Menu
sexta, 18 de junho de 2021
Andorinha - Maio
Andorinha - Maio
Geral

Fundtur e IPF MS farão estudo inédito sobre a cadeia do turismo em MS

02 março 2021 - 08h23Portal do Governo de MS

Demonstrar as interligações setoriais, geração de emprego, renda, tributos e as demandas do turismo de Mato Grosso do Sul, evidenciando oportunidades de negócios, simulações de impactos e a mensuração de perdas do segmento durante a pandemia. Esses são alguns dos objetivos do Termo de Colaboração assinado entre a Fundação de Turismo de MS (Fundtur MS) e o Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento da Fecomércio MS (IPF MS). Esse estudo, com toda metodologia e proposta, é inédito no país.

O Termo de Colaboração foi assinado pelo presidente do Sistema Fecomércio MS, Edison Araújo, diretor-presidente da Fundtur, Bruno Wendling, e a economista do IPF MS, Daniela Dias, juntamente com a superintendente da Fecomércio, Valmira Carvalho, e o diretor regional do Senac MS, Vitor Mello.

“Temos mais de 50 atividades econômicas relacionadas ao turismo, conforme informações da Confederação Nacional do Comércio (CNC)”, afirma Edison Araújo. “Em MS, essas atividades são responsáveis por mais de 4 mil estabelecimentos e 20 mil empregos. Logo, se faz urgente detalhar esse setor, levantar dados estatísticos e produzir relatórios voltados à elaboração da matriz insumo-produto para alavancar esse segmento, ainda mais neste momento de pandemia, e auxiliar o empresário na tomada de decisões com dados”.

O diretor-presidente da FundturMS, Bruno Wendling, afirma que estudos apontam queda no faturamento do setor em mais de 70% só no ano passado. “Foi um dos que mais sentiram os reflexos negativos da Covid-19, com a suspensão das atividades e em meio ao distanciamento social. Com o início da vacinação, iniciamos o momento de pós-pandemia e precisamos ter as ferramentas e conhecer os insumos corretamente para uma recuperação mais acelerada. Entender o encadeamento das atividades turísticas, como elas se comportam, seus impactos diretos e indiretos, informação qualificada para atração de novos investimentos são fundamentais para alavancar o setor”.

Para a economista do IPF MS, Daniela Dias, que vai conduzir os trabalhos, identificar e definir a importância da matriz insumo-produto (MIP), tal qual especifica o convênio, é muito importante. “Em meio a esse processo de retomada do turismo, a MIP se demonstra como uma ferramenta fundamental, por meio do auxílio à tomada de decisões, descobertas de potencialidades e na simulação de impactos de medidas pleiteadas ou a serem pleiteadas.”

Os trabalhos serão iniciados imediatamente e têm prazo para finalização de 12 meses. O resultado será disponibilizado no site da Fundtur.

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

COVID-19
Comissão rejeita proposta de inclusão de jornalistas, bancários e vigilantes em grupos prioritários
SAÚDE
SES autoriza municípios a vacinarem com a Pfizer adolescentes acima de 12 anos com comorbidades
POLICIAL
PRF apreende 450 mil maços de cigarro contrabandeados na Capital
GERAL
MPF aponta risco de desaparecimento de espécies no Rio Paraná
Rio Paraná Energia, empresa da holding China Three Gorges Corporation (CTG), é acusada de descumprir regras ambientais e levar à beira do desaparecimento peixes como Pintado e Dourado
SAÚDE
SES prepara distribuição das 70.160 doses de vacina contra a covid-19 em MS
GERAL
Fórum apresenta avanços do Plano Estratégico em MS
POLICIAL
PMA e Bombeiros resgatam ave em extinção ferida
GERAL
Contribuintes têm até o dia 3 de agosto aderir ao REFIS 2021
EDUCAÇÃO
Terminam hoje as inscrições do Encceja 2020 para privados de liberdade
GERAL
Homem fica ferido após queda de cavalo no Pantanal

Mais Lidas

POLICIAL
PM de Corumbá prende autores de roubo logo após o crime no Popular Nova
GERAL
Empresa irregular junto a ANTT monta guichê na rodoviária de Corumbá
POLICIAL
PM de Corumbá durante rondas recupera veículo furtado na área central
POLICIAL
Homem é preso por perturbação da tranquilidade no Cristo