Menu
quarta, 21 de outubro de 2020
Prefeitura 1
Prefeitura 2 mobile
Geral

Equipe de Médicos sem Fronteiras reforça atendimento da Covid no Presídio de Corumbá

18 setembro 2020 - 10h28Texteo da Agepen editado por Gesiane Sousa

O atendimento dos casos de Covid-19 entre os internos do presídio masculino de Corumbá, ganhou reforço da equipe da organização internacional Médicos sem Fronteiras (MSF), que devem permanecer na região até o dia 10 de outubro. Antes de iniciar os atendimentos, todos os detentos passaram uma avaliação do estado de saúde e, os riscos de contaminação dos servidores que atuam no local foram analisados.  

A parceria inédita atende pedido da Secretaria de Estado de Saúde (SES) e reforça as ações da equipe dos infectologistas Júlio Croda, Mariana Croda e Maurício Pompílio, que realiza atendimento constante dentro das unidades penais do estado, com foco no combate à proliferação do coronavírus.

Conforme Mariana Croda, a parceria foi buscada com o intuito de sanar as deficiências da assistência em relação ao Covid-19 para as populações vulneráveis, após a experiência junto à população indígena, foi solicitado o atendimento ao sistema prisional.

“Considerando a falta de equipe de saúde especializada para atuar no presídio de Corumbá, assim como, o aumento dos casos notificados, colocamos o município como área de maior fragilidade, uma vez que também apresenta a maior letalidade do Covid-19 em MS. Após uma visita de campo, fomos prontamente atendidos pela organização”, explica a especialista.

Com início este mês, as atividades também consistem no gerenciamento do fluxo de pessoas, levando orientação médica, assim como primeiros socorros psicológicos, recomendações relacionadas à água e saneamento, além de implementação de medidas de prevenção e controle de infecções.

Os cuidados médicos oferecidos por MSF em todos os seus projetos em mais de 70 países são gratuitos, de maneira que toda a logística e insumos é por conta da organização. Em Corumbá, os trabalhos estão sendo desenvolvidos por um médico, um enfermeiro e um técnico de enfermagem, que também estão monitorando os casos mais graves, de forma a impedir que o vírus se espalhe para fora da prisão.

De acordo com a coordenadora do Médicos sem Fronteiras realizado em Corumbá, Irene Huertas Martín, a previsão é que os trabalhos aconteçam até o dia 10 de outubro.

“Somos uma organização humanitária de emergência, nossa atuação é frequentemente pontual em um momento de crise. Vamos continuar avaliando as necessidades do sistema prisional do estado e a possibilidade de atender outras unidades penais, de acordo com os recursos disponíveis”, informou Irene, ressaltando que o projeto integra a Missão da Covid-19 no Brasil realizada pelo Médicos sem Fronteiras.

Atualmente, a organização também vem atuando em aldeias indígenas do município de Aquidauana, assim como, no Hospital Regional da cidade.

O diretor-presidente da Agepen, Aud de Oliveira Chaves, ressalta que o apoio recebido das instituições tem sido essencial para o enfrentamento à pandemia no sistema prisional do estado, principalmente pelo fato de o ambiente de encarceramento e o grande volume de pessoas no mesmo espaço ser um desafio a mais a ser enfrentado. “Esse reforço dos Médicos sem Fronteiras, aliado aos protocolos de prevenção já adotados, vai garantir um atendimento mais especializado aos reeducandos, priorizando a não proliferação do vírus", complementa.

Alem do atendimento, Médicos sem Fronteira ministram palestras preventivas a Covid-19. Foto: Divulgação Agepen

Acompanhamento de casos no presídio

A Agepen realiza o acompanhamento sistêmico da evolução da doença em casos detectados, bem como, toma todas as providências necessárias para contenção e prevenção de novos casos. Para isso conta com ação conjunta entre a Diretoria de Assistência Penitenciária, por meio da Divisão de Saúde e Trabalho Prisional; Secretaria Estadual e municipais de Saúde.

Dados do Comitê de Gestão e Acompanhamento das Medidas de Enfrentamento à Covid-19 nas unidades prisionais do estado, instituído pela agência penitenciária, apontam que no momento 154 custodiados seguem em tratamento para a doença no Estabelecimento Penal de Corumbá e outros 255 já estão curados. Em todo o Estado foram 1.647 registros positivos entre internos do sistema prisional, dos quais mais de 82% já recuperados.

Para o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, a contribuição dos Médicos sem Fronteiras está sendo muito importante para Mato Grosso do Sul, no apoio à população carcerária no município de Corumbá. “Essa organização humanitária tem feito um trabalho elogiável, principalmente, em Corumbá. Certamente, a história saberá reconhecer a participação dos Médicos sem Fronteiras no enfrentamento à Covid-19. Quero manifestar a minha gratidão, uma vez, que eles já nos atendem em outros municípios como em Aquidauana e Sidrolândia, colocando toda a sua estrutura com objetivo de evitar óbitos das populações mais vulneráveis”.

Quanto à parceria com a Agepen, Geraldo destaca que o Sistema Prisional de Mato Grosso do Sul tem sido um exemplo. “Somos o Estado que melhor fez o enfrentamento da Covid-19 no Sistema Prisional. O Estado, percentualmente, é um dos que tem a maior população carcerária do país, para tanto, essa parceria entre o sistema de saúde da Agepen com o sistema da Secretaria de Estado de Saúde e com os municípios, fez com que a gente pudesse ter uma boa performance no enfrentamento à Covid-19. Então, quero enaltecer essa parceria entre as duas equipes”.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Operação Ceuci
Extração de madeira e pecuária estão entre ilegalidades praticadas em área de reserva indígena em MS
Evento
Visita virtual a Feiras de Ciência e Tecnologia do IFMS segue até sexta-feira
Economia
Produção industrial de MS tem melhor resultado para o mês de setembro desde 2010
Atualização Covid-19
MS registra óbito de adolescente de apenas 15 anos na Capital por coronavírus
Infraestrutura
Mais uma obra é licitada para implantação do corredor rodoviário no Pantanal
Descumpriu medida protetiva
Homem é preso por violência doméstica e ameaça na zona sul
Geral
Donos de frigorífico admitiram ‘medo de cadeia’ no grupo da família
Variedades
As maiores loterias do mundo
Bolívia
“Eu não sou Evo”, afirma Luis Arce em resposta as críticas de que o ex-presidente terá cargo em seu governo
Dependência Química
Usuário tenta esfaquear a própria mãe para comprar drogas

Mais Lidas

Reflexão Crítica
Quem são os candidatos "invisíveis" no horário político de Corumbá
Região Central
Homem é preso em cumprimento a dois mandados de prisão
Tecnologia nas Eleições
E-Título passa a ter foto do eleitor e pode ser usado como documento oficial para votar
Atualização Covid-19
Corumbá registra 12 positivos nas últimas 24 horas