Menu
quinta, 23 de setembro de 2021
Expresso Mato Grosso - Junho
Geral

Covid-19: novo procedimento da Anvisa deve acelerar registro de vacina

18 novembro 2020 - 10h08Andreia Verdélio, Agência Brasil

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) definiu os procedimentos de submissão contínua de dados técnicos para o registro de vacinas contra a covid-19. A Instrução Normativa nº 77/2020 foi aprovada ontem (17) pela diretoria colegiada do órgão e publicada hoje (18) no Diário Oficial da União.

Segundo a Anvisa, os diretores também dispensaram a análise de impacto regulatório e consulta pública para o registro devido ao grau de urgência da vacina e gravidade da doença.

“A medida possibilitará acelerar a disponibilização à população brasileira de vacinas contra o novo coronavírus, desde que demonstradas qualidade, segurança e eficácia conforme os requerimentos técnicos e regulatórios vigentes”, informou a agência, em comunicado.

No procedimento de submissão contínua, os dados técnicos deverão ser encaminhados à Anvisa conforme forem gerados. Assim, as empresas interessadas no registro de vacinas não precisam ter em mãos todos os documentos reunidos para apresentá-los ao órgão regulador.

Submissão contínua

Esse procedimento será normatizado apenas para as vacinas contra covid-19 a serem registradas no país. Segundo a Anvisa, outras autoridades regulatórias de referência, como a dos Estados Unidos, da Europa, da Suíça e da China, já utilizam a submissão contínua em situações específicas.

A proposta da Anvisa prevê o atendimento a dois critérios para uso desse procedimento diferenciado. Um deles se refere à exigência de um dossiê de desenvolvimento clínico de medicamento referente à vacina proposta, protocolado na agência. Outro critério é que a pesquisa esteja em fase 3 de desenvolvimento clínico.

As vacinas que tiverem a análise iniciada pelo procedimento de submissão contínua poderão ser submetidas ao pedido de registro formal após a conclusão da análise do último aditamento protocolado.

Além disso, a empresa deve ter dados suficientes de qualidade, eficácia e segurança para o estabelecimento de uma relação positiva de benefício e risco da vacina, considerando a indicação terapêutica solicitada à Anvisa.

A instrução normativa publicada hoje regulamenta artigo da Resolução nº 55/2010 da Anvisa, que diz que a empresa solicitante do registro poderá procurar a Coordenação de Produtos Biológicos para discutir aspectos relacionados ao desenvolvimento do produto, antes da submissão da documentação de registro.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Prevenção
Iniciada vacinação contra raiva em Ladário
Crime Ambiental
Promotoria de Porto Murtinho investiga desmatamento ilegal em Mata Atlântica
Infraestrutura
Ministro garante a reativação da ferrovia Malha Oeste
Violência Doméstica
Homem é preso após enforcar a ex no bairro Guaicurus
Corumbá
Inscrição e atualização do Cadastro habitacional inicia segunda (27)
Trabalho Conjunto
Operação Fronteira Legal apreende produtos de descaminho em hotéis de Dourados
Óbito
Irmãos são esfaqueados e o mais velho morre no caminho do hospital
Cidade
Incêndio consome vegetação próxima ao Mirante da Capivara
Cidade
Árvore de grande porte cai sobre casa na avenida Rio Branco
Proposta
Mutirão da vacina deve aplicar 275 mil doses contra Covid em sete dias

Mais Lidas

Denúncia
Carretas impedem tráfego de veículos na BR 262
Fazendo xixi
Mulher cai em ribanceira de 10 metros na Avenida General Rondon
Arma Apreendida
Polícia prende autor após perseguição e troca de tiros no Cristo Redentor
Investigação
MPF cobra Santa Casa de Corumbá sobre uso de recursos federais na pandemia