Matrículas - Sesi

Dois projetos da Embrapa Florestas recebem Prêmio von Martius de Sustentabilidade 2017

Por Redação19 OUT 2017 - 08h57min

Dois projetos coordenados pela Embrapa Florestas acabam de receber o Prêmio von Martius de Sustentabilidade 2017, outorgado pela Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha. Os projetos “Cultivo da Pupunha para produção de palmito como indutor do desenvolvimento do litoral do Paraná” e “Estradas com Araucárias” receberam a premiação nas categorias “Tecnologia” e “Natureza”, respectivamente. 

Projetos premiados da Embrapa são resultados de mais de 15 anos de pesquisa. Foto: Reprodução vídeo Embrapa

Criado no ano 2000 como “Prêmio Ambiental von Martius”, em 2007 passou a se chamar “Prêmio von Martius de Sustentabilidade”, com a intenção de reconhecer projetos de todo o País que promovam o desenvolvimento socioeconômico e cultural, alinhado ao conceito de sustentabilidade. O Chefe Geral da Embrapa Florestas, Edson Tadeu Iede, comemora: “é uma honra termos projetos contemplados com este prêmio. Isso nos mostra que nossas tecnologias e o esforço de nossos pesquisadores estão chegando aos usuários e impactando a realidade”. 

Resultado de mais de 15 anos de pesquisas, o projeto “Cultivo da Pupunha para produção de palmito como indutor do desenvolvimento do litoral do Paraná” redesenhou a agricultura da região. Nativa da Amazônia, onde é utilizada para produção de frutos, a pupunha encontrou espaço para produção de palmito na Mata Atlântica, bioma no qual foi introduzida por meio de plantios organizados em áreas abandonadas pela agricultura. Com a implantação do sistema de produção, o valor bruto da produção saltou de R$ 480 mil em 2000 para R$ 19,5 milhões em 2016, beneficiando 650 famílias dos municípios de Antonina, Guaraqueçaba, Guaratuba, Morretes e Paranaguá. “Este tempo de pesquisa em parceria com a extensão rural envolveu a adaptação da espécie às regiões litorâneas da Mata Atlântica, definição de espaçamento, adubação, controle de doenças, colheita, tratos silviculturais e outros”, explica o pesquisador e líder do projeto Álvaro Figueredo dos Santos. “Hoje, temos informações e orientações sobre todo o sistema de produção e uma ampla aceitação por parte dos agricultores familiares, que viram na pupunha uma forma de geração de renda com preservação ambiental”, completa. O sucesso da introdução do cultivo de pupunha para palmito por agricultores familiares na Mata Atlântica foi reconhecido como boa prática pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) e também faz parte do banco de tecnologias sociais da Fundação Banco do Brasil. Para conhecer para sobre o projeto, clique aqui .


Já o projeto “Estradas com Araucárias” tem como objetivo estimular, por meio de Pagamento por Serviços Ambientais (PSA), o plantio de araucárias nas divisas de propriedades rurais familiares com estradas, nas áreas de ocorrências desta espécie. O projeto é financiado por empresas da iniciativa privada interessadas em compensar suas emissões de gases de efeito estufa. Atualmente, o projeto atende 68 produtores rurais familiares nos estados do Paraná e Santa Catarina e é patrocinado pelo grupo empresarial de transporte e logística DSR. Cada produtor rural recebe R$ 1 mil por ano para plantar e cuidar de, pelo menos, 200 araucárias. “Já alcançamos uma linha de 100 km de plantio em divisas de propriedades rurais com estradas. Além de gerar renda a esses produtores e auxiliar no combate às mudanças climáticas, estamos constituindo ‘corredores verdes’, agregando valor paisagístico e ecológico às estradas e ajudando a salvar uma espécie  ameaçada de extinção", explica o pesquisador e idealizador do projeto, Edilson Batista de Oliveira. Para conhecer mais sobre o projeto, clique aqui para ler uma reportagem e aqui para assistir a um vídeo sobre o projeto.

O Prêmio von Martius

O prêmio foi entregue durante o Congresso Ecogerma, no auditório da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), em cerimônia realizada no dia 18/10.

Os trabalhos inscritos foram avaliados por um júri especialmente convidado, que destacou os três melhores projetos em cada categoria, que receberam um diploma reconhecendo sua notoriedade. Além das categorias “Natureza” e “Tecnologia”, onde os projetos da Embrapa Florestas foram selecionados, o prêmio também contempla a categoria “Humanidade”.

O Prêmio tem apoio do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) , do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS) e do WWF-Brasil, com patrocínio da empresa Henkel.

 

Deixe seu comentário

Leia Também

Combate ao tráfico

Polícia Civil estoura ‘boca’ no Loteamento Pantanal

Procon

Empresas são autuadas por impedirem reserva de passagens interestaduais gratuitas

Emprego

Mercado de Trabalho de MS inicia recuperação e gera mais de 700 vagas em outubro

Educação

IFMS divulga gabarito do Exame de Seleção para os cursos técnicos

Brasil

Presídios terão banco de dados sobre situação de detentos

Concorrência

Ônibus vai operar de Corumbá para Capital com fretagem a R$ 140 ida e volta

Segurança

Receita doa câmeras ao Município e amplia videomonitoramento na fronteira