Menu
quarta, 24 de fevereiro de 2021
Andorinha Fevereiro
Andorinha Fevereiro
Geral

Em nove anos, MS fechou 30% dos leitos pediátricos

30 julho 2019 - 10h21Campo Grande News

Os hospitais de Mato Grosso do Sul fecharam 30% dos leitos pediátricos em nove anos. De acordo com o levantamento da SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria), em 2010, o Estado contava com 926 leitos para tratamento de crianças. O número caiu para 649, em 2019. Portanto, uma diferença de 277.

Apesar de contar com menos vagas pediátricas, as unidades privadas fecharam quase o mesmo número de leitos que o SUS (Sistema Único de Saúde). A rede pública contava em 2010 com 652 leitos e passou para 498 neste ano. Uma queda de 23,6%. Nos hospitais particulares, as vagas pediátricas caíram de 274 para 151. Logo, 45% de vagas fechadas.

Campo Grande perdeu mais da metade dos leitos pediátrico neste período. Em 2010, em 264 e passaram para 126 neste ano. A iniciativa privada foi a que mais fechou vagas caindo de 102 para 29. No SUS, as vagas reduziram de 162 para 97.

Nacional - A pesquisa foi feita em alusão ao Dia do Pediatra, comemorado em 27 de julho, e se refere a disponibilidade de recursos físicos dos serviços de assistência à criança e ao adolescente no País. O levantamento revelou que, nos últimos nove anos, o Brasil desativou 15,9 mil leitos de internação pediátrica, aqueles destinados a crianças que precisam permanecer no hospital por mais de 24 horas.

De acordo com os dados do CNES (Cadastro Nacional de Estabelecimento de Saúde), mantidos pelo Ministério da Saúde, em maio de 2010 o País dispunha de 48,8 mil leitos no SUS. Em 2019, o número baixou para cerca de 35 mil – uma queda aproximada de quatro leitos por dia.

Quem conta com um plano de saúde ou procura atendimento em unidades privadas também viu cair em 2.130 o número de leitos no mesmo período. Ao todo, 19 estados perderam leitos pediátricos na rede “não SUS”. São Paulo desponta com a pior queda: ao todo foram 762 unidades encerradas, seguido do Rio Grande do Sul (-251) e Maranhão (-217).

Sucateamento - Segundo a presidente da SBP, dra. Luciana Rodrigues Silva, as informações coincidem com o panorama de limitações e precária infraestrutura que se apresenta àqueles que diariamente atuam nos serviços de assistência pediátrica. “A queda na qualidade do atendimento tem relação direta com recursos materiais insuficientes. Essa progressiva redução no número de leitos implica obviamente em mais riscos para os pacientes, assim como demonstra o sucateamento que se alastra pela maioria dos serviços de saúde do País”, afirma.

De acordo com ela, entre os agravos que mais têm levado as crianças a precisar de internação estão as doenças respiratórias, com prevalência acentuada nos períodos de outono e inverno, como bronquiolites, crises de asma e pneumonias. Os problemas gastrointestinais, casos de alergias e as chamadas arboviroses, também de ocorrência sazonal, completam a lista que contribuem para o crescimento dessa demanda.

 Regiões e Capitais - No SUS, os estados das regiões Nordeste e Sudeste foram os que mais sofreram com a redução de leitos de internação: 5.314 e 4.279 leitos a menos, respectivamente. Em escala, surgem as regiões Sul (-2.442 leitos), Centro-Oeste (-1136) e Norte (-643).

São Paulo foi o estado que mais perdeu leitos de internação infantil entre 2010 e 2019. Neste intervalo de tempo, 1.583 leitos pediátricos foram desativados. Na outra ponta, apenas dois estados apresentaram números positivos no cálculo final de leitos SUS ativados e desativados nos últimos nove anos: Amapá, que saltou dos 182 leitos pediátricos existentes em 2010 para 237 no fim do ano passado; e Rondônia, foi de 508 para 517.

Entre as capitais, São Paulo lidera o ranking dos que mais perderam leitos na rede pública (-422), seguidos pelos fortalezenses (-401) e maceioenses (-328). Três capitais, apenas, conseguiram elevar a taxa de leitos, o que sugere que o grande impacto de queda tenha recaído sobre as demais cidades metropolitanas ou interioranas dos estados.

Deixe seu Comentário

Leia Também

COVID-19
Em apenas 24 horas, MS registra mais de mil novos casos de coronavírus
EDUCAÇÃO
Aulas nas escolas da REME de Corumbá começam em 1° de março com atividades não presenciais
NA PARTE ALTA
Na Câmara, vereador solicita recuperação de rua danificada pelas chuvas
POLICIAL
Caminhão de fundo falso é apreendido com 600 kg de maconha
POLICIAL
PRF apreende carro roubado na BR 262 e motorista foge
POLICIAL
Em Mato Grosso do Sul PRF apreende 430 Kg de maconha
EDUCAÇÃO
Prouni: prazo para confirmação de informações e matrícula termina hoje
SAÚDE
Corumbá conta com novo método de prevenção à infecção pelo HIV
SAÚDE
Mais médico dentro do Pronto Socorro é pedido de vereador
SAÚDE
Ministério da Saúde envia 300 mil agulhas e seringas à MS

Mais Lidas

ACIDENTE DE TRÂNSITO
Acidente deixa jovem ferido e condutor de carro boliviano foge do local
APREENSÃO
Ônibus é apreendido por irregularidades e descumprir normas de decreto municipal
ACIDENTE NA BR 262
Jovem fica ferido após ser arremessado por veículos na BR 262
IPVA
Contribuintes que perderam o prazo do pagamento do IPVA ainda podem se regularizar