Menu
domingo, 17 de outubro de 2021
Andorinha - Setembro e Outubro
Andorinha - Outubro e Novembro - MOBILE
Geral

Exportações industriais de MS alcançam receita de US$ 2,16 bilhões em 7 meses

20 agosto 2020 - 07h58Ascom Fiems

Mesmo com a pandemia mundial do novo coronavírus (Covid-19), as exportações de produtos industrializados de Mato Grosso do Sul (MS) apresentaram de janeiro a julho deste ano o melhor resultado para os primeiros sete meses do ano da série histórica desse indicador industrial iniciada em 2008, conforme levantamento do Radar Industrial da Fiems.

De janeiro a julho deste ano, a receita com as vendas internacionais das indústrias locais alcançou US$ 2,16 bilhões, indicando aumento de 2,2% em relação ao mesmo período de 2019, quando ficou em US$ 2,11 bilhões. Conforme o coordenador da Unidade de Economia, Estudos e Pesquisas da Fiems, Ezequiel Resende, quanto à participação relativa, no acumulado do ano, a indústria respondeu por 61% de toda a receita de exportação de Mato Grosso do Sul.

O economista destaca que os grupos “Celulose e Papel” e “Complexo Frigorífico” continuam sendo responsáveis por 75% da receita de exportações do setor industrial, sendo 48% para o primeiro grupo e 27% para o segundo grupo, enquanto logo em seguida vêm os grupos “Óleos Vegetais” e “Extrativo Mineral”, com 11% e 4%, respectivamente.

Principais grupos

No caso do grupo “Celulose e Papel”, a receita no período avaliado alcançou US$ 1,03 bilhão, uma queda de 15% em relação ao período de janeiro a julho de 2019, que foram obtidos quase que na totalidade com a venda da celulose (US$ 1,02 bilhão). Os principais compradores foram a China, com US$ 594,35 milhões, Estados Unidos, com US$ 126,22 milhões, Itália, com US$ 77,63 milhões, Coreia do Sul, com US$ 37,43 milhões, Holanda, com US$ 33,29 milhões, e Reino Unido, com US$ 28,53 milhões.

Já no grupo “Complexo Frigorífico” a receita conseguida de janeiro a julho foi de US$ 593,27 milhões, um aumento de 5% em relação ao mesmo período de 2019, sendo que 46% do total alcançado é oriundo das carnes desossadas congeladas de bovino, que totalizaram US$ 272,72 milhões. Os principais compradores foram Hong Kong, com US$ 105,95 milhões, China, com US$ 95,80 milhões, Chile, com US$ 61,26 milhões, Arábia Saudita, com US$ 33,57 milhões, e Emirados Árabes Unidos, com US$ 28,50 milhões.

No grupo “Óleos Vegetais”, a receita conseguida de janeiro a julho foi de US$ 246,13 milhões, um aumento de 137% em relação ao mesmo período de 2019, sendo que 49% é oriundo dos bagaços e resíduos sólidos da extração do óleo de soja, somando US$ 119,56 milhões. Os principais compradores foram Holanda, com US$ 58,95 milhões, Indonésia, com US$ 40,74 milhões, Tailândia, com US$ 40,14 milhões, Índia, com US$ 24,16 milhões, Alemanha, com US$ 16,53 milhões, e Polônia, com US$ 15,12 milhões.

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Tragédia
Médico do interior de SP é um dos sobreviventes de barco que naufragou; quatro parentes morreram
Atualizações
Dois dos corpos encontrados no rio Paraguai são identificados
Inédito
Tempestade de areia: Energisa recebeu 4 mil chamados em Campo Grande
Dia Mundial da Alimentação
Em MS, 69% da população está com excesso de peso e 36% com obesidade
Ensino Superior
UEMS investe mais de R$ 13 milhões em bolsas e auxílios para estudantes
Transporte
Expresso Queiroz tem autorização suspensa por incapacidade de atender passageiro
Defesa Civil
Tempestade de poeira e vendaval causaram estragos em pelo menos sete nos municípios
Cidade em alerta
Ventos de 64 km/h destelharam 20 casas em Corumbá
Previsão Meteorológica
Tempo continua fechado com chance de mais chuva para grande parte do Estado
Tragédia
Naufrágio no rio Paraguai deixou sete pessoas desaparecidas

Mais Lidas

Tragédia
Médico do interior de SP é um dos sobreviventes de barco que naufragou; quatro parentes morreram
Tragédia
Naufrágio no rio Paraguai deixou sete pessoas desaparecidas
Atualizações
Dois dos corpos encontrados no rio Paraguai são identificados
Cidade em alerta
Ventos de 64 km/h destelharam 20 casas em Corumbá