Menu
domingo, 24 de outubro de 2021
Andorinha - Setembro e Outubro
Andorinha - Outubro e Novembro - MOBILE
Geral

Dexametasona se torna esperança no combate ao Covid-19

27 junho 2020 - 09h46Redação

Apontado por um estudo britânico como um medicamento capaz de reduzir a mortalidade em casos graves de Covid-19, o dexametasona entrou na lista dos fármacos indicados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para o tratamento do novo coronavírus.

De acordo com o farmacêutico e professor da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), Rogério Dias Renovato, o remédio é um corticosteroide e anti-inflamatório utilizado para o tratamento de diversas doenças, mas seu uso deve ser sempre com acompanhamento médico.

“Recentemente foram divulgados dados de um estudo britânico sobre a eficiência e eficácia do dexametasona no tratamento da Covid-19 em grupos específicos de pacientes hospitalizados com complicações respiratórias graves, fazendo uso de ventilação mecânica ou suporte de oxigênio. O dexametasona é um corticosteroide e anti-inflamatório conhecido e utilizado para tratar outras doenças, como doenças autoimunes, doenças da pele, doenças oculares e doenças respiratórias”, explica Renovato.

De acordo com a publicação da Universidade de Oxford, na Inglaterra, que divulgou os resultados preliminares do estudo randomizado Recovery (Randomised Evaluation of Covid-19 Therapy), o remédio seria indicado para pacientes com Covid-19 sob ventilação mecânica. Em casos graves de coronavírus, o medicamento, segundo o estudo, reduziu em até um quinto a mortalidade do vírus, mas não mostrou benefícios em pessoas que não precisam de assistência respiratória. 

Com as descobertas, a OMS recomendou para os países, o aumento na produção do medicamento. “O seu uso possivelmente está relacionado porque na etapa grave da doença, conforme a literatura, existe um número, uma quantidade acentuada de proteínas anti-inflamatórias chamadas citocinas e essas proteínas em quantidade exacerbada, pode causar vários danos ao sistema respiratório. Deste modo, a dexametasona como anti-inflamatório acaba modulando, regulando possivelmente essa resposta inflamatória, que ao invés de ajudar acaba prejudicando o organismo”, frisa Renovato.

No entanto, o professor ressalta que o uso do medicamento deve ser com a orientação e suporte da equipe médica que está atendendo o paciente. “A dexametasona deve ser utilizada em situações específicas, com todo o aporte dos profissionais de saúde, em hipótese alguma deve ser utilizada por conta própria, e sempre de acordo com o que foi indicado neste e outros estudos que possivelmente virão”, reforça.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Flagrante
Dois turistas são multados em R$ 1,8 mil por pesca predatória no rio Miranda
Alerta
Últimos dias para inscrições em editais da Funarte
Imunização
Quem pode se vacinar contra Covid neste fim de semana
1 hora a menos
Agepan defende o retorno do horário de verão para economia de energia em MS
74 vagas
Concurso público da Sanesul recebe inscrições até 11 de novembro
Boletim Epidemiológico
MS volta a registrar mortes por Covid-19
Orientação
O que fazer para prevenir problemas durante e após temporais
CNH MS Social
Programa de habilitação gratuita já tramita na Assembleia Legislativa
Tempo
Chuva ganha força a partir deste sábado e pode trazer nova tempestade para MS
Precaução
Tradicional Procissão Fluvial é cancelada devido previsão de mal tempo

Mais Lidas

Causa não definida
Motorista de ônibus fretado com 42 passageiros perde o controle e colide na mureta da ponte
Dom Bosco
Homem baleado pede socorro em escola, mas não resiste e morre
Desdobramento
Embarcação que naufragou e fez sete vítimas no rio Paraguai não era de transporte turístico
Boletim Epidemiológico
MS volta a registrar mortes por Covid-19