Menu
quinta, 06 de maio de 2021
Governo - O Estado que cresce - Maio
Geral

Corumbaense divide 13° entre compras de final de ano e pagamento de dívidas

21 dezembro 2015 - 10h12
Com o pagamento do 13° o comércio local está movimentado durante todo o dia. Basta um breve passeio pelas Ruas Frei Mariano e Delamare para perceber que valeu a pena o otimismo dos lojistas em acreditar nas boas vendas para este final de ano. Mesmo em meio a crise financeira que atinge todo o país, o consumidor não está abrindo mão das tradicionais compras de roupas novas para as festividades. O 13°, benefício trabalhista, é a melhor oportunidade do comércio para aumentar o faturamento do mês de dezembro. O corumbaense está dividindo o uso do salário extra para pagar dívidas já penduradas e também para finalizar as comprar de presentes e objetos para uso próprio. Os segmentos mais procurados nestas épocas são os setores de calçados e roupas.Em conversa com Lucas de Souza, gerente geral de uma das lojas de roupas mais movimentadas do centro, o investimento feito na estrutura, expandindo os setores, e em pessoal, está apresentando um bom resultado, a loja contratou 19 funcionários temporários. “Desde o início do mês estamos conseguindo superar as vendas do último final de ano, a vinda dos bolivianos também está contribuindo para o saldo positivo”, aponta o gerente. Sobre o horário estendido para funcionamento das lojas do centro comercial, que desde a última sexta-feira (18), funciona até as 22h, o gerente afirma que tal medida tem boa aceitação pelo público, “desde o primeiro dia em que as portas ficaram abertas até mais tarde, a loja não ficou vazia, quem trabalha tem a oportunidade de realizar suas compras com mais calma”, diz Lucas.Para Priscila Samaniego, secretária, o final de ano está sendo de controle, “meu marido e eu trabalhos e estamos esperando nosso primeiro filho, a empolgação é grande, mas devemos manter o controle, nosso objetivo é por em dia algumas contas e guardar um pouco para as compras de roupas novas e presentes que não podem faltar. Não está fácil, mas a gente dá um jeitinho”, diz a consumidora que usa o horário do almoço e também o prolongamento de horário para terminar as compras.Quem não trabalha com carteira devidamente assinada, como Luciene Jerônimo, vendedora autônoma de lingerie, o controle deve ser ainda maior, "as vendas dos produtos que comercializo não estão bem desde o meio do ano, e como não tenho 13° as contas ficam ainda mais apertadas", ressalta a Luciene.

Deixe seu Comentário

Leia Também

GERAL
MS recebe 50,5 mil doses da Astrazeneca do Ministério da Saúde
GERAL
PMA de Corumbá recebe doação de viatura da Vale para uso na fiscalização no Pantanal
SAÚDE
Prefeitura leva atendimento médico de rotina para o Porto Esperança
POLICIAL
Jovem é preso com 483 unidades de maconha no Cristo Redentor
POLICIAL
PMA apreende mais três tigres d'água em chácara
COVID-19
Vereador reforça necessidade de imunizar trabalhadores do CAC contra a Covid
ECONOMIA
Trabalhadores nascidos em maio podem sacar auxílio emergencial
POLICIAL
PRF apreende mais de 1,5 tonelada de maconha em MS
CIDADE
Vereador solicita informações sobre estágio de projeto de reforma do antigo mercadão
SEMANA NACIONAL DAS COMUNICAÇÕES
Wi-Fi Brasil leva internet a mais de 13 mil pontos remotos do país

Mais Lidas

POLICIAL
Assaltante é preso em flagrante no bairro Popular Velha
CONTRABANDO
PRF apreende carga com prata na BR 262 avaliada em 2 milhões de reais
EDUCAÇÃO
Senac oferece desconto de 30% em cursos EAD em diversas áreas
APOIO A SAÚDE
Vale inicia nova parceria na região com o projeto Ciclo de Saúde Pantanal