Menu
domingo, 26 de setembro de 2021
Expresso Mato Grosso - Junho
Geral

Defesa Civil monitora nível do rio Paraguai na região do Porto da Manga

14 abril 2018 - 08h25Prefeitura Muniipal de Corumbá

Monitoramento apurou comportamento do nível do rio nas regiões do Porto da Manga, Curva do Leque e Passo do Lontra (Foto: Divulgação/PMC) Monitoramento apurou comportamento do nível do rio nas regiões do Porto da Manga, Curva do Leque e Passo do Lontra (Foto: Divulgação/PMC)

A Agência Municipal de Proteção e Defesa Civil de Corumbá segue com o monitoramento dos níveis do rio Paraguai. Nesta quinta-feira, 12 de abril, uma equipe do órgão – com apoio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Sustentável – realizou um levantamento quanto às condições do avanço das águas nas principais vias terrestres e de acesso ao Porto da Manga, Curva do Leque, Passo do Lontra e regiões adjacentes.

O diretor-executivo da Defesa Civil, Isaque do Nascimento, explicou que o trabalho permitirá a produção de um relatório diagnóstico sobre o comportamento da altura das águas do rio Paraguai naquelas regiões. “Vai apontar os possíveis impactos dessa inundação gradual que se processa no rio Paraguai e seus tributários no funcionamento regular das comunidades, empreendimentos diversos, setor turístico e pecuário que se localizam próximos ou utilizam essas estradas para o desempenho de suas atividades”, disse ao destacar que o monitoramento segue determinação do prefeito Marcelo Iunes.

Além de garantir a sequência da operação de monitoramento, a ação realizada pela Defesa Civil de Corumbá tem o propósito de subsidiar o Executivo Municipal, bem como outros segmentos da sociedade corumbaense, no que diz respeito às medidas preparatórias e de respostas ao evento adverso que vem se evoluindo. Também permite a inserção dos dados apurados no Sistema de Informações sobre Desastres, em níveis estadual e federal.

Nesta sexta-feira, 13 de abril, o nível do rio Paraguai encontra-se estacionado em 4,66 metros na régua de Ladário, do Serviço de Sinalização Náutica do Oeste, do 6° Distrito Naval da Marinha do Brasil.

Ações anteriores

Em 19 de março deste ano, a Agência Municipal de Proteção e Defesa Civil de Corumbá emitiu o primeiro boletim de alerta de risco de inundação de 2018, que apontava – conforme levantamento realizado in loco – risco moderado. O acompanhamento indicou que uma inundação gradual do rio Paraguai vinha se desenvolvendo nos últimos meses. 

Em fevereiro, uma equipe da Prefeitura de Corumbá percorreu, de barco, todo o trecho do Porto Geral até a Barra do São Lourenço. Foi realizado o mapeamento das famílias ribeirinhas e também realizado um diagnóstico de avaliação sobre a inundação do Rio Paraguai na região do alto Pantanal.

O trabalho consistiu no deslocamento até as comunidades, visitando suas casas desde nossa saída do Porto Geral até a Barra do São Lourenço, passando pelas regiões do Tuiuiú, Piúval, Capim Gordura, Domingos Ramos, Castelo, Ilha Verde, Paraguai Mirim, São Francisco, Mato Grande, Bonfim, São Pedro, Chané, Amolar e Barra do São Lourenço. Foram aproximadamente 220 quilômetros percorridos em cinco dias.

Histórico

Segundo a fundamentação da EMBRAPA Pantanal, historicamente quando o nível máximo do rio Paraguai, em Ladário, se iguala ou supera o nível de alerta de enchente, que é de 4,0 metros, o ano é considerado de cheia no pantanal, caso contrário, como sendo de seca. Quando o pico de cheia fica compreendido entre 4  e 4,99 m, como sendo de cheia pequena, entre 5 e 5,99 m como de cheia normal e igual ou superior a 6,0 m como cheia grande ou super cheia.

É importante destacar o registro das três maiores cheias já ocorridas: em 1988 ocorreu a maior cheia já registrada em nossa região, com 6,64 metros; em 1905 a segunda maior cheia, quando foram registrados 6,62 metros; e em 1995 a terceira maior cheia, com 6,55 metros na régua de Ladário.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Denúncia
Homem morre e família acusa médica da UPA de negligência
Palestras
3ª edição da Semana da Saúde do Sesc tem foco nos reflexos da pandemia
SCT 2021
IFMS abre inscrições para Semana de Ciência e Tecnologia
Javaporco
PMA flagra criação ilegal de javalis em propriedade de Dourados
Alerta
De agendamentos a esquemas de 'pirâmides', entenda os maiores golpes do Pix em MS
Retomada
Fundtur recebe inscrições no Programa "Incentiva+MS Turismo" até 5 de outubro
Bonito
Mulher é multada em R$ 5 mil por desmatamento ilegal em área protegida
Imunização
Veja quem pode se vacinar neste fim de semana em Corumbá
Balanço
Mais de 50% das drogas apreendidas na Operação Fronteiras e Divisas I são de MS
Economia
Comércio deve facilitar pagamento e ser cauteloso para o Dia das Crianças

Mais Lidas

Denúncia
Homem morre e família acusa médica da UPA de negligência
Imunização
Veja quem pode se vacinar neste fim de semana em Corumbá
Desenvolvimento
Comissão mista homologa consórcio que vai construir ponte da Rota Bioceânica em MS
Bonito
Mulher é multada em R$ 5 mil por desmatamento ilegal em área protegida