Menu
sexta, 22 de novembro de 2019
Campanha Viajar Andorinha - Felicidade
Mobile - Campanha Viajar Andorinha - Saudade
Geral

Marun diz, "Eleições em Mato Grosso do Sul deveriam ser adiadas

14 setembro 2018 - 15h03Correio do Estado

O ministro de Governo, Carlos Marun (MDB), disse, nesta sexta-feira (14), durante encontro para visitar a obra de ampliação do anel viário em Campo Grande, que as "Eleições em Mato Grosso do Sul deveriam ser adiadas".

A declaração dele tem relação com a prisão de André Puccinelli (MDB), um dia antes da convenção estadual em que Puccinelli seria lançado como candidato ao governo do Estado e a operação Vostok, deflagrada pela Polícia Federal na quarta-feira (12), tendo o governador  Reinaldo Azambuja (PSDB) com um dos alvos.

“Tenho uma certa contrariedade com medidas que são tomadas nas vésperas do pleito. Isso aconteceu com André, na véspera da convenção, e agora acontece com Azambuja. Penso que isso poderia ter acontecido há dois ou três meses atrás”, completou Marun.

O ministro reforçou que o candidato ao governo pelo partido é Junior Mochi e pontuou que este é o momento de a população prestar atenção. “Não vejo espaço legal para esse adiamento”, declarou sobre a possibilidade levantada por ele de adiamento das eleições,  “mas dentro de uma racionalidade é uma eleição que digamos que preocupa muito. “A gente que a população tome as decisões corretas nesses dias que antecedem o pleito”, finalizou.

PRISÃO DE PUCINELLI

André Puccinelli (MDB), o filho André Puccinelli Júnior e o sócio do Instituto Ícone, o advogado João Paulo Calves estão presos desde o dia 20 de julho no Complexo Penitenciário localizado no Jardim Noroeste, em Campo Grande, por conta de denúncias do Ministério Público Federal (MPF) com base em documentos apreendidos na Operação Lama Asfáltica.

OPERAÇÃO VOSTOK

Na quarta-feira (12), o filho do governador do Estado de Mato Grosso do Sul, Rodrigo Souza e Silva e outros 13 nomes ligados ao governo do Estado foram alvos de mandado de prisão decretado pela Polícia Federal (PF).  Eles são apontados pela PF como integrantes de um esquema de pagamento de propina envolvendo pecuaristas, a cúpula dos Poderes Executivo e Legislativo estaduais, além do Tribunal de Contas do Estado.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Ponta Porã
Queda de helicóptero feriu 15 na fronteira com Paraguai e destruiu fábrica com incêndio
Solidariedade
Campanha de Natal do TJMS tem presentes a partir de R$ 50
Economia
Novos empreendimentos colocam o Estado em posição de destaque na abertura de vagas
Educação
Escolas Cívico-Militares terão bombeiros e policiais em 2020
Dados Caged
Geração de empregos dobra em um ano em Mato Grosso do Sul
Até R$ 500
Saque imediato do FGTS para nascidos em junho e julho começa hoje
Utilidade Pública
Cadastro para castração gratuita de cães e gatos em Ladário vai até 29 de Novembro
Falta de água
Bairros de Ladário podem ficar sem água nesta sexta-feira (22)
Geral
Moinho Cultural é finalista em programa de mentoria da Ambev
Resultado Positivo
Índice Geral de Desempenho Industrial de MS completa 17 meses acima dos 50 pontos

Mais Lidas

Transporte
Uber começa a operar em Corumbá e Três Lagoas nesta quinta-feira (21)
Não às Drogas
Jovens estudantes fazem caminhada contra as drogas no centro de Corumbá
De olho
Justiça Federal aceita denúncia e cinco tornam-se réus por fraudarem licitação de mais de R$ 2 milhões
Dinheiro era destinado para alimentação hospitalar. Um dos réus é ex-secretário de Saúde de Dourados
Oportunidade
Nova legislação deve aumentar as vagas de trabalho temporário em 2019