Micareta

Instituto Homem defende recuperação do Rio Taquari no II Encontro Carta Caiman

Por Redação23 OUT 2017 - 09h10min
Mãrcia Rolon, presidente do IHP e natural da região do Taquari, classifica a atual situação do Rio como um dos maiores desastres ambientais do planeta. Foto: Divulgação/IHP

Ao participar do encerramento do II Encontro Carta Caiman no Refúgio Ecológico Caiman, em Miranda, no sábado (21) o presidente Michel Temer assinou várias medidas na área ambiental,  entre elas a que assegura recursos que serão aplicados na recuperação da Bacia do Taquari, que há décadas sofre com o processo de assoreamento. O valor é parte dos  R$ 4,6 bilhões em multas ambientais federais que serão convertidas em ações de preservação ambiental.

No encontro, estava presente a presidente do Instituto Homem Pantaneiro, Márcia Rolon, que é natural da região do Rio Taquari e classifica a situação do rio como um dos maiores desastres naturais do planeta. “Todos nós aqui hoje esperamos que essas medidas realmente saiam do papel e que a recuperação da área realmente aconteça; que não fique apenas no discurso e no campo das ideias, porque há anos escutamos a mesma conversa. Enquanto isso, o prejuízo econômico, social e ambiental é incalculável.” 

Com quase 1.3 milhões de hectares inundados permanente, o assoreamento do Rio Taquari representa mudanças profundas no regime das águas do Pantanal, com consequências graves para todo o bioma, assim como para quem vive na região.

Projeto Cabeceiras do Pantanal

O projeto Cabeceiras do Pantanal, realizado pelo Instituto Homem Pantaneiro,  tem como objetivo proteger as nascentes e áreas de preservação permanente (APPs) da região do Planalto da Bacia do Alto Paraguai (BAP). Várias organizações se uniram ao IHP/Rede do Amolar neste esforço. Com o auxílio da geotecnologia e levantamentos de campo será realizado um diagnóstico da situação dessas nascentes e APPs. A Plataforma Geopantanal vai sistematizar e disponibilizar, em ambiente web, dados de satélites combinados com dados de campo (monitoramento ambiental e pesquisas) da região de abrangência do projeto. Os resultados obtidos vão orientar os esforços de mobilização de todos os setores para a proteção e conservação das nascentes e APPs do Pantanal.

II Encontro Carta Caiman

O encontro foi realizado com objetivo de validar o acordo firmado no ano passado entre os governos de Mato Grosso do Sul e do Mato Grosso para a preservação do Pantanal.

Em outubro de 2016, o Pantanal “passou a ser único” para as duas administrações estaduais com a criação de grupo de trabalho para discutir ações integradas para preservar o bioma e promover o desenvolvimento econômico e social na região na planície.

O documento, chamado de Carta Caiman e assinado pelos governadores Reinaldo Azambuja (PSDB) e Pedro Taques (PDT), previa prazo de 12 meses para o planejamento das medidas. Informações do IHP.

Deixe seu comentário

Leia Também

Policial

Homem vai para o hospital com golpes de facão no pescoço e intensa hemorragia

Geral

Primavera começa com possibilidade de novo episódio do El Niño

Eleições 2018

Reinaldo faz carreata em Corumbá, onde investiu pesadamente em saneamento

Eleições 2018

Credenciamento de imprensa para as Eleições 2018 começa nesta segunda-feira (24)

Acidente de trânsito

Homem morre em acidente de trânsito em curva da BR 262

Infraestrutura

Reinaldo em Ladário: solução para falta de água no município está em andamento

Acidente de trânsito

Motorista bêbado colide contra igreja