o celular possuía aplicativo de gravação de ligações em razão de ameaças que sofria há alguns anos. Nesta semana, o pastor decidiu denunciar a situação ao Ministério Público Estadual (MPE) de Maracaju e o áudio acabou vazando.

Por meio de nota, Felipe Orro informou que todos os servidores que ele possui em seu gabinete são contratados legalmente. " Ajustes no controle de frequência foram e estão sendo feitos para atender a demanda de transparência da Lei e da sociedade".

Presidente da Assembleia, Junior Mochi (PMDB) disse, também por meio de nota, que a Casa possui rigoroso controle de presença dos funcionários e que está disposta a tomar medidas para não se afastar do compromisso da transparência.

Paulo Corrêa ainda não se manifestou sobre o caso e prometeu dar alguma declaração nesta terça-feira.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BOLETIM COVID
O mês começa com média de 6 mortes por Covid a cada 24 horas
SAÚDE
MS é o estado que mais aplicou as duas doses da vacina contra a Covid-19
GERAL
Ministério Público denuncia servidores de Ladário por corrupção passiva
GERAL
Bombeiros continuam buscas por homem desaparecido na região do Paiaguás
CONSUMIDOR
Vereador pede relatório ao Procon sobre processos, multas e empresas penalizadas em 2020
ESPORTE
Fluminense estreia no Carioca de olho na final da Copa do Brasil
ECONOMIA
Governo adia para dia 31 reinício de bloqueio e suspensão de benefício
OPORTUNIDADE
Máscara + Renda já beneficiou mais de 1.900 costureiras em todas as regiões do país
RECONHECIMENTO
Câmara vai prestar homenagem às corumbaenses pelo Dia Internacional da Mulher
ACIDENTE DE TRÂNSITO
Colisão de carro e moto deixa mulher ferida no Maria Leite

Mais Lidas

GERAL
PMA realiza trabalhos de orientação sobre minhocas em casas de iscas no MS
ABANDONO
Ladário sofre com descaso e abandono das autoridades municipais
INFRAÇÃO ADMINISTRATIVA
PMA autua morador de Corumbá por transporte ilegal de pescado
GERAL
Reinaldo Azambuja autoriza concurso público com 250 vagas para Polícia Civil