Andorinha - Compra antecipada

Presídio de Corumbá trabalha ressocialização de detentas com concurso de prosa e poesia

Por Portal do MS01 NOV 2017 - 12h32min
Primeiro concurso "Prose e Poesia" foi realizado nesta terça, 31 de outubro.Foto: Divulgação

Sentimentos e aspirações reproduzidos em folhas de papel, proporcionando a sensação de liberdade e o estímulo para escrever uma história de vida diferente. Com essa proposta, reeducandas do Estabelecimento Penal Feminino “Carlos Alberto Jonas Giordano” (EPFCAJG), em Corumbá, participaram do 1º concurso “Prosa e Poesia”, cuja premiação foi realizada nessa terça-feira (31.10).

A iniciativa foi realizada pela Agência Estadual de Administração do sistema Penitenciário (Agepen), por meio da direção e setor psicossocial do presídio, em conjunto com a EE Polo “Regina Anffe Nunes Betine”, responsável pelo ensino nas unidades prisionais do Estado. Lançado no final de setembro, o concurso teve como foco estimular o hábito da leitura entre as detentas, bem como a prática da escrita, possibilitando novas expectativas sociais e profissionais.

“Buscamos unir o psicossocial com a educação e, através disso, apostamos que a leitura tem o poder de transformar, sendo na mudança de atitudes, fortalecendo o processo de ressocialização de cada uma das internas”, destacou a idealizadora do projeto, agente penitenciária Gisela Nazareth Nunes, que atua como assistente social no EPFCAJG.

Segundo Gisela foram inscritos sete textos na categoria prosa e outros sete na poesia. Todos os 14 trabalhos apresentados foram avaliados por oito jurados convidados, entre eles, escritores e pessoas ligadas ao meio literário. Professores que atuam no presídio também participaram das avaliações.

A custodiada Jéssica Gutierrez da Silva conquistou a primeira colocação na categoria poesia, com o tema “Doce Sentimento”. Para ela, foi uma possibilidade de declarar seu amor por alguém que a espera fora dos muros da prisão. “Assim que soube do concurso resolvi escrever esse texto, pois a doce lembrança de amar alguém me faz ter forças para enfrentar as dificuldades e acreditar que somos capazes”, declarou a vencedora.

Apaixonada por escrever poesia, a reeducanda revelou ter um caderno com outros textos. “A escrita é a melhor maneira de desabafar tudo aquilo que você sente. Sei que na vida cometemos tropeços e que devemos arcar com as consequências, mas daqui pra frente, quero sempre o melhor para minha vida”, afirmou.

Na categoria prosa, o texto escolhido pelos jurados como sendo mais bem escrito foi da interna Lisavania da Silva Ribeiro, com o tema “Conceito de Vida”, no qual abordou as responsabilidades das escolhas que fazemos e a importância de valorizar o nosso próximo. “O amor transforma as pessoas, devemos ajudar sem olhar a quem, mesmo que o nosso próximo não nos retribua na mesma proporção com o que fizemos, respeitando a lei dos homens e, principalmente, a lei de Deus”, relatou em um trecho.

Transformação

Se “ler é sonhar pelas mãos de outrem”, como definiu o escritor Fernando Pessoa, para a reeducanda Núbia da Silva, as atividades de leitura e escrita que participou no presídio contribuíram não só para que ela voltasse a sonhar, mas também para que refletisse sobre as consequências para quem ingressa na vida do crime.

Nas estrofes da poesia “Se eu pudesse voltar”, que escreveu, ela revelou que buscou expressar o sentimento de arrependimento, além de ser uma forma de pedir perdão à filha. “Se eu realmente pudesse voltar no tempo, jamais teria feito o que me trouxe até aqui. São anos roubados da minha vida, mas com a consciência de que estou aqui para pagar por algo que fiz. O tempo é bom e cruel ao mesmo tempo, pois nos ajuda a refletir no errado e também a encontrar o certo daqui para frente. Tenho a certeza que será só mudança”, declarou.

A diretora do estabelecimento penal, Anelise Lázaro de Lima, acredita que ações como o concurso de prosa e poesia são importantes no ambiente prisional, pois acrescentam práticas positivas à rotina das detentas, contribuindo diretamente no processo de ressocialização e para a não-reincidência no crime.

“É mais uma proposta que ajuda na autoestima dessas mulheres em situação de prisão, para que realmente queiram uma transformação em suas vidas.  Aqui, nossa equipe trabalha para melhorar o ambiente prisional, ou seja, tentar buscar realmente a ressocialização de cada uma das internas”, afirmou a dirigente.

As três vencedoras de cada categoria foram premiadas com um certificado alusivo ao concurso, medalha, livros e cartilhas de autores corumbaenses, além de kits com produtos de beleza.

O projeto contou com o apoio da Fundação de Cultura de Corumbá, da Câmara Municipal de Vereadores, do Exército Brasileiro, da Secretaria Municipal de Assistência Social e Cidadania, do Sesc Corumbá, do Departamento de Letras da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), de agentes religiosos, de escritores e de poetas corumbaenses.

Confira o resultado:

Categoria Prosa:

  • 1º lugar: Lisavania da Silva Ribeiro- Tema: “Conceito de Vida”;
  • 2º lugar: Lilian Trindade de Abreu- Tema: “Escolhas Incertas”;
  • 3º lugar: Ieda Paim Duarte- Tema: “Liberdade e fé”.

Categoria Poesia:

  • 1º lugar: Jéssica Gutierrez Silva- Tema: “Doce Sentimento”;
  • 2º lugar: Núbia Silva Souza- Tema: “Se eu pudesse voltar”;
  • 3º lugar: Francislaine dos Santos Silva- Tema: “Aos meus mestres”.

 

Deixe seu comentário

Leia Também

Incêndio

Fogo destrói totalmente loja ‘Tentação’ em Corumbá

Posse

Caravana sairá de Corumbá para a posse de Jair Bolsonaro

Operação Boas Festas

Em três dias blitz apreende 64 motos e sete carros

Operação Boas Festas

Presos autores de sequestro, cárcere privado, roubo de caminhonete e tentativa de homicídio

Plantão Bombeiros

Bombeiros combatem incêndio, socorrem mulher espancada e acidentado

Imprudência

Embriagado homem é atropelado por trem e tem perna arrancada

Emprego

MS tem 11 concursos abertos e salários de até R$ 9,4 mil nesta semana