Menu
terça, 21 de maio de 2019
Andorinha - Viaje para Campo Grande com a Andorinha
Andorinha - Viaje para Campo Grande com a Andorinha
Geral

Projeto de Lei obriga prestadores de serviços a atender Lei de Acesso à Informação

16 maio 2019 - 09h00Câmara de Corumbá

Está em tramitação no Poder Legislativo Corumbaense, um Projeto de Lei que obriga as empresas privadas que prestam serviços a órgãos públicos, a atender os critérios estabelecidos pela Lei de Acesso à Informação.

A proposta foi apresentada pelo vereador Gabriel Alves de Oliveira e, se aprovada, vai obrigar as empresas terceirizadas vencedoras de licitações, e que prestam serviços aos órgãos públicos do Município de Corumbá, a publicar o nomes de seus sócios e empregados, além de seus cargos, salários e jornadas de trabalho, no portal da transparência.

“Entendemos que a cidade precisa de mais transparência no tocante a informações dos prestadores de serviços. A partir do momento em que uma empresa privada recebe verba pública, ela deve passar pelos mesmo critérios que a Lei de Acesso à Informação nos aplica”, citou Gabriel.

“O direito à informação pública está ligado diretamente à noção de democracia e o acesso às informações públicas possibilita uma participação ativa da sociedade nas ações governamentais e, consequentemente, traz inúmeros ganhos como prevenção da corrupção, melhoria da gestão pública e do processo decisório, fortalecimento da democracia e do controle social”, comentou.

“A obrigatoriedade de divulgar informações minuciosas sobre as empresas contratadas certamente traria mais transparência à gestão pública e dificultaria a prática do favorecimento indevido de familiares, bem como a contratação de pessoas sem qualificação em troca de favores políticos”, completou.

Pelo Projeto de Lei, as empresas terceirizadas deverão apresentar no prazo de 30 dias, a partir da assinatura do contrato com os órgãos públicos municipais, no portal de transparência do contratante, todas as informações elencadas na proposta, sob pena de pagamento de multas, e 15 dias, após penalizadas, para regularização, com risco de ter contrato rescindindo automaticamente, se não cumprir o prazo estabelecido.

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Cota Zero
Empresários realizam encontro da pesca no Pantanal em apoio a cota zero
Saneamento
Audiência pública vai debater contrato de concessão dos serviços de água e esgoto
Geral
Corumbá recebe coordenação do Programa Prefeito Amigo da Criança
Cidade
LGBT em Foco discute “Homofobia, Transfobia e Lesbofobia” nesta 2ª feira
Espaço saudável
Vereador sugere parceria para construção de parques infantis na cidade
Agricultura
Produtores de MS são conscientes da importância do vazio sanitário e Calendário de plantio
Ação Social
Ação mobilizou multidão no Centro Popular Nação Guató
Justiça
Ministério da Justiça prorroga presença da Força Nacional na fronteira
Resgatar Créditos
Tribunal de Contas pede prorrogação de Refis
Operação
Garras e Choque apreendem arsenal em residência

Mais Lidas

Justiça
Ministério da Justiça prorroga presença da Força Nacional na fronteira
Espaço saudável
Vereador sugere parceria para construção de parques infantis na cidade
Agricultura
Produtores de MS são conscientes da importância do vazio sanitário e Calendário de plantio
Política
Governador Reinaldo Azambuja vai à Brasília para debater diretrizes do FCO