Matrículas - Sesi

Índice de Desempenho Industrial de MS sofre recuo mas permanece acima de 50 pontos

Por Fiems09 NOV 2017 - 09h33min

Há cinco meses consecutivos o IGDI (Índice Geral de Desempenho Industrial), que foi criado pelo Radar Industrial da Fiems e é calculado com base nas pesquisas de Confiança e Sondagem Industrial, está acima dos 50 pontos, o que na prática demonstra que o setor está em recuperação no Estado. No entanto, de acordo com o coordenador da Unidade de Economia, Estudos e Pesquisas da Fiems, Ezequiel Resende, em setembro o Índice alcançou 55,9 pontos, o que representou um recuo de 3,6% em relação a agosto, quando o resultado ficou em 58 pontos.

Em setembro o índice alcançou 55,9%. Foto: Divulgação

“Após quatro altas consecutivas o IGDI FIEMS apresentou recuo, sinalizando que na passagem de agosto para setembro teve uma redução no ritmo da atividade industrial em Mato Grosso do Sul. Contudo, o indicador permanece pelo quinto mês consecutivo acima dos 50 pontos, mostrando deste modo que, na média geral, o desempenho ainda foi positivo segundo a percepção dos empresários respondentes”, analisou Ezequiel Resende.

No mês, as contratações e a confiança foram as variáveis que apresentaram os melhores desempenhos, com elevações de 3,6 e de 1,4 pontos percentuais, respectivamente, indicando aumento do número de empregados quando comparado com o mês anterior e ICEI (Índice de Confiança do Empresário Industrial) positivo. Já produção industrial teve queda de 13,5 pontos percentuais e a utilização da capacidade instalada apresentou redução de 2 pontos percentuais, sendo que a intenção de investimento ficou estável.

Ezequiel Resende destaca que, no acumulado do ano, a produção industrial segue como a variável de melhor desempenho, com crescimento de 27,8%, enquanto as contratações registraram aumento de 15,2%, a confiança atingiu alta de 9,6%, a intenção de investimento elevou-se em 7,8% e a utilização da capacidade instalada cresceu 6%. Nos últimos 12 meses, as cinco variáveis registraram aumento, com as contratações chegando a 11,8%, a intenção de investimento 11,5%, a confiança 4,7%, a produção 2,7% e a utilização da capacidade instalada 1%.

O Índice

O IGDI reflete a percepção do empresário em relação ao desempenho apresentado pela atividade industrial. “Na elaboração, foram selecionadas cinco variáveis - emprego, investimento, produção industrial, utilização da capacidade instalada e confiança – e todas com peso de 20% na composição do Índice”, detalhou Ezequiel Resende.

No caso do emprego na indústria, o IGDI utiliza o percentual de estabelecimentos que aumentaram o número de empregados, enquanto na parte de investimento o Índice leva em consideração a intenção de investimentos para os próximos seis meses. Já da produção é usado o percentual de indústrias com a produção estável ou crescente, da utilização da capacidade instalada se pega o percentual médio e da confiança a base é o ICEI (Índice de Confiança do Empresário Industrial.

O IGDI Fiems contou com a avaliação, validação e auxílio técnico do professor-doutor Leandro Sauer, da Escola de Administração e Negócios e do Programa de Pós-Graduação em Administração (Mestrado e Doutorado) da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (ESAN/UFMS). “O professor é matemático com atuação na utilização de métodos quantitativos em economia e tem comprovada experiência na elaboração e uso de indicadores sintéticos”, reforçou Ezequiel Resende.

 

Deixe seu comentário

Leia Também

Conexão Internacional

Voo direto entre Campo Grande e Paraguai começa funcionar

Capital

Caminhada em Campo Grande pede tolerância com diversidade religiosa

Internacional

Paraguai reconstitui hoje assassinato de jornalista na fronteira com MS

Oportunidade

Semana começa com 420 vagas em concursos e salários de até R$ 19,4 mil

Serviço

Ação Cidadania da Fiems encerra o ano com 36,9 mil atendimentos

Educação

Prova do IFMS reúne mais de 3,4 mil candidatos em dez municípios

Serviço

Em Corumbá, vereador cobra instalação de loja ou posto de atendimento da Oi