Menu
domingo, 24 de janeiro de 2021
Andorinha Janeiro/Fevereiro
Andorinha Janeiro/Fevereiro Mobile
Geral

Criança engasga com tampa de garrafa pet

22 março 2018 - 08h41Kamilla Marques

Às 13:40h desta quarta-feira (21), a Viatura de Resgate e Salvamento se deslocou até a Rua Delamare, Bairro Dom Bosco, onde uma mãe informava que sua filha de 3 anos estava com um objeto preso na garganta e chorava muito.

A menina estava com obstrução parcial das vias aéreas devido a uma tampa de garrafa pet. Foi realizada a manobra de desobstrução e retirado o objeto da garganta da criança.

A obstrução das via aéreas inferiores pode ser causada por corpos estranhos ou por bronco espasmo.

A obstrução pode ser parcial ou completa. Se for somente parcial, a vítima conseguirá tossir e poderá haver um ruído semelhante a um ronco quando ela respira. Se a troca de ar for razoavelmente boa, incentivar a vítima a tossir e expelir o corpo estranho. Monitorar cuidadosamente a vítima, observando os seguintes sinais de redução da passagem de ar:

- Tosse fraca e improdutiva;

- Chiado alto durante a inalação;

- Dificuldade durante a respiração;

- Agarrar a garganta com as mãos;

- Leve cianose.

Os sinais de obstrução completa das vias aéreas são:

- Incapacidade de falar, gemer, tossir ou gritar;

- Ausência de sons respiratórios;

- Uso intenso dos músculos necessários para a respiração – narinas dilatadas,

pescoço e músculos faciais contraídos;

- Inquietação, ansiedade e confusão progressivas;

- Ausência de resposta;

Deve-se estar preparado para prestar atendimento de emergência em qualquer caso de obstrução completa das vias aéreas. Acionar o serviço de emergência e, em seguida, iniciar a manobra de Heimlich (sistema de compressões no abdome abaixo do nível do diafragma).

SE A VÍTIMA FOR UMA CRIANÇA (1 A 8 ANOS)

1. Ficar atrás da vítima em pé ou sentada e envolver os braços ao redor de sua cintura. Manter os cotovelos afastados das costelas da vítima. Colocar o polegar de uma das mãos na linha média do abdome, ligeiramente acima da cicatriz umbilical e bem abaixo do processo xifoide (a ponta do esterno), mantendo o polegar posicionado, formar um punho.

2. Segurar o punho com a outra mão (polegares em direção à vítima).

3. Com um impulso rápido para dentro e para cima, pressionar o punho contra o abdome da vítima.

4. Dar impulsos, separados e distintos, e depois reavaliar a vítima até que o objeto seja eliminado ou a vítima consiga respirar e emitir sons ou a vítima tornar-se não responsiva.

5. Se a vítima tornar-se não responsiva, ligar para 193 ou 192. Iniciar os passos de RCP e cada vez que abrir a via aérea, procurar o objeto (removê-lo, se estiver visível e for possível).

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLICIAL
Grupo é preso por tráfico de droga no Popular Nova
ECONOMIA
Apostador de Fortaleza acerta os seis números sorteados na Mega-Sena
SAÚDE
Saúde começa segunda fase de distribuição de vacinas contra a Covid-19
TEMPO
Neste domingo Corumbá tem temperatura mínima de 23°C e máxima de 31°C
EDUCAÇÃO
O que é preciso saber para o segundo dia do Enem
GERAL
Correios celebra Dia do Carteiro e 358 anos de serviço postal
COVID-19
Boletim Covid-19 deste sábado registra óbitos em 12 municípios
GERAL
Startup de design investe em site para vender produtos sul-mato-grossenses
GERAL
Mega-Sena sorteia neste sábado prêmio de R$ 22 milhões
DEFESA CIVIL
Sala de Situação do Imasul alerta para risco de transbordamento dos rios Miranda e Aquidauana

Mais Lidas

COVID-19
Boletim Covid-19 deste sábado registra óbitos em 12 municípios
DEFESA CIVIL
Sala de Situação do Imasul alerta para risco de transbordamento dos rios Miranda e Aquidauana
EDUCAÇÃO
O que é preciso saber para o segundo dia do Enem
GERAL
Mega-Sena sorteia neste sábado prêmio de R$ 22 milhões