Menu
sexta, 17 de janeiro de 2020
Andorinha - Horários Economicos
Mobile - Campanha Viajar Andorinha - Saudade
Geral

Gasolina pode ficar até R$ 0,22 mais cara em fevereiro

15 janeiro 2020 - 10h24Súzan Benites / Correio do Estado

O consumidor de Mato Grosso do Sul não perceberá tão cedo a redução de até 3% no preço da gasolina e do diesel, que começou a valer ontem (14) nas refinarias da Petrobras. O Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis, Lubrificantes e Lojas de Conveniência (Sinpetro) informa que o processo para a redução nos preços deve levar uma semana. No mês que vem, com a alta dos impostos, o preço da gasolina poderá ficar até R$ 0,22 mais alto nas bombas. 

Ainda que o preço caia nesta última quinzena de janeiro, no mês que vem o valor sofrerá novos reajustes, puxados pelo aumento da carga tributária:  a alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) saltará de 25% para 30%, e a base de cálculo do mesmo tributo (que é feita com a média dos preços praticados nos mês anterior à sua publicação) vai aumentar. Em contrapartida, existe a expectativa que o etanol fique mais barato: o ICMS cairá de 25% para 20% no mês que vem. 

Edson Lazarotto, presidente do Simpetro, projeta um aumento de até R$ 0,22 no preço da gasolina nas bombas. “Se usarmos a mesma pauta de hoje um acréscimo em centavos de R$ 4,4425 x 25 %= R$ 1,11 (por litro abastecido), com o novo decreto a partir de fevereiro, teremos  (se manter a mesma pauta atual )  4,4425 x 30 % = R$ 1,33  por litro abastecido, ou seja aumento de  R$ 0,22 por litro nas bombas, apenas de ICMS. Lembrando sempre o valor será esse, desde que nada de anormal ocorra até o início de fevereiro”, explicou.

Ainda segundo o diretor, existe uma cadeia antes dessa redução anunciada pela Petrobras chegar aos postos de combustíveis, mas a redução pode não chegar. “Vai da refinaria para as distribuidoras, depois o processo de distribuição e depois para os postos, que é o último elo dessa cadeia. Quando há qualquer alteração sempre seremos os último a sentir seus efeitos. Por exemplo, as distribuidoras enquanto não acabarem seus estoques (que compraram com preços mais altos) e receberem os novos produtos com preços com a referida redução, não repassam para os postos. Acreditamos que esse processo deve levar em torno de uma semana para se completar o ciclo total. Lembrando ainda que logo após o ataque dos Estados Unidos contra o Irã, ocorreu um aumento na ordem 4% nos preços do barril de petróleo e esse reajuste também não foi repassado para o consumidor final”, explicou Lazarotto.

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Evento
Festival Internacional de Pesca Esportiva em Corumbá esta confirmado para Abril
Para Enonomizar
Pesquisa divulga variação do preço de materiais escolares em três lojas de Corumbá
Aumento de 12,84%
MEC divulga reajuste do piso salarial de professores da educação básica para 2020
Eliminando Focos
Sábado é dia de mutirão de limpeza no bairro Popular Nova
Inédito
Comunidade indígena vítima de aplicação irregular de agrotóxico é indenizada em R$ 150 mil
Justiça atendeu pedido do Ministério Público Federal e condenou um proprietário rural, um piloto agrícola e a empresa contratante por danos morais coletivos
Polícia
Ponto de venda de droga é estourado no bairro Cravo Vermelho I
Polícia
Foragido é flagrado com mais de 80 papelotes no bairro Borroski
Educação
Estudantes de todo o país já podem conferir notas do Enem
As notas não cabem recurso. O espelho da prova, com detalhes da correção dos textos, será divulgado em março
Bombeiros
Marimbondos invadem quatro residências da parte alta de Corumbá
Tempo
Sexta-feira será de tempo instável no Estado

Mais Lidas

Acidente
Quatro árvores caíram sobre casas de Corumbá nas últimas 24 horas
Saúde
Dengue: imóveis reincidentes estão sendo notificados em Corumbá
Acidente de Trânsito
Queda acidental de moto deixa passageira ferida no centro de Ladário
Parceria
Iunes e consulesa da Bolívia discutem questões fronteiriças em Corumbá