Andorinha - Novos ônibus

Greve dos Correios não tem previsão para acabar, dizem funcionários em MS

Por Midiamax12 MAR 2018 - 08h51min
Trabalhadores irão definir período de greve após julgamento do TSTFoto: Midiamax

Os funcionários dos Correios fazem manifestação em frente ao centro operacional da empresa nesta segunda-feira (12) a partir das 9h. O protesto é uma forma de pressionar o poder público sobre julgamento no TST (Tribunal Superior do Trabalho) de uma cláusula sobre o plano de saúde dos funcionários. A depender do que for decidido no Tribunal, a paralisação pode seguir por tempo indeterminado.

De acordo com a presidente do Sintect (Sindicato dos Trabalhadores nos Correios Telégrafos e Similares de Mato Grosso do Sul), Elaine Regina, os Correios têm cerca de 1400 funcionários em todo o estado e a paralisação é uma forma de pressionar o julgamento que acontece nesta segunda-feira (12). Segundo Elaine, a alteração deveria ser feita diante de discussão com os trabalhadores. “O Acordo Coletivo foi feito ano passado, a empresa vai fazer uma mudança que o trabalhador não tem condição de pagar. Por enquanto, pagamos uma coparticipação no plano de saúde, mas agora a proposta é que, além disso, cada funcionário pague uma mensalidade fixa de mais de R$ 200”, afirma. Além da mensalidade, o TST vai julgar a retirada de pais e mães no plano de saúde.

A presidente do sindicato acredita em uma precarização do serviço dos Correios. Segundo Elaine Regina, a empresa prevê uma demissão em massa e fechamento de diversas agências em todo o Brasil. “Aqui em Mato Grosso do Sul já fecharam algumas e tentaram fechar a de Anhanduí e de Nova Casa Verde. No último dia 27, aprovaram o fechamento de mais agências”. A presidente afirma que a proposta da empresa é realocar o efeito e demitir os trabalhadores restantes.

A programação para as manifestações é de protesto em frente ao centro operacional dos Correios, localizada entre a Rua Barão do Rio Branco e a avenida Ernesto Geisel, e concentração na sede do sindicato às 13h30 para que funcionários assistam o julgamento.

Greve Nacional

A mobilização nacional foi convocada pela Fentect (Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios, Telégrafos e Similares) para manter o acordo coletivo e para ir contra as demissões na empresa.

A decisão da categoria aconteceu em assembleia geral no dia 2 de março, aderindo a greve nesta segunda-feira. Conforme o sindicato, os trabalhadores temem a perda de outros benefícios. O número de agências que devem parar totalmente ou parcialmente deve ser divulgado até a terça-feira (13).

Deixe seu comentário

Leia Também

Cultura

Marcha para Jesus reforça parceria de Corumbá e COREME

Saúde

MS está em campanha para vacinação de adolescentes contra HPV

Educação

IFMS segue com inscrições abertas para cursos técnicos integrados ao ensino médio

Saúde

MEC habilita faculdade particular para implantar curso de Medicina em Corumbá

Economia

Dólar abre em alta, cotado a R$ 4,12

Eleições 2018

Líder, Azambuja tem 42,9%; juiz Odilon é segundo, com 29,35%

Policial

Acusado de matar adolescente e jogar corpo em córrego se apresenta a polícia