Menu
quinta, 06 de maio de 2021
Governo - O Estado que cresce - Maio
Geral

Expedição científica no Amolar revela novas espécies da biodiversidade

09 março 2019 - 08h42Assessoria de imprensa Serra do Amolar

A partir da coleta de libélulas, moscas, moluscos e plantas medicinais do Pantanal de Corumbá, no Mato Grosso do Sul, pode haver o reconhecimento de novas espécies da biodiversidade e a produção de antibióticos para o controle de bactérias multirresistentes hospitalares e de células tumorais.

Os estudos serão feitos por pesquisadores da Universidade Federal do Paraná (UFPR), que coletaram o material durante expedição científica em fevereiro na Serra do Amolar, uma das regiões de maior biodiversidade do bioma.

Ao todo, 30 pesquisadores de diferentes regiões do Brasil participaram da primeira expedição científica organizada pelo Instituto Serra do Amolar. O objetivo foi apresentar a região para pesquisadores de instituições do país e de sociedades científicas, que fizeram reconhecimento e coleta de material para estudo e conservação da fauna.

“Foi possível coletar materiais que não existem em outro lugar do mundo, como a planta Cambará”, ressalta Chirlei Glienke, professora do Departamento de Genética da UFPR.

Novas espécies

As folhas da planta medicinal serão analisadas por docentes, mestrandos, doutorandos e estudantes de iniciação científica do Departamento. Segundo a professora Chirlei, os micro-organismos serão isolados e daqui a cerca de um ano devem produzir metabólicos secundários com atividade biológica como antibióticos e citotóxicos contra células tumorais.

Entre os resultados esperados estão novos compostos que podem ser explorados pela indústria farmacêutica para ajudar no tratamento de câncer e controle de bactérias multirresistentes hospitalares. Além disso, as linhagens entrarão nas coleções biológicas da UFPR e serão disponibilizadas na internet no projeto Taxonline.

“Trata-se também da conservação da biodiversidade do Pantanal”, acrescenta Chirlei.

As coletas dos grupos zoológicos de Odonata (libélulas), Diptera (moscas) e Mollusca (moluscos) também serão preparadas para depósito em coleções biológicas, identificação taxonômica e estudos em biodiversidade.

“Espécies novas poderão ser reconhecidas e descritas pela primeira vez para a Ciência”, diz Luciane Marinoni, professora do Departamento de Zoologia da UFPR e presidente da Sociedade Brasileira de Zoologia.

Patrimônio genético

A pesquisadora Luciane ressalta que as coleções biológicas são importantes para a preservação do patrimônio genético natural do Brasil. “Há material depositado em coleções que não existem mais na natureza. Ter esse material em coleções ajuda no controle de doenças, entendimento da história da natureza, reconhecimento de áreas de preservação e desenvolvimento da ciência”, enfatiza.

Segundo a professora, somente instituições que possuem reconhecida excelência em estudos em biodiversidade foram convidadas a participar da expedição científica. “Esse é um reconhecimento da UFPR como uma dessas instituições”, afirma Luciane.

Os pesquisadores da UFPR que participaram da expedição científica foram Luciane Marinoni, Ângelo Parise Pinto e Karla Campião, do Departamento de Zoologia; Chirlei Glienke, do Departamento de Genética; e Carlos Eduardo Belz, do Centro de Estudos do Mar.

Outras instituições

Participaram ainda representantes da Sociedade Brasileira de Zoologia, Sociedade Brasileira de Ictiologia, Sociedade Brasileira de Primatologia, Sociedade Brasileira de Malacologia, Sociedade Brasileira de Herpetologia, Instituto Butantan, Sociedade Brasileira de Entomologia, Sociedade Brasileira de Mastozoologia, Universidade de São Paulo (USP), Museu de Zoologia da USP, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Museu Nacional UFRJ, Instituto Butantan, Universidade de Campinas (Unicamp), Universidade Estadual de Maringá (UEM), Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS), Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Hospital Israelita Albert Einstein e Instituto Vital Brazil. Informações divulgadas pela assessoria de imprensa da instituição.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

GERAL
MS recebe 50,5 mil doses da Astrazeneca do Ministério da Saúde
GERAL
PMA de Corumbá recebe doação de viatura da Vale para uso na fiscalização no Pantanal
SAÚDE
Prefeitura leva atendimento médico de rotina para o Porto Esperança
POLICIAL
Jovem é preso com 483 unidades de maconha no Cristo Redentor
POLICIAL
PMA apreende mais três tigres d'água em chácara
COVID-19
Vereador reforça necessidade de imunizar trabalhadores do CAC contra a Covid
ECONOMIA
Trabalhadores nascidos em maio podem sacar auxílio emergencial
POLICIAL
PRF apreende mais de 1,5 tonelada de maconha em MS
CIDADE
Vereador solicita informações sobre estágio de projeto de reforma do antigo mercadão
SEMANA NACIONAL DAS COMUNICAÇÕES
Wi-Fi Brasil leva internet a mais de 13 mil pontos remotos do país

Mais Lidas

POLICIAL
Assaltante é preso em flagrante no bairro Popular Velha
CONTRABANDO
PRF apreende carga com prata na BR 262 avaliada em 2 milhões de reais
EDUCAÇÃO
Senac oferece desconto de 30% em cursos EAD em diversas áreas
APOIO A SAÚDE
Vale inicia nova parceria na região com o projeto Ciclo de Saúde Pantanal