Menu
sexta, 23 de julho de 2021
Expresso Mato Grosso - Junho
Expresso Mato Grosso - Promoção de Junho
Geral

Abertura da China para leite brasileiro vai regular e reaquecer mercado em MS, avalia Silems

24 julho 2019 - 08h40Kamilla Marques

Anunciada nesta terça-feira (23/07), a abertura do mercado Chinês para derivados do leite produzidos no Brasil deve impulsionar a retomada da produção interna e regular os preços para a indústria laticínia, avalia a presidente do Silems (Sindicato das Indústrias de Laticínios de Mato Grosso do Sul). O anúncio foi feito pela ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, que está de férias em Mato Grosso do Sul, mas concedeu entrevista à imprensa para comemorar o acesso aos consumidores chineses.

Segundo a ministra, mais detalhes sobre acordo com a China, como os tipos de estabelecimentos brasileiros que estarão habilitados a exportar, e em qual quantidade, deverão ser divulgados amanhã. Tereza Cristina antecipou apenas que, entre os produtos que poderão ser exportados, estão os "não fluidos", como leite em pó, queijos e leite condensado.

A medida deve aquecer a produção das indústrias da região Sudeste, aumentando a demanda por leite, inclusive o sul-mato-grossense, e movimentando toda a cadeia produtiva. “A partir do momento que houver um aquecimento entre as indústrias brasileiras maiores, que já processam estes produtos autorizados a entrar na China, aumentará a demanda pelo leite de Mato Grosso do Sul. Desta forma, os produtores serão mais bem remunerados, e a produção local de leite local, que caiu bastante, será normalizada, beneficiando diretamente toda cadeia produtiva, os produtores, a indústria e o consumidor”, explica a presidente do Silems, Milene Nantes.

A ministra Tereza Cristina também ressaltou que a medida vai impulsionar o segmento. “O Brasil sempre quis ter acesso ao mercado chinês para poder tirar o produto do mercado interno, melhorando o preço para o produtor brasileiro”, diz. Ela lembrou, ainda, da possibilidade de reabertura do laticínio Lactalis, em Terenos (MS), cuja planta industrial está desativada desde 2017. “A expectativa de reabrir e receber e melhorar o leite de Mato Grosso do Sul é grande com esta notícia”, finaliza.

 

Indústria do leite em MS

 

Atualmente, 22 estabelecimentos processam leite em Mato Grosso do Sul, e outros 59 estão registrados na atividade “fabricação de laticínios”, segundo o Radar Industrial da Fiems.

Em 2018 os laticínios do Estado processaram 104,4 milhões de litros de leite, indicando queda de 12% em relação a 2017, quando foram processados 118,5 milhões de litros.

No primeiro trimestre de 2019 foram processados 29,9 milhões de litros de leite pelos laticínios sul-mato-grossenses, indicando queda de 4% em relação ao mesmo período de 2018, quando foram processados 31,3 milhões de litros de leite.

 

Com informações de FIEMS.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Acidente
Motociclista fratura clavícula após perder controle em lombada
Bombeiros
Incêndio urbano atinge vegetação em morraria com difícil acesso
Município
Decreto prorroga por mais 14 dias medidas para diminuir contaminação pela Covid-19
Decisão Popular
Servidores optaram por receber o 13° salário de forma integral em dezembro
Previsão
Sancionada LDO que prevê receita de R$ 18,47 bilhões para MS em 2022
Esperança
Taxa de contágio da Covid se mantém abaixo de 0,90 há uma semana em MS
Investigação
Caso Maria Stella Coimbra: jovem teria fotografado documento do suposto estuprador
Sem contrato
Santa Casa de Corumbá perde serviço de Urologia
Tempo
Final de semana continua com alerta para tempo seco em Mato Grosso do Sul
Facilidade
Saúde credencia laboratório e exames podem ser agendados na própria unidade de saúde

Mais Lidas

Briga de Família
Idoso é socorrido com três perfurações de faca no abdômen
Crime Ambiental
Fazendeiro é multado em R$ 246 mil por incêndio em 821 hectares no Pantanal
Combate
Incêndio atinge 3 hectares de vegetação na área urbana de Corumbá
Facilidade
Saúde credencia laboratório e exames podem ser agendados na própria unidade de saúde