Menu
sábado, 08 de maio de 2021
Governo - O Estado que cresce - Maio
Andorinha - Maio
Geral

Começa quinto dia de julgamento de Dilma Rousseff; votação final será amanhã

30 agosto 2016 - 09h44Agência Brasil

Começou às 10h25 o quinto dia do julgamento final do processo de impeachment da presidenta afastada Dilma Rousseff, no Senado Federal. Na primeira etapa desta terça-feira (30) os advogados de acusação e de defesa terão uma hora e trinta minutos para fazer suas considerações finais com direito a mais uma hora de réplica e mais uma hora para tréplica cada.

Diante disso, o julgamento só será concluído amanhã. Sem poder ser substituído na sessão, nem por um minuto, o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Ricardo Lewandowski, que comanda o julgamento, deve interromper no final da noite de hoje a fase de debates.

Só a manifestação dos advogados hoje deve durar cerca de cinco horas, sem contar o intervalo para almoço. A partir daí começa a fase de discussão entre os senadores, quando cada parlamentar terá dez minutos para discursar. Na manhã de hoje, 65 dos 81 senadores já haviam se inscrito para falar no plenário.

A advogada da acusação Janaína Paschoal será a primeira a falar. Logo depois, será a vez do advogado de Dilma, José Eduardo Cardozo, que tem o mesmo tempo para tentar convencer os senadores que ainda estão indecisos a votar contra o impeachment.

A previsão é que a sessão se estenda por mais 15 horas. O primeiro senador inscrito é Gladson Cameli (PP-AC) e o último inscrito é João Capiberibe (PSB-AP). A exemplo do que ocorreu nos últimos dias, os primeiros intervalos de uma hora estão previstos para as 14h e as 18h. Lewandowski também pode suspender por um tempo menor a sessão, a cada quatro horas ou quando for necessário para restabelecer a ordem.

Depois que todos os senadores falarem, o presidente do STF fará um relatório resumido do processo. O encaminhamento da votação será feito por dois senadores que falarão pela defesa, usando tempo total de dez minutos, e outros dois pela acusação, com o mesmo tempo. 

Para ser afastada definitivamente do cargo, os favoráveis ao impeachment de Dilma precisam obter, pelo menos, 54 votos. Caso isso aconteça, além de perder o mandato ela também perderá os direitos políticos por oito anos, a partir de 2018, quando terminaria o segundo mandato da presidenta.

A fase de instrução do processo terminou ontem, em uma sessão que durou mais de 14 horas, período em que a presidente Dilma respondeu a perguntas de 48 senadores e da advogada de acusação.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

GERAL
PM presenteia criança que sonha ser policial militar em seu aniversário
POLICIAL
PM de Corumbá Intensifica Patrulhamento e Fiscalização em Área Rural
GERAL
Em visita ao Governo do Estado Bia Cavassa acompanha projetos para a região pantaneira
SAÚDE
MS recebe neste sábado novo lote de vacinas da Coronavac para aplicação da segunda dose
CORONAVÍRUS
Levantamento mostra que 17% das mortes por covid em MS eram de pacientes sem comorbidade
GERAL
Detentos bolivianos em Corumbá recebem assistência de Consulado
GERAL
Energisa alerta para consumo consciente da energia elétrica em tempos de home office e aulas on-line
Com mudança na bandeira tarifária, consumidores precisam adotar práticas sustentáveis para evitar desperdício e fazer o uso consciente da energia
EDUCAÇÃO
Reforma e adequação da escola Pedro Paulo de Medeiros começa nesta segunda
POLICIAL
PMA e Bombeiros resgatam anta com mais de 200 kg de piscina em clube
ESPORTE
Vereadores sugerem construção de pista de Mountain Bike em área no Dom Bosco

Mais Lidas

GERAL
Detentos bolivianos em Corumbá recebem assistência de Consulado
GERAL
Em visita ao Governo do Estado Bia Cavassa acompanha projetos para a região pantaneira
INCÊNDIO
Carro pega fogo no bairro Vila Guarani
POLICIAL
Homem é preso por violência doméstica no bairro Vila Guarani