Matrículas - Sesi

Campo-grandenses são flagrados por pesca predatória na divisa com MT

Por Assessoria PMA14 OUT 2017 - 10h14min

Devido ao fechamento da pesca nos rios do estado vizinho de Mato Grosso, no dia 1º de outubro, o Comando da PMA destinou várias equipes para a fiscalização na divisa com esse Estado, nos rios Correntes, bem como nas áreas mais longínquas do Pantanal, como Foz do rio Piquiri, rio São Lourenço, Cuiabá e Paraguai. Esses locais já são pontos extremamente preocupantes em que a PMA tem mantido fiscalização preventiva constante. Agora com o fechamento da pesca em Mato Grosso, com certeza haveria uma intensificação de pescadores na região, no lado de Mato Grosso do Sul, especialmente advindos do estado de  MT, o que faz com que haja a necessidade de mais policiais na área.

Por se tratarem de regiões  muito distantes de áreas urbanas e de difícil acesso, vários pescadores aproveitaram para praticarem pesca predatória, por acharem ser difícil serem pegos pela fiscalização. Porém, a PMA tem realizado fiscalização preventiva constante.

Pescadores foram flagrados no rio Piriqui. Foto: Divulgação

Equipes de Policiais Militares Ambientais de Coxim e Campo Grande realizam fiscalização na operação Pesque Legal, realizada pela PMA, SEMAGRO e IMASUL, dentro da operação Pacificador 67 (PMMS), na região, nos rios Piquiri, São Lourenço e Paraguai na divisa com o estado de Mato Grosso e autuaram dois pescadores por pesca predatória.

A ocorrência deu-se no rio Piquiri ontem (13), quando os dois pescadores, residentes em Campo Grande foram autuados por capturar exemplares de pescado abaixo da medida permitida pela legislação. A embarcação que estavam e o motor utilizados na pesca predatória foram apreendidos, além de 8 kg de pescado e dois molinetes com varas. Os dois pescadores, de 29 e 31 anos, foram multados em um total de 1.720,00.

Os infratores responderão por crime ambiental de pesca predatória. Se condenados, poderão pegar pena de um a três anos de detenção. O pescado será doado para instituições filantrópicas, depois de periciado.

Durante a operação várias embarcações foram abordadas diversas embarcações e pescadores e todos pescavam legalmente. Ainda foram retirados 44 anzóis de galho (petrecho proibido) do rio.

As equipes continuam na região. O Comando pretende manter os policiais revezando-se no local, no sentido de prevenir a pesca predatória, mesmo depois da operação do feriado prolongado, dentro da operação pré-piracema, tendo em vista a proximidade do período de piracema, em que cardumes já começaram a se formar.

 

Deixe seu comentário

Leia Também

Combate ao tráfico

Polícia Civil estoura ‘boca’ no Loteamento Pantanal

Procon

Empresas são autuadas por impedirem reserva de passagens interestaduais gratuitas

Emprego

Mercado de Trabalho de MS inicia recuperação e gera mais de 700 vagas em outubro

Educação

IFMS divulga gabarito do Exame de Seleção para os cursos técnicos

Brasil

Presídios terão banco de dados sobre situação de detentos

Concorrência

Ônibus vai operar de Corumbá para Capital com fretagem a R$ 140 ida e volta

Segurança

Receita doa câmeras ao Município e amplia videomonitoramento na fronteira