Menu
quinta, 06 de maio de 2021
Governo - O Estado que cresce - Maio
Geral

Domingos critica contratação de OS para gestão da Santa Casa de Corumbá

28 março 2017 - 12h14Redação

A implantação de uma Organização Social (OS) para gerenciar a Santa Casa de Corumbá, está causando preocupação na cidade. O assunto foi levantado na sessão de segunda-feira, 27, na Câmara, pelo vereador e médico Domingos Albaneze Filho (PV). Ele ocupou a tribuna e de posse de um relatório do Hospital Regional de Ponta Porã, teceu sérias críticas ao modelo de gestão praticado na instituição hospitalar da cidade que faz fronteira com o Paraguai.

A assinatura do contrato para implantação de uma OS para gestão do hospital está senso ventilada pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Saúde. “Isto me preocupa”, disse o vereador que, até o final do ano passado, integrava a equipe que dirigia o hospital de Corumbá que está sob regime de intervenção.

“Se fosse implantada uma OS de ponta, de um Albert Einstein, por exemplo, seria excelente. No entanto, estão impostando a OS do Hospital Regional de Ponta Porã que já está apresentando problemas”, revelou, manuseando um vasto relatório do hospital pontaporanense, onde constatou problemas.

Uma situação levantada por Domingos se refere ao Wareline, um software de gestão integrada de saúde. “Quando ainda fazia parte da administração da Santa Casa, o Wareline nos custava R$ 6 mil por trimestre. Este relatório nos mostra que a OS do Regional de Ponta Porã para R$ 25 mil por mês, fora os R$ 720 mil que serão gastos na compra do programa”, denunciou.

O vereador informou que este assunto está causando preocupação não só da classe médica, mas também dos demais funcionários do hospital e de pacientes. “Pela minha vivência, experiência profissional, estou preocupado com a implantação dessa OS no hospital de Corumbá, com o que pode acontecer aqui”, disse.

O assunto foi amplamente debatido pelos demais vereadores, com todos mostrando preocupação com a situação. O vereador e também médico, Gabriel Alves de Oliveira (PMDB), afirmou que o Estado não pode implantar esta OS, pelo fato do hospital não ser público. “Ele está sob regime de intervenção. Como vão implantar uma OS dentro de uma instituição que é particular?”, questionou.

 

,

Deixe seu Comentário

Leia Também

GERAL
MS recebe 50,5 mil doses da Astrazeneca do Ministério da Saúde
GERAL
PMA de Corumbá recebe doação de viatura da Vale para uso na fiscalização no Pantanal
SAÚDE
Prefeitura leva atendimento médico de rotina para o Porto Esperança
POLICIAL
Jovem é preso com 483 unidades de maconha no Cristo Redentor
POLICIAL
PMA apreende mais três tigres d'água em chácara
COVID-19
Vereador reforça necessidade de imunizar trabalhadores do CAC contra a Covid
ECONOMIA
Trabalhadores nascidos em maio podem sacar auxílio emergencial
POLICIAL
PRF apreende mais de 1,5 tonelada de maconha em MS
CIDADE
Vereador solicita informações sobre estágio de projeto de reforma do antigo mercadão
SEMANA NACIONAL DAS COMUNICAÇÕES
Wi-Fi Brasil leva internet a mais de 13 mil pontos remotos do país

Mais Lidas

POLICIAL
Assaltante é preso em flagrante no bairro Popular Velha
CONTRABANDO
PRF apreende carga com prata na BR 262 avaliada em 2 milhões de reais
EDUCAÇÃO
Senac oferece desconto de 30% em cursos EAD em diversas áreas
APOIO A SAÚDE
Vale inicia nova parceria na região com o projeto Ciclo de Saúde Pantanal