Matrículas - Sesi

Programas do Sesi para segurança e saúde no trabalho recebem visibilidade nacional

Por Redação20 OUT 2017 - 09h50min

A redução na incidência dos acidentes e doenças de trabalho nas indústrias de todo o Brasil nos últimos dois anos, conforme constatação da própria Previdência Social, comprova que o setor industrial está compromissado com a construção de ambientes mais seguros e saudáveis para os trabalhadores. Para isso, buscam apoio em programas e serviços especializados visando não apenas atenderem a obrigações legais, mas, principalmente, implantarem sistemas de gestão integrada que reduzam custos com acidentes e adoecimentos do trabalhador.

Nesse sentido, o Sesi tem investido pesado em SST (Segurança e Saúde no Trabalho) e já é reconhecido nacionalmente pela prestação de serviços voltados ao cuidado com o trabalhador para promover o aumento da produtividade e competitividade das empresas, tanto que foi destaque no portal brasileiro de management “Case Studies”, da FGV (Fundação Getúlio Vargas). A publicação apontou que os esforços na promoção da saúde do Sesi estão diretamente relacionados à redução de faltas ao trabalho e ao aumento da produtividade dos trabalhadores.

Estatísticas mostram que investir em SST reduz acidentes de trabalho e melhora a saúde de funcionários.  Foto: Divulgação

“O Sesi tem se desdobrado nos últimos anos para realizar um trabalho mais aderente à necessidade da indústria. Com essa implantação dos Centros de Inovação, que começou em 2014 e hoje já está consolidado em oito Estados do País, percebemos o reconhecimento do esforço e trabalho do Sesi em prol do desenvolvimento da indústria. Saúde e segurança no trabalho é um item essencial para a competitividade das empresas”, declarou o superintendente do Sesi em Mato Grosso do Sul, Bergson Amarilla.

Segundo o gerente em SST (Saúde e Segurança do Trabalho) do Sesi no EStado, Nilson Mazurchi, a instituição já oferece desde o ano passado o serviço de consultoria em SST para as empresas. “Utilizamos um software que nos permite uma gestão integrada que tem por objetivo apoiar as empresas no atendimento à legislação, no aumento da produtividade com a melhoria da gestão e na redução de custos com a diminuição da incidência de doenças ocupacionais e acidentes de trabalho, os quais impactam diretamente o fator acidentário de prevenção (FAP), por exemplo”, afirmou.

Entre os produtos, estão a realização do PPRA (Programa de Prevenção de Risco e Acidente), PCMSO (Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional), CTCAT (Laudo Técnico das Condições do Ambiente de Trabalho) e PCMAT (Programa de Condições de Meio Ambiente e Trabalho). “Oferecemos tudo aquilo que as indústrias necessitam para legalizarem a parte de SST. Este ano, já atendemos, até setembro, 191 empresas em Mato Grosso do Sul”, detalhou Nilson Mazurchi.

Ele ainda acrescentou que o Sesi também oferece uma Consultoria de Risco Documental em SST e complementares. “É basicamente uma consultoria jurídica que visa ajudar nossos clientes na identificação das não conformidades nos documentos empregado-empregador dentro das legislações trabalhistas, e propor um plano de ação visando total atendimento à legislação”, afirmou.

Inovação em SST

Além dos tradicionais serviços para atender demandas específicas das empresas, como serviços especializados em promoção da saúde do trabalhador e programas legais em SST, o Sesi de Mato Grosso do Sul também oferece soluções mais sofisticadas que englobam sistemas de gestão integrada em saúde e segurança, que reflitam na redução de custos, no aumento da produtividade e no maior bem-estar dos trabalhadores dentro da empresa.

De acordo com o gerente de tecnologia em SST do Sesi, Ricardo Egidio dos Santos Junior, a instituição busca desenvolver tecnologias e processos de gestão em Segurança e Saúde no Trabalho. “Nosso objetivo é atuar de forma inovadora, desenvolvendo sistemas de informação de gestão, tecnologias em SST e inteligência de negócio, proporcionando à indústria brasileira sustentabilidade e ganho de competitividade”, explicou.

Ricardo Egidio aponta o Projeto de Sustentabilidade para Micro e Pequenas Empresas como um dos produtos a serem oferecidos. “Aprimoramos um modelo conceitual do Departamento Nacional do Sesi e implementamos uma ferramenta de gestão para ser utilizada em âmbito nacional. Agora estamos com perspectivas de novos projetos”, acrescentou.

Além disso, estão em fase de desenvolvimento dois outros projetos: “Realidade Virtual em SST” e “Gestão de Projetos BIM em SST”. “Com relação ao projeto de realidade virtual, é realizado em conjunto com a área de Educação e a ideia é criar sensações de realidade virtual para serem utilizadas nas capacitações de educação continuada em temáticas de SST. Um exemplo dessa aplicabilidade é num treinamento de brigada de incêndio, usando os óculos de realidade virtual como parte desse treinamento, para que o participante se veja numa situação de incêndio”, detalhou o gerente de tecnologia em SST do Sesi.

Já o “Gestão de Projetos BIM em SST” é um projeto que permite pensar em SST desde a concepção dos projetos de construção civil. “O BIM é uma metodologia de construção utilizada por arquitetos e engenheiros para criar a estrutura de uma obra com o máximo de detalhes possíveis. Dentro desse projeto, serão acrescentados os conceitos de saúde e segurança no trabalho, como equipamentos de proteção coletiva e seus impactos no processo construtivo”, completou Ricardo Egidio.

Centro de Inovação

Em Campo Grande (MS), está em construção o Sesi SST (Centro de Inovação em Saúde e Segurança no Trabalho). Com investimento de R$ 7 milhões, a obra tem 1,2 mil metros quadrados de área construída, com três pavimentos, incluindo salas de treinamento, salas de atendimento em saúde, salas de reunião e auditório, tudo planejado para atender às necessidades das empresas instaladas no Estado, como cursos de educação continuada relacionados à saúde e segurança do trabalho.

Segundo o presidente da Fiems, Sérgio Longen, trata-se de uma obra que reflete as metas do Sistema Indústria no Estado para apoiar e desenvolver o setor industrial no nosso Estado, dando mais competitividade às empresas e abrindo um leque de novas oportunidades. Ainda de acordo com ele, os serviços de gestão na área de saúde e segurança do trabalhador são uma grande demanda do empresariado atualmente. “Esse é um projeto que atende um desejo antigo das empresas. É o futuro dos serviços do Sesi, que envolve o nosso grande projeto na área gestão em saúde e segurança do trabalho”, afirmou.

Sérgio Longen completa que a previsão é entregar a obra no primeiro semestre de 2018 porque se trata de uma demanda urgente da indústria. “Esse setor do Sesi funciona hoje dentro do Edifício Casa da Indústria e entendemos que, a partir do momento da entrega, vamos ampliar e profissionalizar cada vez mais as relações do trabalho”, garantiu.

Já o superintendente do Sesi, Bergson Amarilla, destacou que a obra é a concretização de um projeto desenvolvido pela instituição. “Essa obra representa o reconhecimento da área de inovação dentro do Sesi na questão de saúde e segurança do trabalhador. É a concretização de um projeto que vem sendo desenvolvido há alguns anos e já é um dos oito centros de inovação no Brasil”, declarou. Informações da Fiems.

 

Deixe seu comentário

Leia Também

Política

No Ministério do Turismo, prefeito discute liberação de verbas para distrito turístico

Serviço

CAC fica aberto até às 19 horas de hoje para adesão ao REFIC

Fuga

Interno não consegue entrar com celular e foge do semiaberto

Serviço

Testes na nova ETA de Ladário pode causar falta de água até sábado (25)

Otimismo

Aumenta vagas de emprego no comércio de MS

Comunicado

Prorrogada publicação dos classificados no processo seletivo da Fundtur

Educação

Governo finaliza compra de uniformes, kits e merenda escolar para 2018