Menu
domingo, 18 de abril de 2021
Andorinha Fevereiro
Andorinha Fevereiro
Geral

Encontro discute em Corumbá o cotidiano da fronteira Brasil-Bolívia

28 junho 2017 - 13h34Redação

A oficina de trablaho, “Fronteiras do Brasil: uma avaliação do Arco Central” é realizada em Corumbá hoje e manhã (quarta e quinta, 28 e 29), na Unidade III do Campus do Pantanal da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) e, tem como objetivo levantar questões e hipóteses sobre o território e conhecer melhor a realidade regional e local, visando contribuir para a melhoria das políticas públicas sobre fronteiras. 

"Não tem como discutir fronteira em gabinetes, em Brasília. Temos que vir aqui conversar e conhecer a realidade. Esta é a terceira de uma série de quatro oficinas que estamos realizando. Vindo aqui, a gente traz questões e perguntas, não trazemos respostas e conclusões. Estamos para ouvir. A ideia é trazer atores diferentes da região para que nos ajudem nessa reflexão, para que possamos sair daqui com menos dúvidas. Com base nesse trabalho contribuir para melhorar políticas públicas ligadas ao programa de fronteira do Arco Central”, disse Bolívar Pêgo, pesquisador do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA).

Na programação estão previstas palestras que abordam questões relacionadas à defesa e as realidades econômica e social do Arco Central, que reúne municípios de fronteira dos estados de Rondônia, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, e trabalhos em grupo. Ainda para esta quarta-feira, dia 28, está prevista a apresentação do livro “Fronteiras do Brasil: diagnóstico e agenda de pesquisa para política pública”.

Para o último dia da oficina, na quinta-feira 29, os participantes acompanharão palestras sobre temas regionais e locais, como o desenvolvimento regional e as relações transfronteiriças do Arco Central. Os grupos de trabalho vão se dedicar a três eixos: economia e desenvolvimento, gestão urbana e integração entre os povos e defesa do território. Ao final serão apresentadas conclusões e sugestões de melhoria das políticas públicas.

Ainda estão previstas visitas a campo na zona de fronteira, dos lados brasileiro e boliviano, envolvendo o complexo urbano formando por Corumbá, Ladário, Puerto Quijarro e Puerto Suárez. Esta é a terceira de um total de quatro oficinas sobre fronteira que o Ipea e o Ministério da Integração Nacional realizam no âmbito da parceria técnica. A quarta e última, sobre o Arco Sul, será realizada em novembro deste ano na cidade de Uruguaiana (RS). Com informações do IPEA.

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

KIT INTUBAÇÃO
Cooperativa médica adota medidas emergenciais para otimizar uso de medicamentos em falta no mercado
GERAL
Presos brigam em cela e um acaba morto em presídio de MS
SAÚDE
Dia Mundial da Hemofilia: condição genética dificulta coagulação
UEMS
UEMS oferta 78 bolsas no valor de R$ 400 para Projetos de Ensino
SAÚDE
Com mais um drive thru na Praça CEU, Prefeitura retoma vacinação contra a Covid-19
GERAL
Dupla-Sena da Páscoa sorteia prêmio de R$ 30 milhões neste sábado
GERAL
Pandemia e isolamento aumentam procura por cultivo de plantas em casa
ECONOMIA
Prorrogação de imposto alivia orçamento de bares e restaurantes, avalia Abrasel
PANTANAL
Com mais de 50 programas, apresentador divulga belezas do Pantanal na TV
GERAL
Servidores da Agepen recebem primeira dose da vacina contra Covid-19

Mais Lidas

GERAL
Presos brigam em cela e um acaba morto em presídio de MS
PANTANAL
Com mais de 50 programas, apresentador divulga belezas do Pantanal na TV
CORONAVÍRUS
Coronavírus: variante P1 já é predominante em Mato Grosso do Sul
SAÚDE
Com mais um drive thru na Praça CEU, Prefeitura retoma vacinação contra a Covid-19