Menu
terça, 15 de outubro de 2019
Campanha Viajar Andorinha - Abraço
Mobile - Campanha Viajar Andorinha - Abraço
Geral

MPF encerra por acordo 26 ações criminais de menor gravidade no Estado

08 outubro 2019 - 10h10Assessoria

O Ministério Público Federal em Mato Grosso do Sul (MPF/MS) celebrou ao longo deste ano 26 acordos de não persecução penal, que é quando o réu admite a culpa e se compromete a reparar o prejuízo cometido. Do total de processos, destacam-se os crimes de contrabando e não pagamento do imposto de importação, que somam 10 casos. Também figuram estelionato, falsificação de documentos, uso de moeda falsa, CNH falsa e importação e revenda de substâncias proibidas. O acordo é celebrado pelo MPF e a defesa do réu, sendo posteriormente homologado pela Justiça.

Somados os 26 acordos, foram revertidos para a sociedade um total de R$ 6,2 mil em produtos (fraldas, roupa de cama e alimentos) e ainda 10 conjuntos escolares de mesas e cadeiras e um bebedor entregues a entidades de assistência social. A Polícia Federal recebeu 60 webcams para uso nas investigações do órgão. Em três casos, foi estipulada prestação de serviços à comunidade. Em quatro casos de estelionato, houve ainda a reparação do prejuízo causado às vítimas.

O acordo de não persecução penal é uma prática adotada pelo Ministério Público Federal que visa acelerar os processos penais e garantir efetividade, reparando a vítima pelos danos causados e economizando recursos do Ministério. Porém, para que esse acordo seja firmado, é necessário atender a alguns requisitos: o crime não pode ter sido cometido com violência ou grave ameaça à pessoa, e é necessária uma confissão formal registrada por meios audiovisuais, o dano deve ser reparado e a vítima restituída e deve ser paga prestação pecuniária a entidades públicas ou de interesse social, entre outras condições.

Em nota técnica produzida pela Câmara Criminal do MPF, é destacado que os acordos são importantes instrumentos para que o Brasil tenha um sistema de Justiça mais ágil, eficiente, moderno e desburocratizado, sem deixar de garantir os direitos fundamentais do cidadão.

O documento explica que o acordo penal abre espaço para a resolução de conflitos por meio de consenso entre as partes, poupando tempo e diminuindo custos no processo judicial. Com isso, os encarregados da persecução penal ganham mais tempo para se dedicar à criminalidade mais grave, complexa e organizada, trazendo importantes benefícios para a sociedade.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Educação
Deputado Evander solicita à SED cursos técnicos na Escola 2 de Setembro de Ladário
21 milhões de animais
Iagro define calendário de vacinação contra febre aftosa em Mato Grosso do Sul
Corumbá
Contrato prevê R$ 20,6 milhões em compensação ambiental por mineração
Balanço
Maternidade da Santa Casa faz 23 partos em 72 horas
Mérito
Dr. Manoel João, da Santa Casa de Corumbá, recebe homenagem da Assembleia Legislativa de MS
Ação Social
Bingo Solidário da Rede Feminina acontece neste sábado, dia 26
Evento
Fundação de Cultura MS lança Festival América do Sul nesta quarta, dia 16
Crime Ambiental
PMA e Ibama apertam cerco contra o tráfico de animais
Utilidade Pública
Bairros de Ladário podem ficar sem água mais uma vez
Geral
Senai de Campo Grande promove de 22 a 25 de outubro a 1ª Semana de Refrigeração

Mais Lidas

Aterrorizante
Madrasta é acusada de arrancar cabelos de menina de 7 anos em Campo Grande
Chacina
Três homens são assassinados com tiros na cabeça e tórax na região rural de Corumbá
Policial
Mulher usa faca para defender filhos de marido agressor
Tráfico de Drogas
Mulheres são flagradas com mais de 8 quilos de cocaína na fronteira Brasil/Bolívia