Menu
domingo, 18 de abril de 2021
Andorinha Fevereiro
Andorinha Fevereiro
Geral

Designer cria página para relembrar gírias corumbaenses e pode lucrar com ideia

12 novembro 2016 - 09h23Correio do Estado
Página foi criada em agosto e tem mais de 6 mil curtidas. Foto: Reprodução Facebook

Expressões como “cainha”, “coro”, “para de mula” e “correr duro” fazem todo o sentido para quem nasceu ou mora em Corumbá. E foi pensando em manter estas palavras no vocabulário dos corumbaenses e decifrar para quem não conhece, o designer gráfico Paulo César da Silva Botelho, de 24 anos, criou a página “Alaaagurí” no Facebook. A ideia deu certo e o objetivo agora é transformar o nome em marca.

Paulo César conta que sempre teve vontade de trabalhar com a web. “Então pensei em alguma coisa para Corumbá e vi que ninguém fazia o que eu pretendia fazer: propagar a cultura da cidade usando o design”.O planejamento começou em julho e a página foi ao ar no mês seguinte.

A locução escolhida para dar nome ao projeto, “Ala, guri!” é uma das mais comuns na cidade, usada em caso de espanto. “Cainha” é sinônimo de avarento, “para de mula” é uma determinação de fim da brincadeira e o duro depois do verbo correr é adjetivo para dar mais ênfase.

O designer afirma receber várias sugestões de expressões para publicar na página, mas tenta manter apenas as mais utilizadas pelos corumbaenses já que algumas gírias são conhecidas nacionalmente.  “Digamos que 80% das ideias dos posts são minhas. São coisas que eu ouvi muito quando era mais jovem e ainda escuto com meus amigos e em casa também”, diz.

Em três meses, a página alcançou 6.635 curtidas. “Recebo várias mensagens de pessoas agradecendo por eu ter criado a “Alaaagurí”, dizendo que Corumbá estava precisando. Tem também muito corumbaense que mora fora e fala que mata saudades da cidade na página”.

OUTRO OBJETIVO

Paulo César diz que esperava por este resultado positivo, mas não pensava em incrementar a renda por meio da página. “Inicialmente, não”.

Ele mudou de ideia e vai lançar camisetas estampadas com as expressões publicadas na a “Alaaagurí”. “Percebi que havia uma oportunidade de negócio, um nicho que ninguém estava explorando aqui na cidade que é o da cultura regional”.

As estampas estão sendo criadas por ele e as camisetas serão comercializadas a partir de dezembro. “ É para aquelas pessoas que acreditam que se vestir é, antes de qualquer coisa, mostrar um pouco da sua cultura”, finaliza.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

KIT INTUBAÇÃO
Cooperativa médica adota medidas emergenciais para otimizar uso de medicamentos em falta no mercado
GERAL
Presos brigam em cela e um acaba morto em presídio de MS
SAÚDE
Dia Mundial da Hemofilia: condição genética dificulta coagulação
UEMS
UEMS oferta 78 bolsas no valor de R$ 400 para Projetos de Ensino
SAÚDE
Com mais um drive thru na Praça CEU, Prefeitura retoma vacinação contra a Covid-19
GERAL
Dupla-Sena da Páscoa sorteia prêmio de R$ 30 milhões neste sábado
GERAL
Pandemia e isolamento aumentam procura por cultivo de plantas em casa
ECONOMIA
Prorrogação de imposto alivia orçamento de bares e restaurantes, avalia Abrasel
PANTANAL
Com mais de 50 programas, apresentador divulga belezas do Pantanal na TV
GERAL
Servidores da Agepen recebem primeira dose da vacina contra Covid-19

Mais Lidas

GERAL
Presos brigam em cela e um acaba morto em presídio de MS
PANTANAL
Com mais de 50 programas, apresentador divulga belezas do Pantanal na TV
CORONAVÍRUS
Coronavírus: variante P1 já é predominante em Mato Grosso do Sul
SAÚDE
Com mais um drive thru na Praça CEU, Prefeitura retoma vacinação contra a Covid-19