Menu
quarta, 20 de janeiro de 2021
Andorinha - campanha dezembro
Andorinha - Dezembro
Geral

Comissões apuram mortes presídios de Corumbá e Dois Irmãos do Buriti

01 março 2018 - 08h12Sylma Lima
Foto do pescoço da Larissa no caixão. Fata de sinais que indicariam ssuicídio levaram a família a entrar na justiça. Foto: Arquivo Capital do Panatanal

A Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) divulgou nesta quinta-feira (1) a abertura de sindicâncias para apurar a morte de detentos em presídios de Corumbá e Dois Irmãos do Buriti.

Em Corumbá, uma comissão foi formada para apurar as condições do óbito da detenta Larissa Cristina de Oliveira Cândido, 27 anos, encontrada morta em uma cela do Estabelecimento Penal Feminino do município no dia 28 de dezembro do último ano.

Larissa foi encontrada enforcada por uma corda artesanal feita com lençóis, amarrada às grades da cela, depois de ter sido isolada no local após causar um tumulto no presídio. A detenta estava presa por tráfico de drogas desde janeiro do último ano.

O caso de Larissa chamou a atenção dos familiares porque não havia marcas de enforcamento no pescoço (conhecida como laçada) e trazia muitos ferimentos evidentes, como maxilar e nariz quebrado. A mãe de Larissa registrou boletim de ocorrências em Corumbá cobrando a causa da morte da filha que estava prestes a sair, gozando do regime semi- aberto. Este caso ganhou repercussão após denuncia de internas ao site de noticias Capital do Pantanal.

Após a morte da Larissa outras internas denunciaram  torturas sofridas no presídio feminino de Corumbá. Familiares de Larissa cobram indenização do Estado, pois cabe a ele a responsabilidade pela vida dos internos. Larissa tinha 28 anos e deixou duas filhas menores.

Já em Dois Irmãos do Buriti, será investigada a morte do detento José Antonio Camargo dos Santos, 23 anos, encontrado morto na Penitenciária do município no dia 20 de dezembro de 2017.

Além das comissões para apurar a morte dos detentos, a Agepen também instaurou investigações para apurar a conduta de servidores, sem revelar nomes. Todas as sindicâncias foram assinadas pelo diretor-presidente da Agência, Aud de Oliveira Chaves. Com algumas innformações do site Midiamax.

Por estar no semi-aberto Larissa trabalhava num posto de saúde em Ladário. Foto: Arquivo familiar cedido ao Capital do Pantanal

Deixe seu Comentário

Leia Também

GERAL
Justiça do Trabalho leva sinal de internet para guatós que vivem isolados no Pantanal
SAÚDE
Vacinação contra a covid-19 já teve início em quase todo o país
CLIMA
Chuva forte e volumosa e temporais em SC, no PR, em MS e em SP
CULTURA
Sesc Corumbá abre inscrições para cursos de música, dança e pintura à distância
POLICIAL
Empresário de MS é preso durante Operação da Polícia Civil contra crime organizado
SAÚDE
Servidora há 30 anos, Vitória aplicou primeiras doses da vacina contra COVID-19 em Corumbá
COVID-19
MS ultrapassa a marca de 2,7 mil mortes e 152 mil casos confirmados de coronavírus
PRIMEIROS IMUNIZADOS
Corumbá e Ladário já tem os primeiros imunizados contra a Covid-19
GERAL
Casa tem princípio de incêndio após vela de altar derreter
GERAL
Corpo de Bombeiro captura jacaré que estava andando na rua em Ladário

Mais Lidas

GERAL
Bombeiros atendem solicitação de suposto desaparecimentos de pessoas em fazenda
EDUCAÇÃO
REME abre Pré-Matrícula Digital para alunos novos; veja calendário
COLISÃO
Batida de carro e moto no Popular Nova deixa motociclista com ferimento graves
EMPREGO
Mato Grosso do Sul começa semana com 2.394 vagas de emprego