Menu
sexta, 19 de julho de 2024
Andorinha - 76 anos - Junho 2024
Andorinha - 76 anos - Junho 2024
Geral

Cortes no orçamento somam R$ 44,6 bilhões e aumentam descrença dos prefeitos

23 março 2016 - 15h09Redação
Somam R$ 44,6 bilhões os cortes no orçamento autorizados pela presidente Dilma Rousseff, sendo R$ 23,4 bilhões em fevereiro e outros 21,2 bilhões agora na última terça-feira (22), montante que atinge diretamente os municípios brasileiros. A preocupação dos prefeitos é que o primeiro contingenciamento, anunciado no mês passado, atingiu diretamente o PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) em R$ 4,2 bilhões. Os ministérios da Saúde e Educação terão os maiores contingenciamentos de R$ 2,5 bilhões e R$ 1,3 bilhão, respectivamente. Para o presidente da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul), Juvenal Neto (PSDB), o que mais preocupa é que as metas fiscais do governo refletirão em verbas carimbadas, como as emendas parlamentares. De acordo com o Ministério do Planejamento, as verbas destinadas aos congressistas investirem em suas bases eleitorais  deverão encolher em R$ 8,1 bilhões. “Realmente, é desanimador no momento em que os prefeitos correm contra o tempo para fechar as contas”, queixa-se o presidente da Assomasul, lembrando ainda as péssimas projeções feitas pelo Tesouro Nacional de que haverá uma queda de 36%  no repasse do FPM (Fundo de Participação dos Municípios) no mês de março em relação a fevereiro. A queda prevista anteriormente era de 35%, no entanto, o segundo repasse do fundo constitucional, feito no último dia 20, totalizou apenas R$ 8,320 milhões, devendo fechar o mês com R$ 67.859, ou seja 36%  a menor se comparado aos valores de fevereiro. Para se ter uma ideia, o FPM rendeu R$ 105.500 milhões no mês anterior. “Volto a aconselhar medidas de contenção de gastos, não vejo outra saída senão economizar”, acrescentou Juvenal Neto, que a exemplo dos demais prefeitos convive na incerteza de verbas extras, como os chamados “restos a pagar, diante das medidas fiscais adotadas pelo governo.   MEDIDAS O restante do corte do orçamento da União está distribuído, não linearmente, entre todos os ministérios. O governo também revisou a projeção de queda do PIB (Produto Interno Bruto) neste ano de ­1,9% para ­2,9%. Sobre 2015, o governo estima que a economia tenha recuado 3,7%. Para o IPCA, a projeção é de 7,1%, acima do teto da meta de 6,5%, para 2016. De acordo com o ministro Valdir Simão (Planejamento), programas prioritários do governo serão preservados, como o Bolsa Família e o  Minha Casa, Minha Vida, assim como ações contra o vírus da zika, entre outros. "Queremos garantir investimentos e ações sociais, priorizando projetos de investimento estruturantes e em fase de conclusão", disse, segundo o portal G1. Do outro lado, os gastos do governo com benefícios como abono, seguro­desemprego e subsídios cresceram R$ 22,8 bilhões. O governo vai compensar a escalada dos desembolsos diminuindo em R$ 12 bilhões pagamento de precatórios, anunciou os ministros. Os ministros defenderam que a lei orçamentária de 2016 é bem mais restritiva que a do ano passado, sobrando pouco para cortar. "O sacrifício será muito maior do que aquele feito no ano passado nas despesas discricionárias", disse Simão.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Policial
Operação conjunta recupera objetos furtados na Igreja Nossa Senhora da Candelária
Participação Popular
Responda a pesquisa que vai deixar o Capital do Pantanal com a sua cara
Mais do que informar, queremos estar presentes na vida dos leitores com pautas que sejam interessantes e importantes para o dia a dia
Oportunidade
Concurso público unificado da Justiça Eleitoral: prazo de inscrição termina hoje (18)
Em Campo Grande
Fazenda da família de Michel Teló é multada por desmatamento ilegal
Consumidor
Preço do etanol sobe média de R$ 0,40 em uma semana no estado
Empreendedorismo
Etapa estadual do Prêmio Sebrae Mulher de Negócios está com inscrições abertas em MS
Moda
Estilista de MS cria coleção com famosas onças da artista visual Lúcia Martins
Direitos Humanos
Mortes violentas no Brasil diminuem 3,4% em 2023
Educação
Prouni 2º semestre: inscrições começam na próxima terça-feira
Gestão
Economista Cristiane Schmidt assume a presidência da MSGÁS

Mais Lidas

5 mandados
Operação da PF combate tráfico de drogas e lavagem de dinheiro em Corumbá
Últimas 24 horas
Óbito de motociclista em Ladário é destaque no plantão dos Bombeiros
Últimas 24h
Plantão registra facada, agressão física e resgate fluvial no Pantanal
Atualização
Equipes mantém monitoramento nas regiões Maracangalha e Morro do Urucum