Menu
sexta, 20 de setembro de 2019
Câmara de Campo Grande - 120 de Campo Grande
Mobile - Campanha Viajar Andorinha - Felicidade
Geral

Marun diz que volta a Itaipu num momento decisivo para rota bi oceânica

03 setembro 2019 - 17h35Sylma Lima

Após cinco meses após ser afastado do Conselho da Itaipu Binacional por decisão do desembargador Rogério Favreto por ter ocupado cargo no Governo Federal, desembargadores do TRF4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) cassaram a liminar e liberaram, na tarde desta terça-feira,03,  o ex-ministro Carlos Marun para retornar ao cargo.

Em entrevista ao Capital do Pantanal , Marun disse que esta pronto para trabalhar, “ por dois votos a um o desembargador foi derrotado, a liminar cassada e estou apto a retornar as minhas funções, sem assinatura de posse, pois a minha assinatura de janeiro tem validade e permite que eu retome meu trabalho imediatamente” . Ele disse também que Mato Grosso do Sul nunca teve ninguém num órgão como o Conselho de Itaipu ou cargo desta relevância, “ e temos que consolidar esta conquista porque eu consegui que a Itaipu bancasse a construção dessa ponte bi oceânica entre Carmelo Peralta e Porto Murtinho,  que vai unir o pacifico ao atlântico através de MS,  eu volto ao Conselho e estou disposto e feliz para ajudar nosso Estado e vamos em frente” , disse o ex ministro  Carlos Marun.

Votação

O voto decisivo no agravo de instrumento foi dado pela desembargadora Vânia Hack, contra decisão que suspendia o efeito da posse no cargo

Afastamento

A nomeação do ex-ministro já havia sido questionada em ação popular apresentada pelo advogado Rafael Evandro Fachinello que obteve o apoio do Ministério Púbico Federal. Na primeira instância, o pedido de retirada de Marun do conselho não foi aceito.

Segundo a decisão inicial do desembargador Rogério Favreto, Marun não pôde permanecer no conselho da Itaipu Binacional por ter ocupado o cargo no Governo Federal.

“Logo, não se trata de nomeação de natureza discricionária do Presidente da República, como entendido na decisão agravada, mas sim designação subordinada a determinados preceitos superiores, como os previstos na Lei 13.303/16, de ordem protetiva à probidade e moralidade administrativa”, afirmou o magistrado. (Com informações do Midiamax)

Deixe seu Comentário

Leia Também

Saúde
Vereador pede melhorias na estrutura da unidade de saúde da Nova Corumbá
comunicação
Vereador volta cobrar lojas de operadoras de telefonia na cidade
Geral
Semana nacional do trânsito: vistoria veicular contribui para segurança nas vias
Policial
Polícia Militar recupera motocicleta roubada
Esporte e Lazer
Vereador reivindica área de lazer para atender comunidade do Maria Leite
Policial
Foragido chama a polícia após levar tiro e acaba preso
Geral
Sesc Corumbá recebe 12ª Mostra Cinema e Direitos Humanos
Acontece de 26 a 28 de setembro
Campanha
Meio Ambiente apresenta resultado da campanha “Na Sombra de uma Árvore”
Cidade
Na Câmara, vereador pede recadastramento imobiliário de Corumbá
Dia das Crianças
Dia das Crianças: concurso de frases tem inscrições abertas em Corumbá

Mais Lidas

Policial
Foragido chama a polícia após levar tiro e acaba preso
Campanha
Meio Ambiente apresenta resultado da campanha “Na Sombra de uma Árvore”
Dia das Crianças
Dia das Crianças: concurso de frases tem inscrições abertas em Corumbá
Cidade
Na Câmara, vereador pede recadastramento imobiliário de Corumbá