Menu
segunda, 25 de outubro de 2021
Andorinha - Setembro e Outubro
Andorinha - Outubro e Novembro - MOBILE
Geral

Dois caminhoneiros morreram na hora em engavetamento na BR 262

30 setembro 2021 - 08h33Gesiane Sousa

O engavetamento ocorreu na tarde desta quarta-feira (29), envolvendo pelo menos quatro carretas no quilômetro 607 da rodovia federal BR 262, no município de Miranda, distante 220 quilômetros de Corumbá. Dois caminhoneiros, que ainda não tiveram as identidades divulgadas, morreram na hora, presos entre às ferragens. 

As informações levantadas com testemunhas no local, são de que os veículos estavam parados devido reparos que eram realizados no trecho da rodovia, quando um dos condutores não conseguiu frear a tempo e acabou colidindo nas carretas a frente.  

Quatro viaturas dos Bombeiros teriam sido deslocadas para atender o acidente, porém o impacto foi tão forte que as cabines dos caminhões ficaram destruídas, sem chance de sobrevivência aos caminhoneiros. A PRF (Polícia Rodoviária Federal) também deu assistência no local. 

O aumento de carretas na rodovia é devido ao baixo nível do rio Paraguai, que nesta terça-feira (28) atingiu a altura negativa de –34 centímetros na régua de Ladário. Esse é o menor nível registrado desde 1910. Sem navegabilidade e com a ferrovia sucateada, o transporte do minério é feito pela estrada, que também é não preparada para suportar o tráfego intenso de carretas e pode ocasionar acidentes como o que ocorreu ontem na região do Guaicurus. 

Vídeo enviado ao Capital do Pantanal mostra a gravidade do ocorrido e a situação das vítimas antes mesmo do socorro chegar.  

 

 

Perigo anunciado na região de Maria Coelho 

Recentemente, no dia 22 deste mês, o Capital do Pantanal, denunciou a situação de risco eminente para acidentes fatais na BR 262, em Corumbá, devido ao tráfego intenso de carretas que transportam minérios nos trevos que dão acesso as mineradoras Vale e Vetorial.

Os caminhões formam filas gigantescas e impedem a passagem dos carros menores, que chegam a sair da via para evitar acidentes. Proprietários de balneários na região de Maria Colho convivem com o risco de acidente diariamente. 

 

 

O deputado estadual Evander Vendramini, conversou com o Capital do Pantanal e disse brigar pela ampliação dos trevos que dão acesso ao Urucum e Maria Coelho desde quando era vereador no município de Corumbá, porém até hoje sem sucesso. Em mais uma tentativa, ele encaminhou requerimento ao DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte) e fez um apelo a bancada federal do estado em busca de apoio para solução urgente na região.  

“Só pelo fato do aumento do tráfego nessa região já seria um fator que merecia atenção das autoridades, ainda mais pelo fato da completa ausência de sinalização, e a precariedade da estrutura da rodovia que não foi projetada para este fluxo”, destaca Evander.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Imunização
Veja quem pode se vacinar contra Covid em Corumbá nos próximos dias
Acidente
Rapaz sofre fraturas após ser atropelado na saída da quermesse em Ladário
R$ 350 mil
Bia Cavassa entrega duas viaturas semiblindadas à PRF
Transtornos
Quase 1 milhão de raios atingiram MS neste fim de semana
Procurados
Membros do PCC presos na fronteira com MS são entregues à polícia brasileira
Eldorado
Tempestade derruba fios elétricos e 51 animais morrem eletrocutados em fazenda
Até 4 de Novembro
IFMS segue com inscrições abertas para cursos subsequentes e Proeja
Mundo Novo
Jovem é preso por disparos e porte ilegal de arma de grosso calibre
Meio Ambiente
Semana do Lixo Zero com coleta de vidros e entrega de medicamentos vencidos começa hoje em Corumbá
Reta Final
Última semana para pagar licenciamento de veículos com placa terminada em zero

Mais Lidas

Causa não definida
Motorista de ônibus fretado com 42 passageiros perde o controle e colide na mureta da ponte
Dom Bosco
Homem baleado pede socorro em escola, mas não resiste e morre
Desdobramento
Embarcação que naufragou e fez sete vítimas no rio Paraguai não era de transporte turístico
Boletim Epidemiológico
MS volta a registrar mortes por Covid-19