Menu
segunda, 09 de dezembro de 2019
Campanha Viajar Andorinha - Saudade
Mobile - Campanha Viajar Andorinha - Abraço
Geral

Número de acidentes em rodovias federais de MS aumentam 22% sem uso de radares móveis

03 dezembro 2019 - 09h33Daiany Albuquerque

Os meses de setembro e outubro deste ano registraram alta de 22% no número de acidentes em rodovias federais em Mato Grosso do Sul, em relação ao mesmo período do ano passado. O aumento ocorre justamente no período subsequente à determinação do governo federal de suspender o uso de radares móveis em rodovias federais.

Dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF) no Estado apontam que, em setembro deste ano, foram registrados 129 acidentes, contra 105 do ano passado. Já em outubro de 2018 foram 106 sinistros e neste ano 130.

A determinação do governo de suspender a utilização dos equipamentos, que eram usados pela PRF nas rodovias federais, foi publicada no Diário Oficial da União do dia 15 de agosto. A ordem foi dada ao Ministério da Justiça, órgão responsável pela PRF.

A medida se aplica a radares móveis instalados em veículo parado ou sobre suporte (estático), em veículo em movimento (móvel) e direcionados manualmente para os veículos (portátil).

Conforme a PRF no Estado, havia cinco equipamentos desses atuando apenas na rodovia BR-163. Porém, para a corporação, a não utilização do equipamento não seria um dos motivos do aumento de acidentes, justamente neste período posterior à determinação.

“A evolução do número de acidentes tem, pelo menos, cinco fatores diretos e um indireto. Os cinco diretos são educação, fiscalização, punição, qualidade do socorro e engenharia (que se subdivide em tráfego e veicular). O externo vem de fatores econômicos que impactam o volume de trânsito”, afirmou o inspetor da PRF Tércio Baggio.

Segundo a PRF, apesar de ter perdido os cinco equipamentos da BR-163, outros 38 novos pontos de radares fixos foram instalados este ano na rodovia, que operam 24 horas por dia, sete dias por semana. “Temos avançado em todos os itens, o saldo é muito mais positivo quanto à fiscalização”, declarou Baggio.

Este ano, até o dia 25 de novembro, foram registrados 1.252 acidentes em rodovias federais do Estado, desses casos, 369 foram graves, resultando em 1.504 feridos e 105 pessoas mortas.

No ano passado, no entanto, foram 1.366 acidentes até o fim de novembro, sendo 359 graves, com 1.687 feridos e 103 mortos. Ou seja, apesar do registro menor de acidentes este ano, mais pessoas morreram em um menor intervalo de tempo.

A polícia vê que esses números ainda estão abaixo do “auge” no número de mortos, em 2016. “Bem antes da saída do radar móvel. Os radares portáteis passavam vários dias sem operar por falta de efetivo. No quesito radar, houve ganhos”, avalia o inspetor.

Números

Conforme dados da PRF, a falta de atenção à condução tem sido a maior causa de acidentes nas rodovias federais, tanto este ano como no anterior. Em 2019, foram 457 acidentes e 525 no ano passado.

A segunda causa mais comum de acidentes no Estado foi a desobediência às normas de trânsito, com 203 acidentes em 2018 e 167 este ano. Segundo Baggio, os dois itens estão relacionados a vários fatores, entre eles o excesso de velocidade.

A suspensão, de acordo com a União, teve a intenção de evitar o “desvirtuamento do caráter educativo e a utilização meramente arrecadatória dos aparelhos”. Uma nova resolução sobre o uso dos equipamentos deverá ser publicada.

Conforme o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, na época da publicação, estudos da nova resolução para funcionamento dos radares estavam “bastante avançados”. Entretanto, três meses depois, nada foi publicado.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Busca continua
Homem que caiu no rio Paraguai continua desaparecido
Trânsito
Motociclista fratura nariz em queda acidental de moto
Trânsito
Colisão entre carro e moto causa fratura e multiplos ferimentos em mulher
Contra o abandono animal
Hoje (7) tem adoção Pet no CCZ de Campo Grande
Oportunidade
IFMS abre inscrições para especialização gratuita em docência
São ofertadas 200 vagas em Campo Grande, Corumbá, Jardim, Ponta Porã e Três Lagoas. As inscrições seguem até 9 de janeiro
Pesquisa
Natal e Ano Novo devem movimentar R$ 48,8 milhões no comércio de Corumbá e Ladário
Jovens e Adultos
Participantes já podem conferir os resultados do Encceja
Consumidor
Corumbá firma convênio com TJ para conciliação e mediação de conflitos
Posse
“A Polícia Federal precisa ampliar sua estrutura na região”, afirma o novo delegado da PF em Corumbá
Polícia Federal
Posto de Controle Migratório Terrestre na fronteira é ampliado

Mais Lidas

Busca continua
Homem que caiu no rio Paraguai continua desaparecido
Trânsito
Motociclista fratura nariz em queda acidental de moto
Trânsito
Colisão entre carro e moto causa fratura e multiplos ferimentos em mulher
Contra o abandono animal
Hoje (7) tem adoção Pet no CCZ de Campo Grande