Menu
domingo, 25 de julho de 2021
Expresso Mato Grosso - Junho
Expresso Mato Grosso - Promoção de Junho
Geral

Fiéis e devotos levam São João para banhar nas águas do Rio Paraguai

Nem mesmo a pandemia abalou os devotos que mantiveram a tradição do banho do santo

24 junho 2021 - 06h00Mariana Conte

Fiéis e devotos de São João foram até o Porto Geral de Corumbá banhar o santo nas águas do Rio Paraguai. Ritual tradicional e único da Cidade Branca onde os festeiros querem agradecer a São João por alguma graça recebida, seja em função de promessas, por devoção ou por simpatia em relação ao Santo. Algumas famílias perpetuam a tradição mesmo que a promessa tenha sido feita há muitos anos e que já tenha sido cumprida.

Festeiros de todas religiões e crenças mesmo com restrições e normas de biossegurança desceram a Ladeira Cunha e Cruz até a prainha do Porto e banharam suas imagens a beira do rio reforçando que o que une catolicismo, espiritismo, umbanda, candomblé e outras religiões é a fé no bem.

Cada família ou fiel como já é a tradição decorou seu Santo e o andor e montaram um altar nas suas casas. Alguns festeiros como de costume também passaram o dia preparando comidas típicas como o arroz carreteiro e sarrabulho para distribuir para amigos e familiares mas sem aglomeração.

A festeira Dona Lucia Alves foi com a família banhar o seu andor, tradição que já acontece há mais de 40 anos e iniciou com seus avós. “Nesse momento difícil que estamos vivendo pedimos na beira do Rio a São João que cure a humanidade dessa pandemia. Tenho certeza que com fé e devoção vamos superar tudo isso e seguirmos mais unidos”, ressaltou.

Família de Dona Lucia há mais de 40 anos tem esse ritual de banhar o santo e realizar os festejos Foto: Mariana Conte

Dona Eliana Ortiz também desceu a ladeira Cunha e Cruz e banhou o santo da família. “Essa tradição foi passando de geração em geração e vamos sempre dar continuidade, porque acreditamos no poder de São João. Minha mãe quebrou o joelho ano passado e não estava andando, eu passei a água do rio batizada pelo santo e ela se curou, devido também a devoção que temos”, contou, ela ainda completou “Por isso esse ano pedimos a ele no ato do banho a cura para essa doença que assola o mundo. Que São João derrame benção, força e saúde para todos. Mas o mais importante é sempre mantermos a união porque ela faz a força do homem”, reforçou.

Dona Eliana disse que a fé em São João curou sua mãe Foto: Mariana Conte

O andor de uma das festeiras mais antigas da cidade, Dona Maria Paula da Silva que leva a tradição desde 1948 e que faleceu este ano aos 84 anos, foi levado na noite deste 23 de junho pela filha Rosana Lídia da Silva Pereira que está dando continuidade à festa.

“Por várias décadas minha mãe realizou sem deixar esvair essa tradição, vinda dos seus avós cacerenses, então para mim é uma honra continuar com o festejo”, comentou. Lídia.

Ela também pediu esse ano para São João muita fé e união a todos os povos. “Estamos vivendo momentos muito difíceis com essa pandemia, mas acredito que a força da fé vai alavancar tudo isso. Que a cura dessa doença chegue logo”, enfatizou.

Este ano devido a pandemia do Coronavírus os devotos realizaram o Banho de São João no dia 23 entre às 5h e 21h de forma individual ou com no máximo cinco acompanhantes, em um período máximo de 15 minutos. Também ficou mantida a necessidade de uso obrigatório de máscaras faciais. O Acesso à Prainha do Porto foi controlado pelos agentes da Agência Municipal de Trânsito e Guarda Municipal, membros do GFI (Grupo de Fiscalização Intensiva) e servidores da Fundação da Cultura e do Patrimônio Histórico.

Neste dia 24 de junho festeiros e devotos também podem banhar o santo dentro do horário estipulado e com as normas de biossegurança vigentes no decreto.

O ato do banho de São João representa a passagem bíblica do batismo de Jesus feito por João Batista, e a data, dia 24 de junho, é uma homenagem ao seu aniversário. 

Dizem também que caso a pessoa queira casar ou firmar o casamento, basta passar por baixo de sete andores e terá sorte no amor.

O tradicional banho de São João de Corumbá foi reconhecido como Patrimônio Cultural do Brasil, no dia 19 de maio deste ano, pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). A decisão em esfera federal veio mais de 10 anos após a festa ser reconhecida como símbolo imaterial de Mato Grosso do Sul.

Descida do andor da Dona Lídia na Ladeira Cunha e Cruz Foto: Capital do Pantanal

 

Família de Dona Lídia manteve a tradição e ainda preparou um saboroso arroz carreteiro, comida típica para os festejos de São João Foto: Capital do Pantanal
Andores se encontram Foto: Capital do Pantanal

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Seguiriam para Bolívia
Dois veículos que seriam atravessados para Bolívia são recuperados
Mais tempo
Exame toxicológico na emissão de CNH tem prazo ampliado para utilização do laudo
Empreendedorismo
Cinco erros que o empresário deve evitar no Marketing e Vendas
Imunização
Sábado tem vacinação contra Covid até 12h no drive do Poliesportivo
Investigaçã
Famosos em MS, grupos de venda estão 'recheados' de produtos roubados
Saúde
Anvisa suspende estudos clínicos da Covaxin no Brasil
Sorte
Mega-Sena pode pagar R$ 7 milhões no sorteio deste sábado
Cidade Tranquila
Operação conjunta combate crimes fronteiriços em Corumbá e Ladário
Tempo
Ar seco e quente pode marcar o sábado em Mato Grosso do Sul
Acidente
Motociclista fratura clavícula após perder controle em lombada

Mais Lidas

Seguiriam para Bolívia
Dois veículos que seriam atravessados para Bolívia são recuperados
Imunização
Sábado tem vacinação contra Covid até 12h no drive do Poliesportivo
Cidade Tranquila
Operação conjunta combate crimes fronteiriços em Corumbá e Ladário
Mais tempo
Exame toxicológico na emissão de CNH tem prazo ampliado para utilização do laudo