Menu
segunda, 15 de agosto de 2022
Governo - Utilidade Pública - Agosto/22
Andorinha Institucional
Geral

Fabricante de cimento não comparece em audiência pública e é criticada

29 junho 2022 - 13h43Assessoria Câmara Municipal

A ausência de representante do grupo Votorantim Cimentos S.A. foi bastante criticada ontem, terça-feira (28), na Câmara, durante a Audiência Pública para discutir o preço do cimento praticado em Corumbá, que está bem acima de outras cidades do Estado, apesar de ser fabricado no município corumbaense. 

A Audiência aconteceu no Plenário Dr. Léo de Medeiros Guimarães, da Câmara Municipal de Corumbá, por meio de uma iniciativa dos vereadores Nelsinho Dib e Chicão Vianna, aprovada pelos demais pares da Casa de Leis. 

Além dos dois proponentes, o ato contou com as presenças dos vereadores Roberto Façanha (presidente do Legislativo), Allex Dellas, Samyr Qualhada e Marcelo Araújo, além do diretor do Procon de Corumbá, Vital Miguéis; Adjalme Esnarriaga Junior, da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos; André Campos, presidente da Associação Comercial e Empresarial de Corumbá (ACIC), e Matheus Pereira Cazarin Silva, representando o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA) de Corumbá. 

O evento teve a participação ainda de representantes de estabelecimentos comerciais radicados na cidade e que atuam na área da construção civil, bem como moradores interessados no assunto, como Valéria Benedita, dona de casa e chefe de família, que está construindo o seu imóvel. 

Mas, o autor principal da Audiência Pública não participou. Encaminhou ofício, assinado Fernando Ferreira Alves Pereira, explicando que o grupo Votorantim Cimentos SA, agradecendo ao “convite desta Câmara Municipal”, mas que devido a “outros compromissos”, não teve tempo hábil para participar da audiência, e que “havendo outras dúvidas ou apontamentos, que sejam registrados por escrito e remetidos por ofício para que o grupo Votorantim possa colaborar com a discussão”. 

Falta de consideração

O vereador Chicão Vianna classificou a ausência como “uma falta de consideração, de respeito”, e que não foi por falta de tempo hábil, já que a audiência foi marcada já há algum tempo. Lembrou a diferença de preço de Campo Grande e outras cidades do Estado em relação a Corumbá; que a matéria prima é toda corumbaense; os danos causados no passado, inclusive à saúde da população e ao meio ambiente, devido às ‘chaminés’ que eram utilizadas na fabricação do produto, entre outras questões. 

“O que queremos saber é o porquê dessa diferença de preço que, na cidade, sai cerca de R$ 10,00 acima do valor praticado em Campo Grande. Além disso, a empresa disse que encaminhou resposta aos ofícios encaminhados. Eu não recebi nada”, reforçou. 

O vereador Nelsinho teve informações de que a diferença no preço se deve ao fato de que, enquanto a empresa vende 100 mil sacas para a Capital, Corumbá compra somente 10 mil, e que “é inconcebível nós aceitarmos essa diferença de preço”. 

CNPJ de Campo Grande

Um assunto que chamou a atenção durante as discussões foi levantado pelo vereador Samyr Qualhada. Enquanto no comércio local o saco de cimento com 50 quilos sai a R$ 44,00, ele fez uma compra a R$ 32,00, valor unitário. Disse ter adquirido o produto de uma pessoa que apresentou CNPJ de Campo Grande. 

O caso foi confirmado por representantes de lojas de materiais de construção, que também já foram procurados por uma pessoa, com CNPJ de Campo Grande, oferecendo o cimento a R$ 32,00, abaixo do que eles compram direto da fábrica. 

O presidente do Legislativo, Roberto Façanha, lamentou a ausência de representantes do grupo ao evento pra explicar tanto para os vereadores, como para a população corumbaense. Ele sugeriu inclusive ao Procon encaminhar um ofício à empresa, questionando o assunto, recorrendo inclusive à participação do Ministério Público Estadual no processo. 

Vital Miguéis afirmou que já esteve conversando com autoridades do Ministério Público Estadual nesse sentido, mas que o Procon, por tratar de causas ligadas diretamente ao consumidor, não tem como notificar a empresa para apresentar os preços, e que o MPE pode ser um aliado fundamental na questão. 

Matheus Cazarin, que representou o CREA, por ser proprietário de loja de material de construção, conhece muito bem o problema. Ele estava preparado para fazer algumas indagações à empresa, mas acabou frustrado com a ausência. 

O vereador Allex Dellas disse ter ficado estarrecido com a ausência de representantes da Votorantim. “Foi uma falta de compromisso da empresa com esta casa”. Mostrou indignação com o fato do valor praticado aqui, ser bem acima de outras cidades, por um produto fabricado em solo corumbaense. 

Allex, Roberto Façanha, Samyr Qualhada e Marcelo Araújo, reforçaram o bloco em busca de uma solução para o problema, e que a luta passa ser de todos os representantes do Legislativo corumbaense, e da sociedade de uma forma geral. 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Para usar drogas
Indivíduo furta celular da irmã e vende por R$ 20 reais
Na Câmara
Projeto de Lei pede inclusão de alunos com deficiência nas aulas de educação física da Reme
Em um táxi
Boliviano é preso com quase 15 quilos de cocaína na fronteira
Eleições 2022
Campanha eleitoral inicia amanhã; entenda regras para candidatos e partidos
Assistência Social
Caixa paga Auxílio Brasil a beneficiários com NIS de final 5
Corumbá
Comemoração de Dia dos Pais termina com briga entre famílias no bairro Cristo Redentor
Nove pessoas foram conduzidas para Delegacia; um homem precisou ser algemado e uma mulher precisou de pontos no Pronto Socorro
Operação Pesca Legal
PMA reforça vigilância aos cardumes e apreende petrechos ilegais de pesca
Tempo
Semana começa com máxima de 38°C no estado e previsão de virada de tempo amanhã
Corumbá tem máxima prevista em 37°C para esta segunda (15)
Próximo a Agesa
Boliviano é socorrido com fratura após colidir em caminhão na Ramon Gomes
Ladário
Inscrições abertas para a Escola de Futsal Pérola do Pantanal

Mais Lidas

Próximo a Agesa
Boliviano é socorrido com fratura após colidir em caminhão na Ramon Gomes
Destaque
Concursos públicos em Mato Grosso do Sul atraem candidatos de outros estados
Turismo
Requalificação da orla do Porto Geral terá investimento de R$ 87,4 milhões
Implantada
Maternidade de Corumbá ganha farmácia exclusiva