Menu
terça, 26 de outubro de 2021
Cassems - Melhores e Maiores - Edição 2021
Andorinha - Outubro e Novembro - MOBILE
Geral

Campo-grandense ganha a 100° medalha de ouro do Brasil em Jogos Paralímpicos

31 agosto 2021 - 08h54Redação

O para-atleta do atletismo brasileiro, Yeltsin Jacques, de Campo Grande, fez história na noite desta segunda-feira (30) nos Jogos Paralímpicos de Tóquio. Ele conquistou a centésima medalha de ouro para o Brasil em paralimpíadas, e também a sua segunda medalha dourada na competição que é realizada no Japão neste ano.   

Para dar ainda mais orgulho aos brasileiros, o sul-mato-grossense ainda quebrou o recorde mundial ao vencer a final dos 1.500 metros na categoria T11, classe para atletas cegos, com a marca de 3min57s60.   

Na semana passada Yeltsin já havia conquistado seu primeiro ouro paralímpico, na prova dos 5.000 metros T11. Com o resultado, os para-atletas brasileiros chegam 13 medalhas no atletismo em Tóquio: seis ouros, três pratas e quatro bronzes. 

“Quero agradecer a minha família, a minha esposa, e a todos de Campo Grande que sempre me apoiam”, disse Jacques após se consagrar mais uma vez.   O campo-grandense venceu com folga e Bira, o guia dele, disse que segurou Yeltsin depois que a medalha já estava garantida.  

O Brasil nos Jogos Paralímpicos

O Brasil já chegou ao Japão com muita expectativa em relação a essa marca. Com 87 ouros contabilizados até o início dos Jogos Paralímpicos de Tóquio, a centésima não parecia um sonho distante, já que em cada uma das quatro Paralimpíadas imediatamente anteriores foram conquistados mais de 13 ouros: 14 em Atenas 2004, 16 em Pequim 2008, 21 em Londres 2012 e 14 na Rio 2013.  

Dos cem ouros brasileiros, portanto, 78 se concentraram nas últimas cinco edições, incluindo os 13 de Tóquio 2020. E essa coleção ainda pode aumentar um bocado até dia 5 de agosto, quando as Paralimpíadas se encerram. 

Da primeira à centésima medalha dourada brasileira, ambas no atletismo, houve uma enorme evolução no esporte paralímpico do país. O Brasil começou a participar dos Jogos na sua quarta edição, em Heidelberg, em 1972. Mas o primeiro ouro só chegou em 1984, com a vitória de Marcia Malsar nos 200m rasos C6.  

E dos cem, 83 se dividem entre duas modalidades: 47 no atletismo e 36 na natação. Foi nas piscinas, inclusive, que se consagrou o atleta que mais fez o hino brasileiro ser tocado, Daniel Dias, 14 vezes campeão paralímpico. 

 

 

Com informações da Agência Brasil e Correio do Estado

Deixe seu Comentário

Leia Também

Educação
Instalação de polo da Universidade Estadual em Corumbá é solicitada na Câmara
Tecnologia
Aplicativo Para Ver Conversas Do WhatsApp de Outra Pessoa
Prevenção
Vereador pede instalação de telas de proteção no prédio do antigo Cine Anache
Resgate +
Ministério do Meio Ambiente lança Programa de Resgate da Fauna Silvestre em Corumbá
Nova Corumbá
Foragido é preso com diversos itens suspeitos na mochila
Presente Inesperado
Policiais Militares de Corumbá fazem surpresa em aniversário de criança que sonha em ser PM
Reivindicação
Vereadores pedem retorno das aulas presenciais na Rede Municipal
Representatividade
Sancionada Lei que institui o Prêmio Zumbi dos Palmares em Corumbá
Péssimas Condições
Morte de motorista na BR 262 é mais um alerta para o perigo do tráfego na rodovia
Campo Grande
Casa Rosa: atendimento integrado contra o câncer de mama inaugura em novembro

Mais Lidas

Denúncia
Sem resposta, passageira recorre a rede social para reclamar da Buser
Acidente
Rapaz sofre fraturas após ser atropelado na saída da quermesse em Ladário
Mundo Novo
Jovem é preso por disparos e porte ilegal de arma de grosso calibre
Procurados
Membros do PCC presos na fronteira com MS são entregues à polícia brasileira