Menu
sexta, 07 de maio de 2021
Governo - O Estado que cresce - Maio
Geral

Autoridades pregam união no combate às drogas e prostituição infantil em Corumbá

12 junho 2017 - 09h31Assessoria Câmara Municpal de Corumbá

Droga, alcoolismo e a prostituição infantil foram temas amplamente debatidos no final de semana em Corumbá, durante uma audiência pública na Câmara Municipal, por iniciativa do vereador Tadeu Vieira (PDT). O evento foi um passo importante para o envolvimento dos mais diferentes segmentos da sociedade visando o desenvolvimento de uma grande ação e buscar reverter o atual quadro no Município, que tem afetado a família corumbaense, principalmente crianças e adolescentes.

A audiência, que teve como tema “Convívio familiar e suas responsabilidades”, contou com as participações de representantes dos mais diferentes setores, como dos poderes Judiciário, Legislativo e Executivo, da Segurança Público, da OAB, Universidade Federal de Corumbá, escolas do Município, entre outros.

Audiência contou com autoridades das principais instituições da cidade. Foto: Assessoria Câmara

Os trabalhos foram abertos pelo presidente do Poder Legislativo Corumbaense, vereador Evander Vendramini (PP) e comandados pelo vereador Tadeu Vieira. A pauta girou em torno da família, sociedade (droga e alcoolismo) e a prostituição infantil, assuntos amplamente debatidos e que, para reverter o quadro atual, é preciso união de forças dos mais diferentes segmentos da sociedade e a participação ativa da própria comunidade.

“É um tema importante que afeta não só a população corumbaense, como também ladarense. Esta Casa de Leis não poderia ficar alheia a esta situação e, desde o início do ano legislativo, tem sido uma caixa de ressonância em torno das discussões daquilo eu a população necessita. A nossa luta tem um único objetivo: mudar para melhor, proteger as pessoas cada vez mais”, enfatizou Vendramini.

Autor da iniciativa, Tadeu Vieira também destacou que a atual situação envolvendo a família corumbaense, é uma missão que todos devem enfrentar, juntos. Concordou com Evander e enfatizou ainda que “a droga, o alcoolismo e a prostituição infantil são três grandes problemas que somente serão resolvidos com a união de todos. Precisamos formar uma grande família contra tudo isso”.

“Não fazemos nada sozinhos. É preciso que cada um faça a sua parte. Esta audiência foi o início da nossa caminhada. Temos que caminhar juntos. Esta proposição é de todos nós”, continuou agradecendo a presença de todos que participaram dos debates, inclusive autoridades bolivianas.

PROERD, um grande aliado

O comandante do 6º Batalhão de Polícia Militar, tenente coronel César Duarte Freitas, citou que os números são preocupantes, e que o menor de idade está envolvido em cerca de 80% dos crimes que ocorrem na cidade. Para ele, o álcool e a droga são dois grandes problemas que atinge todas as famílias.

“Em 2015, Corumbá superou Dourados em número de crianças envolvidas com crimes, e Dourados tem uma população quase três vezes mais que Corumbá”, revelou, ressaltando que “o inimigo é poderoso, dispõe de muitos recursos e está seduzindo os nossos jovens”.

E para combater este inimigo que é a droga, Freitas lembrou que a Polícia Militar tem uma ferramenta importante que busca fazer com que “as crianças não entrem neste mundo”. Trata-se do Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (PROERD), que atua na prevenção ao uso indevido de drogas.

É aplicado por policiais militares que ministram aulas para crianças do 5° ano do Ensino Fundamental, visando, enquanto atividade preventiva, ensiná-las a resistir ao aliciamento de usuários e traficantes.

Freitas ressaltou que 95% das crianças formadas, ficam longe das drogas e que, hoje, Corumbá já conta com cinco mil formadas e a meta é dobrar este número. Por isso pediu apoio da Câmara para tornar o PROERD um programa municipal, por meio de lei. “Precisamos trabalhar a prevenção maciçamente. Por isso pedimos que a Câmara abrace o PROERD”, reforçou.

O comandante falou ainda sobre a prostituição infantil, outro problema grave. Citou a facilidade de se ganhar mais dinheiro dessa forma, do que trabalhando, e que os casos não são exclusividade da área urbana, mas também das regiões ribeirinhas.

Abuso e exploração sexual

O delegado regional da Polícia Civil, Gustavo de Oliveira, fez um amplo relato sobre violência, principalmente envolvendo crianças, adolescentes e jovens; focou as gangues e a disputa territorial, as drogas, bem como a prostituição infantil; apresentou uma estatítica do quadro atual, conforme números da Polícia Civil.

Dois temas mereceram destaques na sua palestra: abuso e exploração sexual. Revelou que as estatísticas comprovam que o abuso, na maioria das vezes, ocorre dentro de casa, e que a exploração visa principalmente lucro, com a participação de um agenciador. Neste caso, uma grande preocupação é em relação ao turismo sexual.

“Existe o turismo sério, mas também o sexual que precisa ser combatido”, comentou, revelando que a maior dificuldade se deve ao fato de que a jovem que está sendo explorada sexualmente, não se coloca como vítima. “Ele entende que está ganhando e isso dificulta  o trabalho, além de fazer de tudo para que seu explorador não seja reconhecido”.

Lembrou um fato ocorrido há três anos, quando a Segurança Pública desarticulou um ponto de prostituição infantil na região central da cidade; tráfico de menores para fins comerciais por meio da exploração sexual; que um grande vilão é a Internet, onde ocorre o primeiro contato da criança com quem vai cometer o abuso ou mesmo a exploração.

O delegado apresentou também uma estatística elaborada pela Delegacia de Atendimento a Infância, Juventude e Idoso de Corumbá ( DAIJI) que aponta os números de estupro de vulberável de 2015 (49), 2016 (37) e 2017 até agora (21); corrupção de menores; 04 em 2015, 03 em 2015 e 03 até agora, em 2017.

Maus tratos: 26 em 2015, 14 em 2016 e 02 em 2017; abandono do incapaz: 16 em 2015, 05 em 2016 e 01 em 2017; abandono do convívio familiar: 45 em 2015, 27 em 2016 e 17 em 2017; lesão corporal: 62 em 2015, 72 em 2016 e 24 e 2017; lesão corporal intrafamiliar/doméstica: 15 em 2015, 27 em 2016 e 02 em 2017; armazenar/transmitir fotografia e vídios – pornografia: 02 em 2015, 01 em 2016 e 01 em 2017; aliciar – assediar – instigar ou constranger criança com fins de com ela praticar ato libidinoso, por qualquer meio de comunicação: 02 em 2015, 01 em 2016 e nenhum até o presente momento, em 2017.

O delegado elogiou a iniciativa da Câmara e Corumbá em buscar ferramentas para buscar “salvar nossas crianças”, ressaltando que isto somente será possível por meio de um trabalho em parceria entre todos os segmentos da sociedade. “Unidos somos mais fortes”, concluiu.

Papel da comunidade

A promotora Promotoria de Justiça de Proteção à Infância e Juventude, do Idoso e da Pessoa com Deficiência, Ludmila Paula de Castro e Silva, também destacou o evento afirmando ser de extrema relevância. Enalteceu o papel da Câmara, destacou o papel importante do professor no processo e enfatizou a necessidade da união de todos, citando que “sozinhos nós não venceremos, não faremos nada”.

Para a promotora é preciso “união de todos e a comunidade precisa ajudar”, e que esta participação da população pode ser por meio do Disque 100, “um instrumento que mobiliza todos os órgãos para buscar soluções das mazelas. Mas para isto, temos que ter a comunidade junto”, cobrou, citando ainda o Programa de Conciliação para Prevenir a Evasão e a Violência Escolar (PROCEVE) no sistema de ensino, que em Corumbá se transformou em lei sancionada pelo prefeito Ruiter Cunha, de autoria do vereador Manoel Rodrigues (PRB).

O presidente da OAB de Crumbá, Roberto Ajala Lins, lembrou que o assunto “é muito complicado. A OAB tem uma preocupação muito grande”, disse, se referindo ao crescente índice da prostituição infantil, e que a edução tem um papel fundamental contra este problema, causado principalmente pela miséria, que considerou como terrivel. “Esta audiência é o início de um debate muito interessante. A responsabilidade é de todos nós. Temos que encarar estes poblemas de frente”, pregou.

Além de Evander e Tadeu, a audiência teve ainda a participação dos Paulo Bertini (PSB), Gaúcho da Pró-Art (PP), Gabriel Alves de Oliveira (PMDB) e André da Farmácia (PTB), todos de Corumbá; do vereador Vagner Gonçalves (PPS), de Ladário; do representante da Prefeitura, o Procurador Geral do Município José Luiz Aquino, além de representantes da Defensoria Pública, da UFMS, escolas do município, entre outros segmentos.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

GERAL
MS recebe 50,5 mil doses da Astrazeneca do Ministério da Saúde
GERAL
PMA de Corumbá recebe doação de viatura da Vale para uso na fiscalização no Pantanal
SAÚDE
Prefeitura leva atendimento médico de rotina para o Porto Esperança
POLICIAL
Jovem é preso com 483 unidades de maconha no Cristo Redentor
POLICIAL
PMA apreende mais três tigres d'água em chácara
COVID-19
Vereador reforça necessidade de imunizar trabalhadores do CAC contra a Covid
ECONOMIA
Trabalhadores nascidos em maio podem sacar auxílio emergencial
POLICIAL
PRF apreende mais de 1,5 tonelada de maconha em MS
CIDADE
Vereador solicita informações sobre estágio de projeto de reforma do antigo mercadão
SEMANA NACIONAL DAS COMUNICAÇÕES
Wi-Fi Brasil leva internet a mais de 13 mil pontos remotos do país

Mais Lidas

POLICIAL
Jovem é preso com 483 unidades de maconha no Cristo Redentor
OPERAÇÃO PF
PF deflagra Operação Grão Branco de combate ao tráfico internacional de drogas
TRÁFICO DE DROGAS
PRF apreende 494 Kg de maconha e 7 Kg de skunk na BR-262
GERAL
PMA de Corumbá recebe doação de viatura da Vale para uso na fiscalização no Pantanal