Andorinha - Compra antecipada

Programas do Sesi para segurança e saúde no trabalho recebem visibilidade nacional

Por Redação20 OUT 2017 - 09h50min

A redução na incidência dos acidentes e doenças de trabalho nas indústrias de todo o Brasil nos últimos dois anos, conforme constatação da própria Previdência Social, comprova que o setor industrial está compromissado com a construção de ambientes mais seguros e saudáveis para os trabalhadores. Para isso, buscam apoio em programas e serviços especializados visando não apenas atenderem a obrigações legais, mas, principalmente, implantarem sistemas de gestão integrada que reduzam custos com acidentes e adoecimentos do trabalhador.

Nesse sentido, o Sesi tem investido pesado em SST (Segurança e Saúde no Trabalho) e já é reconhecido nacionalmente pela prestação de serviços voltados ao cuidado com o trabalhador para promover o aumento da produtividade e competitividade das empresas, tanto que foi destaque no portal brasileiro de management “Case Studies”, da FGV (Fundação Getúlio Vargas). A publicação apontou que os esforços na promoção da saúde do Sesi estão diretamente relacionados à redução de faltas ao trabalho e ao aumento da produtividade dos trabalhadores.

Estatísticas mostram que investir em SST reduz acidentes de trabalho e melhora a saúde de funcionários.  Foto: Divulgação

“O Sesi tem se desdobrado nos últimos anos para realizar um trabalho mais aderente à necessidade da indústria. Com essa implantação dos Centros de Inovação, que começou em 2014 e hoje já está consolidado em oito Estados do País, percebemos o reconhecimento do esforço e trabalho do Sesi em prol do desenvolvimento da indústria. Saúde e segurança no trabalho é um item essencial para a competitividade das empresas”, declarou o superintendente do Sesi em Mato Grosso do Sul, Bergson Amarilla.

Segundo o gerente em SST (Saúde e Segurança do Trabalho) do Sesi no EStado, Nilson Mazurchi, a instituição já oferece desde o ano passado o serviço de consultoria em SST para as empresas. “Utilizamos um software que nos permite uma gestão integrada que tem por objetivo apoiar as empresas no atendimento à legislação, no aumento da produtividade com a melhoria da gestão e na redução de custos com a diminuição da incidência de doenças ocupacionais e acidentes de trabalho, os quais impactam diretamente o fator acidentário de prevenção (FAP), por exemplo”, afirmou.

Entre os produtos, estão a realização do PPRA (Programa de Prevenção de Risco e Acidente), PCMSO (Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional), CTCAT (Laudo Técnico das Condições do Ambiente de Trabalho) e PCMAT (Programa de Condições de Meio Ambiente e Trabalho). “Oferecemos tudo aquilo que as indústrias necessitam para legalizarem a parte de SST. Este ano, já atendemos, até setembro, 191 empresas em Mato Grosso do Sul”, detalhou Nilson Mazurchi.

Ele ainda acrescentou que o Sesi também oferece uma Consultoria de Risco Documental em SST e complementares. “É basicamente uma consultoria jurídica que visa ajudar nossos clientes na identificação das não conformidades nos documentos empregado-empregador dentro das legislações trabalhistas, e propor um plano de ação visando total atendimento à legislação”, afirmou.

Inovação em SST

Além dos tradicionais serviços para atender demandas específicas das empresas, como serviços especializados em promoção da saúde do trabalhador e programas legais em SST, o Sesi de Mato Grosso do Sul também oferece soluções mais sofisticadas que englobam sistemas de gestão integrada em saúde e segurança, que reflitam na redução de custos, no aumento da produtividade e no maior bem-estar dos trabalhadores dentro da empresa.

De acordo com o gerente de tecnologia em SST do Sesi, Ricardo Egidio dos Santos Junior, a instituição busca desenvolver tecnologias e processos de gestão em Segurança e Saúde no Trabalho. “Nosso objetivo é atuar de forma inovadora, desenvolvendo sistemas de informação de gestão, tecnologias em SST e inteligência de negócio, proporcionando à indústria brasileira sustentabilidade e ganho de competitividade”, explicou.

Ricardo Egidio aponta o Projeto de Sustentabilidade para Micro e Pequenas Empresas como um dos produtos a serem oferecidos. “Aprimoramos um modelo conceitual do Departamento Nacional do Sesi e implementamos uma ferramenta de gestão para ser utilizada em âmbito nacional. Agora estamos com perspectivas de novos projetos”, acrescentou.

Além disso, estão em fase de desenvolvimento dois outros projetos: “Realidade Virtual em SST” e “Gestão de Projetos BIM em SST”. “Com relação ao projeto de realidade virtual, é realizado em conjunto com a área de Educação e a ideia é criar sensações de realidade virtual para serem utilizadas nas capacitações de educação continuada em temáticas de SST. Um exemplo dessa aplicabilidade é num treinamento de brigada de incêndio, usando os óculos de realidade virtual como parte desse treinamento, para que o participante se veja numa situação de incêndio”, detalhou o gerente de tecnologia em SST do Sesi.

Já o “Gestão de Projetos BIM em SST” é um projeto que permite pensar em SST desde a concepção dos projetos de construção civil. “O BIM é uma metodologia de construção utilizada por arquitetos e engenheiros para criar a estrutura de uma obra com o máximo de detalhes possíveis. Dentro desse projeto, serão acrescentados os conceitos de saúde e segurança no trabalho, como equipamentos de proteção coletiva e seus impactos no processo construtivo”, completou Ricardo Egidio.

Centro de Inovação

Em Campo Grande (MS), está em construção o Sesi SST (Centro de Inovação em Saúde e Segurança no Trabalho). Com investimento de R$ 7 milhões, a obra tem 1,2 mil metros quadrados de área construída, com três pavimentos, incluindo salas de treinamento, salas de atendimento em saúde, salas de reunião e auditório, tudo planejado para atender às necessidades das empresas instaladas no Estado, como cursos de educação continuada relacionados à saúde e segurança do trabalho.

Segundo o presidente da Fiems, Sérgio Longen, trata-se de uma obra que reflete as metas do Sistema Indústria no Estado para apoiar e desenvolver o setor industrial no nosso Estado, dando mais competitividade às empresas e abrindo um leque de novas oportunidades. Ainda de acordo com ele, os serviços de gestão na área de saúde e segurança do trabalhador são uma grande demanda do empresariado atualmente. “Esse é um projeto que atende um desejo antigo das empresas. É o futuro dos serviços do Sesi, que envolve o nosso grande projeto na área gestão em saúde e segurança do trabalho”, afirmou.

Sérgio Longen completa que a previsão é entregar a obra no primeiro semestre de 2018 porque se trata de uma demanda urgente da indústria. “Esse setor do Sesi funciona hoje dentro do Edifício Casa da Indústria e entendemos que, a partir do momento da entrega, vamos ampliar e profissionalizar cada vez mais as relações do trabalho”, garantiu.

Já o superintendente do Sesi, Bergson Amarilla, destacou que a obra é a concretização de um projeto desenvolvido pela instituição. “Essa obra representa o reconhecimento da área de inovação dentro do Sesi na questão de saúde e segurança do trabalhador. É a concretização de um projeto que vem sendo desenvolvido há alguns anos e já é um dos oito centros de inovação no Brasil”, declarou. Informações da Fiems.

 

Deixe seu comentário

Leia Também

Emprego

MS tem 11 concursos abertos e salários de até R$ 9,4 mil nesta semana

Turismo

Aumento de frequência e novos voos conectam MS a principais destinos do País

Cervo-do Pantanal

PMA autua fazendeiro em operação contra o desmatamento ilegal

CFC Combat

MMA: Iron da show , vence cinco lutas e garante dois cinturões

Coffee Break

Maior escândalo de corrupção da Capital completa 04 anos e ninguém preso ou processado

Operação Boas Festas

Polícia Militar prende adolescente infrator por furto

Maus tratos

Homem é preso bêbado após dar paulada em criança de sete anos