Menu
terça, 16 de julho de 2024
Andorinha - 76 anos - Junho 2024
Andorinha - 76 anos - Junho 2024
Geral

Fumaça provocada pelas queimadas no Pantanal exige cuidados extras com a saúde

21 junho 2024 - 13h44Gesiane S. Lourenço

O clima está cada vez mais pesado para quem mora na região de Corumbá e Ladário. A presença de fumaça e fuligem, decorrente das queimadas no Pantanal, tem prejudicado as condições do ar e causado prejuízos à saúde dos moradores.

De acordo com o médico, Dr. Samir Mohamad Moussa, que atende no Pronto Socorro do Município, muitos pacientes tem chegado na rede pública com os mesmos sintomas. "Eles chegam reclamando de tosse seca, sensação de irritação na garganta, falta de ar, olhos irritados, rouquidão e dor na cabeça. A recomendação é aumentar a hidratação do corpo e lubrificar a região nasal com soro. Na piora dos sintomas, o ideal é que procure um médico".

Dr. Samir orienta sobre cuidados necessários. Foto: Arquivo Pessoal

Dr. Samir orienta que as pessoas devem evitar o contato com a fumaça e fuligem, princialmente as que já são diagnosticadas com problemas respiratórios, como a rinite. "Pais devem evitar deixar as crianças na rua, tenho atendido muitas crianças com crise de asma, que há mais de cinco anos não sofriam com os sintomas. Ao perceber cansaço e chiado no peito, já traga a criança para o atendimento médico", alerta.

Neste ano, temporada de incêndios no Pantanal iniciou com muita antecedência, no ano passado, o ponto mais severo das queimadas aconteceu no mês de setembro e, neste ano, junho ainda nem acabou, mas já registra números que superam os de 2020, quando o bioma registrou recorde de queimadas. As queimadas nos seis primeiros meses de 2024 já são 8% maiores em comparação com 2020. 

Consequências são incalculáveis

Além dos prejuízos à saúde, na esfera do meio ambiente, a destruição acontece em cadeia. De acordo com a bióloga, Ana Flávia Lima, autora de estudo sobre as queimadas no Pantanal, "a fuligem dos incêndios depositada na água, demanda na baixa de oxigênio no rio e dá inicio a decoada. As bactérias consomem o oxigênio da água do rio e decompõem a matéria orgânica, causando a morte de inúmeros peixes e animais marinhos", esclarece. 

Ana ainda destaca que a ação humana é o principal causador dessa destruição. "As pessoas ateiam fogo para limpar as pastagens e destruir materiais orgânicos, desatentos à condição seca do clima. Uma faísca é suficiente para causar incêndios devastadores". 

Receba as notícias no seu Whatsapp. Clique aqui para seguir o Canal do Capital do Pantanal.  

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

BR 262
PRF apreende 20 kg de maconha em carro que seguia para Campo Grande
Dança & Teatro
Espetáculo "Corpo que eu habito" faz estreia nacional em Corumbá no dia 20 de julho
Ensino Superior
UFGD abre inscrições para vestibular com 1.459 vagas em 38 cursos
Inscrições abertas
Editais oferecem oportunidade para alavancar ideias de negócio relacionadas ao Cerrado e Pantanal
Irônico
Desembargador que hasteou bandeira da monarquia no TJ assume a justiça eleitoral de MS
Futebol
Costa Rica perde por 1x0 e classificação fica para a última rodada
Empreendedorismo
Mato Grosso do Sul registra 19 mil novas formalizações no primeiro semestre de 2024
20ª edição
Amistoso da Diversidade é domingo em Corumbá
Nacional
Atraso em sistema informático paralisa saques do Fundo PIS/Pasep
Operação Pantanal 2024
Previsão de temperatura alta e queda na umidade do ar é alerta para novos incêndios

Mais Lidas

20ª edição
Amistoso da Diversidade é domingo em Corumbá
Operação Pantanal 2024
Previsão de temperatura alta e queda na umidade do ar é alerta para novos incêndios
Tempo
Corumbá registra 11°C pela manhã e pode atingir a máxima de 28°C nesta segunda-feira
Temperatura deve subir ao longo da semana
Inscrições abertas
Editais oferecem oportunidade para alavancar ideias de negócio relacionadas ao Cerrado e Pantanal